A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

23/02/2011 08:36

Kit contra homofobia que gerou polêmica na Câmara ganha aval da Unesco

Marta Ferreira

O kit informativo de combate à homofobia para as escolas públicas que se transformou em polêmica na Câmara dos Vereadores de Campo Grande, após o presidente da Casa, Paulo Siufi (PMDB), fazer criticas negativas ao material, ganhou esta semana o apoio da Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura). A organização internacional deu parecer favorável ao material, avaliando que “contribuirá para a redução do estigma e da discriminação, bem como para promover uma escola mais equânime e de qualidade”.

O material ainda está sob análise do MEC (Ministério da Educação). Em Campo Grande, provocou discurso inflamado do presidente da Câmara, que é pediatra. Para Siufi, o kit, se distribuído a estudantes, estimulará a sexualidade precoce em crianças. As críticas foram feitas em dezembro e, na época, o vereador anunciou que procuraria o promotor da Infância e Juventude, Sérgio Harfouche, para tomar providências sobre o assunto. Não há informações se houve algum tipo de encaminhamento a respeito.

Segundo as informações divulgadas pelo governo federal, o kit de combate à homofobia, foi elaborado por entidades de defesa dos direitos humanos e da população LGBT (lésbicas, gays, bissexuais e travestis) a partir do diagnóstico de que falta material adequado e preparo dos professores para tratar do tema. O preconceito contra alunos homossexuais tem afastado esse público da escola, apontam as entidades.

“Todas as pesquisas mostram que em torno de 40% da população escolar têm preconceito com esse público. O material vai ensinar os professores a trabalhar isso”, defendeu Toni Reis, presidente da ABGLT. O kit é formado por cartazes, um livro com sugestão de atividades para o professor e três peças audiovisuais sobre o tema. O material foi elaborado pelo projeto Escola sem Homofobia, a partir de seminários e de uma pesquisa aplicada em escolas públicas.

Vídeo que busca combater homofobia foi estopim de polêmica. (Reprodução)Vídeo que busca combater homofobia foi estopim de polêmica. (Reprodução)

A polêmica- A previsão do MEC é que o material fosse distribuído a 6 mil escolas, mas houve resistências em várias frentes, como a que surgiu em Mato Grosso do Sul.

O deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ) quer convidar o ministro da Educação, Fernando Haddad, para prestar esclarecimentos no Congresso e permitir que os parlamentares tenham acesso ao material. Ele é contra a proposta e promete mobilizar a bancada religiosa para impedir a distribuição dos kits. Foi um vídeo postado pelo deputado na internet que motivou a fala de Paulo Siufi contra o material.

“Isso [o material] é um estímulo à homossexualidade, à promiscuidade e uma porta à pedofilia”, afirma Bolsonaro.

Na avaliação do deputado, caso os kits cheguem às escolas, os próprios pais não deverão permitir que os vídeos sejam exibidos. “Eu já tenho apoio de pais e diretores que me procuram preocupados e vão acionar o corpo docente”, acrescentou. O MEC não se posicionou sobre o assunto.

Para Toni Reis, a posição dos fundamentalistas religiosos é preconceituosa porque o material sequer foi divulgado. O vídeo denonimado Encontrando Bianca,citado por Siufi, por exemplo, não tem o trecho que havia sido comentado por ele como uma espécie de propaganda a favor da homossexualidade, por contar a história e os dilemas de convivência no ambiente escolar de um menino que se vê mulher e se descobre travesti.

O Conselho Federal de Psicologia também deu parecer favorável às obras, considerando-as adequadas à faixa etária indicada. Para a pesquisadora em sexualidade e professora da UFS (Universidade Federal de Sergipe) Claudiene

Santos, a polêmica existe porque ainda há a crença de que a homossexualidade pode ser ensinada ou incentivada pela escola.

“Na verdade, o que está se discutindo é uma diversidade que já existe, não foi a escola que inventou. Há um temor da sociedade quando se mexe naquilo que se entende como padrão ou o que chamamos de sexualidade hegemônica”, explicou.

Ela acredita que o material chegará aos professores e alunos. “A escola é um espaço privilegiado para a promoção dos direitos humanos, mas há uma dificuldade do professor em ter acesso a esse conhecimento. Muitas vezes, há omissão por parte das escolas em coibir qualquer tipo de discriminação, que termina em práticas violentas. Na medida em que você não faz nada, você concorda com aquilo [a homofobia]”, afirmou.

Para a pesquisadora, afastada da escola pelo preconceito, a população LGBT acaba marginalizada, sem acesso a bons empregos ou à qualificação profissional. “Será que todo travesti gosta de ir para a prostituição ou a gente não dá espaço para que essas pessoas tenham acesso aos direitos que todo cidadão tem?”, questionou.

(Com informações da Agência Brasil)

Carro roubado no RJ é recuperado em estrada rumo ao Paraguai
Um automóvel recentemente roubado no Rio de Janeiro foi recuperado por policiais militares em uma estrada vicinal de Japorã –a 487 km de Campo Grande...


isso que o MEC esta fazendo é a desgraça do seculo XXI, vai destruir o que levou muitos anos para ser construido, os valores das familias brasileiras. onde ja se viu promover vidios que insentivam a promiscuidade e a violencia sexual de um carater ainda em formaçã. Nós cidadãos brasileiros não podemos permitir que isso aconteça, nao deixe que destruam a integridade e a inocência de nossos filhos. faça sua manifestação contra o os vidios do MEC, e com o incentivo a homossexdualidade.

João Paulo de Souza, um defensor dos vlores da familia
 
Joõa Paulo em 23/05/2011 10:22:21
Bem genti. Eu me Chamo Daniely de Souza Viera tenho 15 anos e sem bem como é a homofobia no mundo não só ela mais o preconceito ao todo.
Tenho varios amigoas(a) que são homossexuais e vejo simplismenti o preconceito que eles sofrem..
SIM MIL.....VEZES SIM.. SOU A FAVOR A O KIT ANTI HOMOFOBIA e tenho certeza que de nenhuma maneira o mesmo vá estimula ninguem..
Como já disse tenho varios amigos homossexuais e nem assim me sinto enfluenciada.

Pensem bem.. vocês pais vocês não amam seus filhos? os acentem .....

Vocês tem nojo de vê genti do mesmo sexo se beijando?
Eu não
Eu tenho nojo de vê genti batendo em genti
Genti passando fomo
genti enganando gente ( Deputador, prefeitos , etc.. )
é disso que eu tenho nojo

Agenti precisa de uma sociedade promisora, que saiba trabalhar com todos os tiopos de pessoas, negras, brancas, homossexuais, etc

SIIIIIM ao Kit anti-homofobia

Homofobiia MATA homofobia é crime plc/122


Pensem bem ......
 
Daniely de souza viera em 14/05/2011 12:18:47
COM 15 ANINHOS JÁ PODE SAIR DO ARMÁRIO, ASSUMIR......LEVANTAR A BANDEIRA E SER FELIZ!!!!!!
 
GILMAR CANDIDO em 14/05/2011 06:01:07
Aos leitores.
A Escola deve formar o SER HUMANO.
E ser humano pode significar ser negro, branco, ruivo, índio, hetero, gay,magro, gordo, alto,baixo, rico, pobre, religioso, ateu, a tôa, faltando alguma parte no corpo, com todas as partes no corpo. Inclusive com quem tem merda na cabeça como esses que são contra algo ou acham que super heróis na vida pública, tais como os já citados acima.
Ser humano engloba tudo isso, inclusive eu.
 
Orlando Lero em 14/05/2011 04:39:15
Sou contra essa que sera mais uma forma de desustruturar as nossas familias.Ser ou não ser Gay, Homosexual, sei la , e de cada um, e que cada um que fique com suas opções, e não obriguem nossas criança a compartilhar com os problema deles.
Siuffi vc sera o guardião dos bons costumes dessa cidade. to contigo e não abro .
 
Juarez delmondes em 23/02/2011 12:53:34
Siuf está coberto de razão, e a Unesco vai parar e pensar com certeza...hoje o que se vê inclusive na novela das 7, é um baita homem que se diz gay, casado com um mulherão e olhando para outro homem com os olhos do amor...mas não dispensa as bitocas e os beijos da mulher na qual ele se casou, isso é liberdade? Para mim aqueles moços e moças que se sentem como mulheres e são até fisicamente parecidos, devem sim ter nascidos dessa forma e até entendo, devem ser os hormonios, mas essas meninas lindas, com cinturinhas de pilão e os marmanjos fortes, masculos, dando em cima de homem, para mim...é o fim da picada.E na tv ainda hora um famoso(a) gosta de homem, outra gosta de mulher e aí?? Virou bagunça...é como escreveu uma pessoa: Se deixar nossos jovens vão achar tudo muito normal e que se pode trocar de identidade homem e mulher conforme a conveniencia e não é bem assim.
 
Ana Lúcia em 23/02/2011 12:03:03
SE OS PAIS REALIZASSEM O SEU PAPEL DE EDUCADOR, DE FORMADOR DE CARÁTER E DE OPINIÃO, NÃO DEIXANDO ISSO PARA A ESCOLA E A SAÚDE, ESSA DISCUSSÃO NÃO SERIA NECESSÁRIA, POIS OS PAIS TERIAM CONSCIÊNCIA DE QUE SEUS FILHOS RECEBEM INFORMAÇÕES DO MUNDO INTEIRO, MAS ABSORVEM O QUE SEU CARÁTER PERMITE... SIMPLES ASSIM.
 
KATIA CILENE em 23/02/2011 11:55:18
A Bíblia reprova tudo isso em Romanos cap 1 vers. 22 em diante, quem defende a homosexualidade, está defendendo uma maldição. Como já estamos vivendo os dias terríveis, isso tambem virá com força total e, é pra vir mesmo afinal, a palavra de Deus é pra ser cumprida.
 
Valter Antunes Oliveira em 23/02/2011 11:45:06
O que há é uma tentativa de se colocar no chão os valores morais tão caros à nossa sociedade. O que esses ativistas querem é nos forçar a pensar da maneira deles. Isso não admito, nem para mim, nem para ninguém da minha família. A escola é lugar de ensinar valores éticos e morais, e não baixaria. E isso nada tem a ver com homofobia, mas com preservação da própria sociedade, através da conduta familiar e ética saudável.
 
Anivaldo Cardozo em 23/02/2011 11:43:13
A maioria das pessoas, principalmente os homens, são falsos moralistas. Abominam os gays usando como discurso uma pseudo familia de bem. Que família de bem é essa? a heterossexual? onde esse mesmo homem que critica trai sua esposa com prostitutas, leva doença para casa, mas para ele tudo bem, isso é normal, coisa de homem. Esse mesmo homem que acha que mulher tem que ficar em casa cuidando dos filhos. Que família tradicional e padrão é essa onde a menina tem que casar virgem e o menino tem que ser o pegador. Chega de hipocrisia, falso moralismo.
A homossexualidade não é doença, não é opção de ninguém, ninguém escolhe ser gay, é uma condição que a pessoa nasce assim. As pessoas podem até não concordar, aceitar, mas tem a obrigação de respeitar.
O kit não vai incentivar nada, ninguém vira gay ou hetero porque vê um vídeo, apenas vai ajudar as pessoas a entenderem, a respeitar, lidar com gays, travestis, etc, e nada melhor do que fazer isso com crianças e adolescentes, já que os pais são atrasados.´
Está na hora dos falsos moralistas, fundamentalistas religiosos mudarem o discurso, ficam presos em passagens soltas da bíblia que foram inseridas ao longo dos tempos e padrões sociais criados no passado pela igreja católica.
 
Thiago Brittes em 23/02/2011 11:32:17
Os conservadores e fundamentalistas machistas que me desculpem, mas a diversidade sexual é uma realidade inerente ao seres humanos. E respeito é bom e todo mundo gosta!
 
Gilberto Ramos em 23/02/2011 11:20:05
No bairro Coophavila II onde vivi minha adolescência(década de 80), haviam muitos homossexuais disfarçados (inrrustidos) que dava em cima da gente, acho que por mais que os psicólogos, pesquisadores e UNESCO venha falar a favor, eu como pai não admitiria de forma nenhuma este tipo de instrução. Primeiro que estes artigos são feito pelos próprios homossexuais e em segundo lugar nenhum pai quer se quer pensar nesta possíbilidade do filho ser. Conheço vários que são, não interfiro na vida deles embora não concordo, e não adianta querer me forçar a pensar diferente. Concordo com o vereador acho que as coisas não devem ser aceitas porque alguns meios de comunicação tem trabalhado com isso porque eles detem o poder e muitos são. A etimologia de Homofobia seria fobia ou medo de união de pessoas do mesmo sexo, neste caso teria fobia se isto acontecesse com um dos meus, com tanta propaganda a favor daqui uns dias 50% vai ser.
 
Jorge Antonio Dias em 23/02/2011 11:14:07
Misturar pensamento religioso com política pública de saúde e educação só complica as coisas. No fundo, a idéia da fogueira para esses hereges ainda deve rondar a idéia dos fundamentalistas religiosos. O fundamentalista daqui quer ser prefeito. Só posso dizer que: Deus me livre disso!!!....rsss
 
Gregório Guerra em 23/02/2011 10:31:22
esse vídeo é um atentado aos bons costumes e à ética. PT vai destruir a nação brasileira. é o caos se instalando..
 
Antonio Rosa em 23/02/2011 09:53:42
É papel da família ensinar a amar ao próximo como a si mesmo, conforme Jesus nos ensinou, independente de quem for a pessoa. A educação sexual também é responsabilidade da família. Não transfiro essa responsabilidade para ninguém, nem para internet, nem para revistas nem para escola.
 
Cristina Moraes em 23/02/2011 09:38:18
Tenho a impressão que algumas pessoas "tipo políticos", estão fora da realidade e viavel sim discutir nas escolas temas tão relevantes e que colocam as pessoas de forma digna e respeitosa no convivo da sociedade com seus direitos garantidos.
 
IRANI MALUFF DE MELLO em 23/02/2011 08:59:29
Orientação sexual e religiosa é responsabilidade da família. A escola não deve responsabilizar-se pelos "filhos de jerimum".
Devemos aprender na escola os conteúdos disciplinares para formação do aluno no que diz as matérias do tipo Matemática, Geografia Geral e Geografia Brasileira (saber distinguir MS do MT, RS do RN, e pelos menos quantos Estados, Distritos Federais e suas respectivas Capitais extim no Brasil), História do Brasil e História Geral, Gramática Portuguesa e Literatura, Inglês e Espanhol, Educação Artística (Canto e Pinturas), Geometria, "Filosofia", Conhecimentos Gerais (embasando todas as matérias nesta com referência à atualidade) e outros que não me lembro porquanto.
Se o crente se traja de terno para ir à Igreja, por que um gênero não pode assumir `sua forma para ir à escola? Nas horas de fazer suas tarefas que usem os artíficios que acharem pessoais e particulares.
 
Ezio José em 23/02/2011 02:25:26
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions