A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 20 de Agosto de 2019

22/03/2019 19:53

Trio que matou cabeleireiro da Capital é condenado a 62 anos de prisão

Adriano Fernandes
Josimar (centro) matou cabeleireiro; Weliton (à direita) e Marcus participaram do latrocínio (Foto: Adilson Domingos)Josimar (centro) matou cabeleireiro; Weliton (à direita) e Marcus participaram do latrocínio (Foto: Adilson Domingos)

Foram condenados a 62 anos de prisão os três bandidos que assaltaram e mataram o cabeleireiro Heberson Junior Cavalcante de Almeida, de 29 anos, em Dourados, cidade a 233 km da Capital. A vítima tinha um estúdio de beleza no Bairro Cophavila, em Campo Grande.

O crime ocorreu em agosto do ano passado. Além de ter sido agredido o cabeleireiro teve duas perfurações no pescoço. Marcos Vicente Ciardulo e Wellington Cardoso foram condenados a 20 anos. Já o terceiro envolvido no crime, Josimar da Silva Lemos, foi condenado a 22 anos de reclusão, conforme o Dourados News.

À época do crime, Josimar confessou ter agredido e esfaqueado o cabeleireiro por “não gostar de viado”, já que a vítima era homossexual. “A sua personalidade o revela como uma pessoa fria e egoísta, além de ser preconceituosa, tendo em vista que a vítima veio a ser morta por ele não gostar de homossexual”, relatou o juiz Marcus Vinícius de Oliveira Elias, da 2ª Vara Criminal de Dourados, responsável pelas condenações.

Crime brutal - Heberson havia ido para Dourados para atender antigas clientes.Contudo, na noite de 10 de agosto foi assaltado pelo trio após sair de jantar com amigos. Os três queria roubar o carro da vítima, um Ford Fiesta branco. Levado para o cativeiro em uma construção abandonada no Jardim Carisma, região norte da cidade, Heberson ficou sendo vigiado por Josimar enquanto os dois vendiam o carro no Paraguai.

“Estava alucinado de tanta droga. Ele quis reagir. Quando vi o que tinha feito saí correndo para o mato”, disse Josimar em entrevista à uma rádio local, quando foi apresentado em coletiva após a prisão. À polícia, o bandido confessou que bateu em Heberson por ele ser homossexual. A vítima só foi encontrada com as mãos e os pés amarrados na manhã do dia 13.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions