A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

18/03/2009 18:11

Polícia garante a pais dar resposta sobre Dudu até sexta

Redação

A família do menino Luiz Eduardo Gonçalves aguarda para esta semana o esclarecimento sobre o sumiço de Dudu. Os pais ouviram da Polícia Civil o compromisso de que até sexta o "Caso Dudu" será solucionado.

Na segunda-feira passada, os pais foram chamados para novamente detalhar qual roupa o menino usava há um ano, quando desapareceu no Jardim das Hortênsias, um depois da Polícia encontrar uma ossada, após escavações na saída para São Paulo.

A ossada de uma pessoa, com idade entre 9 e 13 anos, foi encontrada no terreno baldio em frente ao Museu José Antônio Pereira.

Com roupas sujas de barro, policiais foram domingo ao IML (Instituto Médico Legal), provavelmente depois de terem retirado os ossos da terra.

Informações não confirmadas pela Polícia indicam que já existem pessoas presas por ligação com o caso, pelo menos três. Elas teriam indicado o local onde o corpo foi escondido.

A Polícia também não revela se o padrasto do garoto, José Aparecido Bispo da Silva, está preso. Desde de que Dudu sumiu, ele foi apontado como suspeito e a mãe da criança, Eliane Martins, explica que Cido, como era conhecido, foi visto várias nas imediações do museu, no mesmo local onde a ossada foi descoberto.

Relatório feito pelo 7º DP (Distrito Policial), que foi engavetado, apontava participação de Cido no caso. No documento, testemunhas afirmavam ter visto o padrasto sair de casa em uma bicicleta com um saco grande e de conteúdo desconhecido.

A mãe de Dudu também relatou que Cido havia feito ameaças, depois de que ela rompeu o namoro. No relatório, testemunhas confirma que ele teria dito que se vingaria.

Ainda conforme o relatório, um adolescente foi visto em um bar com Cido depois do suposto desaparecimento de Dudu. O caso é investigado pela (Delegacia Especializada de Atendimento à Infância e Juventude), unidade policial que cuida de casos em que existem adolescentes envolvidos em crimes.

Luiz Eduardo Gonçalves tinha 11 anos quando desapareceu no Jardim das Hortênsias em 22 de dezembro de 2007. No início das investigações e até bem pouco tempo, o caso era apurado como desaparecimento.

No entanto, uma reviravolta na história deu-se quando a Deaij passou a apurar a possibilidade de um adolescente estar envolvido no crime. Desde então, a Polícia começou a tratar o caso como homicídio.

Para os pais, restam muitas dúvidas porque nada foi comunicado à família, que vive a angústia de um mistério que parece não ter fim.

Chuva intensa de meteoros terá pico na madrugada de quinta-feira
A chuva de meteoros Geminídeos – uma das mais intensas e brilhantes do ano – vai ocorrer durante a noite de hoje (13) e a madrugada de amanhã (14) e ...
STF tem maioria a favor de delação negociada pela Polícia Federal
O Supremo Tribunal Federal (STF) formou hoje (13) maioria para manter a autorização legal para que a Polícia Federal (PF) possa negociar delações pre...
UFGD oferece vagas em 36 cursos de graduação pelo Sisu
A UFGD (Universidade da Grande Dourados) está ofertando 944 vagas em 36 cursos de graduação para o Sisu (Sistema de Seleção Unificada). As inscrições...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions