A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 23 de Setembro de 2018

26/05/2017 09:59

Presos serão examinados e vão testar remédio para prevenir tuberculose

Em cinco anos, pesquisadores vão estudar a incidência da doença na população carcerária e teste medicamento novo

Anahi Zurutuza e Yarima Mecchi
Carreta equipada com consultório, laboratório e raio-x será usada no estudo (Foto: Marina Pacheco)Carreta equipada com consultório, laboratório e raio-x será usada no estudo (Foto: Marina Pacheco)

Uma parceria entre universidades federais de Mato Grosso do Sul, dos Estados Unidos e a SES (Secretaria de Estado de Saúde) viabilizou uma pesquisa inédita no mundo que promete encontrar conjunto de medidas para reduzir em até 66% a transmissão da tuberculose. No Estado, 5 mil presos serão examinados e parte da população carcerária será tratada com medicamento que seria capaz prevenir a doença nos presídios.

Na manhã desta sexta-feira (26), no auditório da Governadoria, na abertura do Seminário de Pesquisa em Tuberculose em Pessoas Privadas de Liberdade, a equipe anunciou o início do estudo.

A pesquisa é comandada pelo Instituto Nacional de Saúde Pública dos Estados Unidos, que investirá o equivalente a R$ 2,2 milhões, e pela Universidade de Stanford. Sete pesquisadores dos Estados Unidos e da Inglaterra conduzirão o estudo em parceria com cinco cientistas locais – da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul), UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados) e da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz).

Os testes serão feitos dentro de uma carreta que estacionará em frente ao Estabelecimento Penal Jair Ferreira de Carvalho, o presídio de segurança pública de Campo Grande – que hoje tem 2.240 internos –, e da PED (Penitenciária Estadual de Dourados), que abriga 2,5 mil internos atualmente.

O caminhão foi doado pela Receita Federal e o Governo de Mato Grosso do Sul investiu R$ 137 mil na preparação do baú que barra a radiação emitida por um aparelho de raio-x. Para equipar a carreta, foram investidos R$ 700 mil no total.

Interior do caminhão (Foto: Marina Pacheco)Interior do caminhão (Foto: Marina Pacheco)
Governador durante abertura de seminário (Foto: Marina Pacheco)Governador durante abertura de seminário (Foto: Marina Pacheco)

Mais detalhes – De acordo com o médico infectologista Julio Croda, que representa a UFGD e a Fiocruz, os testes para diagnosticar a tuberculoses serão feitos durante quatro anos – 20 mil exames no total, sendo 64 por dia. O quinto ano da pesquisa será de análise dos dados. “É um estudo inédito no mundo”, destacou.

Em paralelo, presos que estiverem ingressando nas penitenciárias serão voluntários nos testes do medicamento que evita a doença. O remédio já foi testado em humanos e o estudo sobre qual o impacto a substância teria para prevenir a tuberculose nos presídios também tem aval do Ministério da Saúde“É uma droga nova e a barata. Estamos na fazendo um ensaio clínico”, destacou Croda.

Conforme o Ministério da Saúde, a cada ano, são notificados aproximadamente 70 mil casos novos de tuberculose no Brasil e ocorrem 4,5 mil mortes.

O pesquisador afirma que 20% destes casos são de pessoas que adquiriram a doença dentro de presídios ou porque conviveram com internos e servidores do sistema carcerário.

O Brasil foi escolhido para o laboratório porque tem é o quarto país mais populoso do mundo e o maior da América Latina. “Além disso, a incidência de tuberculose na população carcerária aqui é 30 vezes maior que na população não carcerária, fora que a cada ano há um grande aumento no número de presos no país”, explicou Jason Andrews, o pesquisador responsável pelo estudo, da Universidade de Stanford.

Seminário – O debate sobre políticas públicas em saúde para o tratamento da tuberculose na população privada de liberdade será tema do seminário que acontece nos dias 26, 27 e 28 de maio em Campo Grande. Durante os três dias pesquisadores nacionais, internacionais, gestores estaduais e municipais apresentarão propostas e debaterão projetos direcionados para a erradicação da tuberculose na população privada de liberdade.

O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) participou da abertura do evento.

Matéria alterada às 12h38 para acréscimo de informação.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions