A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 24 de Junho de 2017


  • De olho na TV
  • De olho na TV

    com Reinaldo Rosa


15/02/2016 10:08

A luta de classes na audiência de TV

Reinaldo Rosa

BANHO DE ESPUMA – Para tentar barrar o sucesso de Gugu Liberato, nos anos 1990, ‘o Domingão do Faustão’ criou a mulher ensaboada. Gugu respondeu com coisas do tipo ‘entrevista (falsa) com integrante do PCC’. E o Ibope cunhou a categoria ‘Classe C’ em pesquisas de audiência.

O FOCO – Geraldo Luis e suas matérias sobre assistencialismo barato, ressuscitação de ex-famosos e outras ladainhas baratas, entra no time de líderes a qualquer preço. Na televisão da Pátria Educadora tudo é possível. Com ou sem o respeito à educação e cultura, objetivos da comunicação social.

TOSCO JORNALISMO – Em nível regional, retransmissoras de TV assimilaram a receita. Popularescas atrações vão ao ar sem menores preocupações com engrandecimento cultural e formação de opinião, como se telespectadores fossem divididos em castas.

PRECONCEITUOSOS – Espectadores mais atentos observam certo preconceito contra a mulher em atrações destinadas à chamada Classe C, em Campo Grande. Certamente calcados em ganchos de domínio público, inadvertidamente, apresentadores batizaram duas personagens – femininas – para servir de ‘cabides’ em informativos no horário do almoço.

TIME TÁ GANHANDO – O total descompromisso físico e estético de uma cavalar criatura exterioriza objetivos destinados a telespectadores descompromissados com a informação. Líder no Ibope do horário, ‘O Povo na TV’, no SBT/MS, não dá mostras de possíveis mudanças.

TERCEIROMUNDISTA – Correndo atrás do lucro, o ‘Balanço Geral’, na Rede MS, muda de horário e vem com caricata figura tentando fazer frente à concorrência. Louve-se a forma democrática com a qual a diretoria da retransmissora da rede Record administra o assunto. Liberdade à equipe de produção e à espera de resultados.

OREMOS – Para se firmarem, programas regionais lançam mão do assistencialismo como forma de aumentar audiência. Sacolões; prêmios em parcerias, etc. estão presentes em algumas atrações televisivos da capital morena. ‘Casos de Família’, aos poucos, também se fazem presentes.

Na internet, grupo Acaba tem audiência cativa
MIOPIA – 66 curtidas, dez comentários, oito compartilhamentos no Facebook, incontáveis visualizações neste site Campo Grande News. Nota da coluna sob...
Grupo Acaba vive, mesmo fora da mídia
ESTAMOS JUNTOS – Mesmo ausente da grade musical da maioria de emissoras de rádios e retransmissoras de TVs locais, o Grupo Acaba vive –e sobrevive-. ...
Música regional de MS é atração rara nas emissoras locais
ESTRELAS FAZEM SINAL – Paulo Simões, Geraldo Roca, autores da música 'Trem do Pantanal', considerada hino não oficial de MS, não têm o destaque merec...
Só um 'não' ao ouvinte pode tirar rádio da mesmice
LINHA FECHADA – Quando é preciso dizer ‘não’. Difusora AM também abre espaço para atendimento de pedidos musicais dos ouvintes. Perigo à vista; maior...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions