A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 19 de Abril de 2018

22/11/2017 13:12

Prefeitura e TJMS assinam convênio para negociação de débitos ajuizados

Osvaldo Júnior
Sessão da Câmara de Vereadores, em que foi aprovada a lei que criou o programa (Foto: Divulgação)Sessão da Câmara de Vereadores, em que foi aprovada a lei que criou o programa (Foto: Divulgação)

A Prefeitura de Campo Grande, por meio da Procuradoria-Geral do Município, e o TJMS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) assinam às 17h30 desta quarta-feira (22), na presidência do Tribunal, convênio relativo ao programa "Fique Legal". A ação oportuniza a regularização de débitos ajuizados, com descontos de até 100% dos juros de mora. 

São esperados 150 mil contribuintes para negociar o pagamento de seus débitos. As adesões ao programa "Fique Legal" ocorrerão de 11 a 15 de dezembro deste ano em horário comercial (8h às 18h), no Centro de Convenções e Exposições Albano Franco (na Avenida Mato Grosso, n. 5017, Campo Grande). 

Na ocasião, haverá audiências de conciliações visando a regularização de débitos com o município, que estão ajuizados. “A pessoa poderá sair de lá com sentença de extinção fiscal”, enfatizou o procurador-geral do município, Alexandre Ávalo, na época em que o programa foi lançado no mês passado.

O programa "Fique Legal", criado por lei aprovada pela Câmara de Vereadores no dia 17 de outubro deste ano, prevê redução de 100% dos juros de mora do crédito tributário e de 80% das multas caso o contribuinte quite o débito à vista. 

Se o pagamento for parcelado em até cinco vezes, haverá desconto de 80% dos juros e de 70% das multas. Em até 12 parcelas, as reduções correspondentes são de 60% e de 50%; e, em até 18 vezes, de 40% (nos dois casos).

Além disso, há em todas os tipos de pagamentos, extinção total dos juros de financiamento e de diferentes descontos dos juros de mora do crédito remanescente do objeto de parcelamento.

O programa é previsto na Lei Complementar Municipal n. 306, de 19 de outubro de 2017, e foi inspirado em iniciativa do CNJ (Conselho Nacional de Justiça). O objetivo é desafogar o poder judiciário, reduzindo o volume estimado em 200 mil processos de execução fiscal. 

As informações sobre débitos poderão ser consultadas no site do TJMS (clique aqui) ou pelo telefone 156.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions