ACOMPANHE-NOS    
JULHO, TERÇA  14    CAMPO GRANDE 21º

De olho na TV

Vem aí, pesquisa radiofônica gigante

Por Reinaldo Rosa | 21/08/2019 12:55

MIRANDO MERCADO – “Em dez anos, o número de cristãos evangélicos no País cresceu 61% em 10 anos” citava dados do IBGE de 2010. Razão maior para o empresário Luciano Medeiros Barbosa transformar a antiga Rádio Cultura em Rádio Hora, voltada para a comunidade cristã.

À BOCA PEQUENA – Rádio Corredor informa que dentro de alguns dias será divulgada pesquisa –gigante- englobando a real situação de audiência radiofônica. Não estabelece a “campeã da hora” nem a mais ouvida; serve apenas para reflexões sobre o atual momento do dial local. Simples assim.

SÃO TOMÉ – Emissoras de rádios denominadas ‘educativas’ recebem o carimbo de operarem “sem fins lucrativos”. Anunciantes e agências de publicidade que tentam colocar as mesmas na mídia de campanha não têm a confirmação de tal afirmação.

VIA WHATS – Post sobre o passamento no jornalista Moacir de Castro Jorge teve reação de 90 pessoas e 56 comentários sobre o fato. No velório o número de colegas presentes não enchia uma mão. Viva a condolência digital.

PIONEIRO – Castro Jorge inovou no rádio de Mato Grosso do Sul. Criou uma agência de rádio que produzia, em Campo Grande, um radio jornal que era transmitido para 20 emissoras do interior do Estado. Ideia que, tempos depois, deu lugar à primeira edição da CBN sob a família Pedrossian.

DÁ O QUE TEM – Rede Globo responde com estocadas conhecidas a cada atitude do Planalto contra a emissora em particular. ‘Jornal Nacional’ priorizou matérias sobre reflorestamento e atitudes de países estrangeiros com relação a cortes de verbas destinadas ao país.

MÃO GRANDE – “A rede Record está acusando formalmente a Globo, a GloboNews, e a Band de terem exibido sem autorização suas imagens. Referem-se ao desfecho do caso do sequestrador que manteve reféns em um ônibus sobre a ponte Rio-Niterói”. Informa Ricardo Feltrin, no Uol.

TEXTO AUSENTE DO WHATS – “Quem não quer que todo mundo coma três vezes ao dia, tenha merenda, que vá à escola, que tenha cultura? Todo mundo quer a mesma coisa! Como a gente vai reconversar isso”? Indagações da atriz Sônia Braga.