ACOMPANHE-NOS    
DEZEMBRO, QUARTA  08    CAMPO GRANDE 25º

Interior

Vídeo mostra momento em que pistoleiros fuzilam jovens na saída de festa

As imagens são usadas pela polícia paraguaia nas investigações das mortes de 4 pessoas

Por Nyelder Rodrigues e Helio de Freitas, de Dourados | 09/10/2021 19:52

Três atiradores chegam com armas em punho e fuzilam quatro pessoas diante de um público em plena madrugada de sábado (9) em Pedro Juan Caballero, cidade paraguaia localizada na fronteira seca com a brasileira Ponta Porã - a 323 km de Campo Grande.

As cenas estão em vídeo usado pela polícia paraguaia na tentativa de descobrir quem são os pistoleiros e os mandantes do crime que matou quatro pessoas na saída de uma festa, entre elas um traficante, a filha do governador do departamento paraguaio de Amambay, e duas estudantes brasileiras.

No início das imagens, é mostrado o trânsito no local do crime e de vários jovens que deixavam o evento, entre eles, as vítimas que seguiam para uma SUV branca, estacionada na calçada, próximo a casa de shows em Pedro Juan Caballero.

Depois, na parte de baixo, surge uma camionete prata, que para ao lado da SUV. Dois homens descem com armas em punho do lado do motorista e um do lado do passageiro, abrindo fogo de imediato e matando com tiros à queima roupa quatro pessoas.

As vítimas são Osmar Vicente Álvarez Grance, de 32 anos, que é tido como o alvo dos pistoleiros pela investigação, Haylee Carolina Acevedo Yunis, de 21 anos, filha de Ronald Acevedo, atual governador de Amambay. Ela foi alvejada com seis disparos no tórax, pulmão e pernas da jovem, conforme as autoridades.

Segundo o site Frontera Seca News, Osmar e Haylee eram namorados - Haylee também é sobrinha do famoso senador Roberto Acevedo, que se destacou pelo combate ao tráfico de drogas e críticas na mídia contra o crime organizado da região.

As outras duas vítimas eram colegas de faculdade de Medicina em Pedro Juan, e acompanhavam Haylle e Osmar, sendo elas a douradense Kaline Reinoso, de 20 anos, e a mato-grossense Rhannye Jamilly Borges de Oliveira, de 18. Kaline foi atingida por 14 tiros, enquanto Rhannye foi alvo de 10 disparos.

A polícia do Paraguai recolheu 110 cápsulas de alto calibre no local do crime. De acordo com as informações apuradas pelo Campo Grande News, foram encontradas pelo menos 60 cápsulas de calibre 7,62 e 50 de munições calibre 5,56.

Nas imagens é possível ver momento em que homens descem da camionete e abrem fogo contra as vítimas (Foto: Reprodução)
Nas imagens é possível ver momento em que homens descem da camionete e abrem fogo contra as vítimas (Foto: Reprodução)

Possível mandante - Investigadores da Polícia Nacional trabalham com a hipótese de que o atentado tenha sido ordenado pelo PCC (Primeiro Comando da Capital). De acordo com site paraguaio Última Hora, Osmar Vicente Álvarez Grance, de 32 anos, era dono da lavanderia onde foi realizada uma assembleia do PCC.

O evento ocorreu em março deste ano e acabou com 13 membros da facção detidos pela Senad (Secretaria Nacional Antidrogas). A suspeita é que o PCC tenha acusado Osmar de ajudar a polícia paraguaia, sendo responsável pelos prisões.

Outra linha de investigação é que a execução de Osmar seja uma retaliação pelo assassinato de Marcos Esquivel, sobrinho de Cornelio Esquivel, considerado um dos chefões do crime organizado na fronteira entre Brasil e Paraguai.

Contudo, nesta noite, em comunicado atribuído ao PCC e que roda pelas redes sociais, a facção criminosa nega que seja mandante do crime, afirmando ainda que Osmar sequer era integrante do grupo. "Não compactuamos, não concordamos com atos que causem a morte covardemente de pessoas inocentes, e combatemos tais atos".

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário