A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 21 de Setembro de 2018

18/05/2017 10:53

Parceria emprega indígenas de MS em lavouras de frutas do país

Priscilla Peres
A previsão é de que, por ano, cerca de 2 mil terenas e guaranis sejam contratados para trabalhar nas safras. (Foto: Zero Hora)A previsão é de que, por ano, cerca de 2 mil terenas e guaranis sejam contratados para trabalhar nas safras. (Foto: Zero Hora)

Indígenas de Mato Grosso do Sul estão sendo inseridos no mercado de trabalho nacional, por meio de uma parceria público-privada que vai beneficiar cerca de 10 mil pessoas. Mais de 500 índios já estão atuando em plantações de maçãs localizadas no sul do país.

A parceria foi firmada entre a Funtrab (Fundação do Trabalho de Mato Grosso do Sul ), Ministério Público do Trabalho (MPT) e empresas privadas. A previsão é de que, por ano, cerca de 2 mil terenas e guaranis sejam contratados para trabalhar nas safras, principalmente de frutas

Os 540 indígenas terena e guarani que já foram contratados neste ano, trabalham na colheita de maçã nas lavouras da empresa Aliprandini, com sede em Vacaria, Rio Grande do Sul. A empresa é detentora da marca Frutini, e fornece frutas e legumes para praticamente todo o Brasil. Por ano, são colhidas aproximadamente 20 mil toneladas de maçã.

De acordo com o procurador do Trabalho, Jeferson Pereira “essa estratégia é fruto dos entendimentos realizados junto a empresas como a Rasip, Agrícola Fraiburgo e Fischer, que concordaram com essa forma de contratação, elevando a quantidade de trabalhadores indígenas empregados anualmente para mais de 2 mil”.

“A gente precisa muito desse apoio para as nossas famílias”, afirma o terena Ivanilson Machado Peixoto, da Aldeia Limão Verde, em Aquidauana. Pai de três filhos, ele diz que nesta safra 46 moradores da aldeia foram trabalhar na colheita da maçã nas lavouras da Aliprandini.

Conforme a parceria, durante o ano os moradores da Limão Verde se dedicam a lavoura própria e, no período da safra da empresa de Vacaria, aproveitam para ganhar uma renda extra. O dinheiro conquistado é investido principalmente na melhoria da habitação, compra de roupas para os filhos, aquisição de animais para cria e insumos para a lavoura.

A ação vai de encontro à orientação dada pelo governador Reinaldo Azambuja (PSDB). “As comunidades indígenas precisam ser melhor atendidas, precisam do apoio do governo, com uma política pública duradoura, para todas as etnias. O governo não tem que ter lado, deve governar para todos”, tem afirmado Reinaldo Azambuja.

Dentro dessa ação, no 29 de maio, o Comitê Gestor Estadual para Erradicação do Sub-registro Civil de Nascimento e Acesso à Documentação Básica estará atendendo municípios da região sul, entre eles Amambai, Aral Moreira, Coronel Sapucaia e Japorã. Serão emitidos 500 documentos de Registro Geral (RG).

Anualmente são colhidas cerca de 20 mil toneladas de maçã. (Foto: BR Turismo)Anualmente são colhidas cerca de 20 mil toneladas de maçã. (Foto: BR Turismo)
MEC quer programa para ocupar vagas ociosas em universidades públicas
O Ministério da Educação (MEC) estuda criar ainda este ano uma nova modalidade do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), chamada Sisu Transferência, vo...
Mega-Sena acumula de novo e prêmio para sábado vale R$ 22 milhões
O segundo sorteio da Mega-Sena, desta semana que terão três, mais uma vez, voltou acumular, devido a falta de acertadores no prêmio principal. O sort...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions