ACOMPANHE-NOS    
NOVEMBRO, SEGUNDA  23    CAMPO GRANDE 33º

Cidades

Preso com arma, filho de apontado como cabeça de esquema já está livre

Antônio Celso Cortez Júnior em Dourados era alvo de mandado de busca e apreensão, mas foi flagrado por posse ilegal de arma de fogo

Por Anahi Zurutuza e Helio de Freitas, de Dourados | 28/11/2018 09:26
Operação foi deflagrada ontem pela Polícia Federal.
Operação foi deflagrada ontem pela Polícia Federal.

Antônio Celso Cortez Júnior, preso em flagrante por posse de arma durante a Operação Computadores de Lama, a 6ª fase da Lama Asfáltica, pagou fiança de R$ 1 mil e foi liberado. Nesta terça-feira (27), policiais federais estiveram na casa dele, no Residencial Cerejeiras, em Dourados – a 233 km de Campo Grande – em cumprimento a mandado de busca e apreensão.

Durante a vistoria na residência, uma arma foi encontrada e Júnior acabou preso. Levado para a sede da PF na cidade do sul do Estado, o delegado responsável arbitrou o valor da fiança e o alvo foi liberado logo em seguida.

Júnior, filho de Antônio Celso Cortez, apontado pela Lama Asfáltica como sócio e “laranja” de João Roberto Baird. Cortez e Baird seriam os cabeças esquema de desvio de recursos públicos e envio valores clandestinamente para o exterior e também de “testas-de-ferro” para ocultar patrimônio.

Pai e filho são sócio-administradores da PSG Tecnologia Ltda., uma das empresas que seriam usadas para maquiar o pagamento de propina do Grupo J&F –controlador do frigorifico JBS– a políticos de Mato Grosso do Sul. Um dos principais beneficiários do esquema, ainda conforme as investigações, seria o ex-governador André Puccinelli (MDB).

O preso em flagrante também teve a quebra de sigilo fiscal e bancário decretados.

Antônio Celso Cortez está preso desde ontem. Contra ele, João Baird, André Luiz Cance e Romilton Rodrigues de Oliveira, a Justiça Federal decretou a prisão preventiva, por tempo indeterminado.

Computadores de Lama - A PF (Polícia Federal), a CGU (Controladoria Geral da União) e a Receita Federal foram às ruas na manhã de ontem para cumprir 4 mandados de prisão preventiva e 25 de busca e apreensão em Campo Grande, Jaraguari, Dourados e Paranhos.

Além de Júnior, outras duas pessoas foram presas com armas – uma em Paranhos e outra em Campo Grande, conforme apurou o Campo Grande News.

Nos siga no Google Notícias
Veja Também
Regras de comentário