A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 19 de Fevereiro de 2018


  • De olho na TV
  • De olho na TV

    com Reinaldo Rosa


21/09/2016 10:21

Campanha eleitoral com cara da ditadura torna-se inócua

Reinaldo Rosa

EXCESSO DE CONTINGENTE – Emissoras de rádio e repetidoras de TVs locais têm dificuldade para respeitar a lei eleitoral. Bater papo com todos os candidatos majoritários – um a cada dia – será impossível. 

NA MESMACandidatos de Paranaíba e região sentem na pele as mesmas contrariedades de candidatos de Dourados. Com a base na TV Morena em Três Lagoas, concorrentes à Câmara de outras cidades ficam ‘ao Deus dará’ para difundirem suas campanhas. E dá-lhe de sola de sapato gasta.

DE LEVE – Radialista se vale da rede social para repercutir mensagens (com coloração ‘chapa branca’) sobre a política nacional e regional. Com todo o direito que tem, o profissional revela suas preferências pessoais. Velada forma de não mexer com os inimigos do chefe.

EFEITO RÁDIO – Com folga financeira graças à atividade parlamentar, alguns vereadores dedicaram boa parte do mandato em espaço locado de rádio. Atualmente fora do ar, acusam que atividades no rádio e na Câmara não foram suficientes para marcar presença frente ao eleitorado.

FOTO 3X4 – Com campanha eleitoral idêntica às do tempo da ditadura, candidatos não conseguem resultados expressivos na caça ao voto. A mordaça é estendida a jornalistas de rádio e televisão em entrevistas ao vivo com os concorrentes a um lugar ao sol.

NA MEDIDA – Para quem gosta de música sertaneja de qualidade, o programa matinal da 104 Rádio Educativa FM é o canal. Em queda, o estilo universitário não tem vez na emissora.

NÃO QUER CALAR – Incompreensível os cortes no meio de reportagens veiculadas no ‘Cidade Alerta’, na Rede Record. Embora Marcelo Resende avise que “outras emissoras seguem com sua programação regional”, o jornalismo da Rede MS esnoba a ‘deixa’ e dá-lhe de cortar pela metade outras matérias da rede paulista. Faltam pautas na quadrada.

MAIS DO MESMO – Na ‘TVi’ ocorre o mesmo fenômeno. ‘Brasil Urgente’, na Band, – sem a menor cerimônia por parte da repetidora local – tem matérias cortadas, deixando espectadores insatisfeitos. E tudo para colocar no ar o ‘Shopping da Cidade’. Aplicativo da Band entra em sintonia no celular dos loucos por notícias.

PRA QUÊ? – Governo Temer não conseguiu acabar com a Empresa Brasileira de Comunicação –que tem regimento próprio e independente do governo federal. Cúpula do planalto central se dá por satisfeita com as atuações dos jornalistas Reinaldo Azevedo, Marco Antonio Villa, Alexandre Garcia, Willian Bonner e outros do mesmo time.

DE ÉRRES – Após separação de Ximbinha e Joelma, a fila andou; Willian Bonner e Fátima Bernardes, Aneglina Jolie e Brad Pit, Temer e Dilma, Sergio Moro e Lula. Relações - e delações - conturbadas.

Comércio local fora do horário nobre
DE BRISA – TV Morena continua com tabela de preços discricionária em sua grade publicitária. No horário nobre não existe veiculação significativa de ...
TVE tem novidade na cobertura do futebol de MS
VÍDEO MONITORAMENTO - Promotoria de Justiça do Patrimônio Público e Social de Dourados instaura Inquérito Civil para investigar eventual irregularida...
Só Corumbá terá Carnaval na televisão
MAMÃE EU QUERO – Procura-se o responsável pelo apoio midiático e discriminatório do governo do Estado. Apenas a Festa de Momo, de Corumbá, foi privil...
Proposta do Grupo Zahran é notícia em Goiás
BABADO GRANDE – Fevereiro começou com grande bomba em Goiás, com os rumores sobre a venda da mais antiga empresa de comunicação local. O Grupo Jaime ...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions