A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 23 de Junho de 2017


  • Finanças & Investimentos
  • Finanças & Investimentos

    Emanuel Steffen - www.mayel.com.br


28/09/2016 09:15

Carro: o vilão do orçamento!

Por Emanuel Gutierrez Steffen (*)

Com a crise e o aumento do desemprego, cada vez mais pessoas precisam cortar gastos. Se tiver carro próprio, já parou para pensar que ele é dos grandes vilões do orçamento doméstico? "Com essa crise, muitas pessoas já tiraram filhos de escolas particulares e cortaram plano de saúde, mas ainda mantêm o carro próprio, sem perceber que ele é um mal para o orçamento de quem precisa economizar", afirma a planejadora financeira Marcia Dessen, diretora do IBCPF (Instituto Brasileiro de Certificação de Profissionais Financeiros). A planejadora fez uma simulação para mostrar quanto custa para manter um carro quitado de R$ 35 mil. Lembre-se de que, quanto maior o valor do carro, maior fica o gasto. Veja os cálculos:

IPVA: R$ 1.400 por ano
Seguro: R$ 3.500 por ano
Licenciamento: R$ 150 por ano
Manutenção: R$ 800 por ano
Multas: R$ 500 por ano
Gasolina: R$ 4.800 por ano
Estacionamento: R$ 3.600 por ano
Pedágio: R$ 1.200 por ano
Total de gastos: R$ 15.950 por ano ou R$ 1.329,16 por mês

Se a família tiver renda de R$ 5.000 líquidos, esse gasto representaria 27% da receita. Isso se o carro for quitado. Se a esse custo somar-se uma parcela de financiamento de R$ 700 por mês, por exemplo, esse número ultrapassa R$ 2.000 ao mês, ou 40% da renda. "Esse cálculo é conservador, pois não considerei a depreciação anual do carro", diz. A planejadora sugere uma atitude radical para quem precisa cortar as despesas na carne: vender o carro. Mas, se quiser manter o carro mesmo assim, há alternativas para gastar menos com transporte. As dicas abaixo são de Fábio Barbalho, planejador financeiro da consultoria Ponto C; Leandro Mattera, consultor automotivo pessoal; e Thiago Alvarez, presidente do GuiaBolso:

1. Faça manutenção - Segundo Mattera, o brasileiro tem o hábito de trocar demais de carro: uma vez a cada 1,7 ano. Isso faz com que perca muito dinheiro, pois cada vez que o carro sai da concessionária, pode perder de 15% a 20% do valor. "Se fizer as manutenções necessárias, pode ficar com o carro por cinco anos, que considero o mínimo", diz.

2. Opte por carros menores - Se tem um carro grande, troque por um carro menor. Quanto maior o carro, mais ele gaste com combustível, seguro, pneus, lavagem, estacionamento. Uma dica é olhar a tabela do Inmetro para ver se o carro é econômico.

3. Compartilhe o carro - É possível alugar o carro enquanto não usa. Há aplicativos que fazem a ponte entre o proprietário e quem quer alugar o carro.
4. Pegue carona - Thiago Alvarez sugere conversar com os colegas de trabalho ou pais e mães da escola, por exemplo, para dividir as despesas de transporte.

5. Vá de táxi ou Uber - Segundo Barbalho, sai mais em conta usar táxi ou Uber em vez do carro para circular pela cidade. "Vale mais a pena gastar R$ 700 por mês desse modo do que manter um carro de luxo dentro de casa", diz.

6. Diminua os gastos pela metade - Se tiver dois carros, venda um. "Quem mais precisa de carro são as pessoas que têm filhos pequenos ou que tenham dificuldades de locomoção, porque a acessibilidade no Brasil ainda é uma ilusão", diz Barbalho.

7. Use transporte público em pequenos trajetos - Segundo Barbalho, se morar até 10 km do trabalho vale mais a pena ir de transporte público. Se morar distante do trabalho, busque opções de fretados.

8. Vá a pé ou de bicicleta - Além de economizar com transporte, economize com a academia também.

9. Alugue - Os aluguéis de carros estão mais baratos. Alugar para o fim de semana pode fazer parte de uma estratégia, afirma Alvarez: transporte público e táxi ou Uber durante a semana; aluguel do carro no fim de semana para viagens.

Fonte: Uoleconomia
Disclaimer – A informação contida nestes artigos, ou em qualquer outra publicação relacionada com o nome do autor, não constitui orientação direta ou indicação de produtos de investimentos. Antes de começar a operar no SFN - Sistema Financeiro Nacional o leitor deverá aprofundar seus conhecimentos, buscando auxílio de profissionais habilitados para análise de seu perfil específico. Portanto, fica o autor isento de qualquer responsabilidade pelos atos cometidos de terceiros e suas consequências.

(*) Emanuel Gutierrez Steffen é criador do portal www.mayel.com.br

4 passos para sair do superendividamento
Toda semana recebemos mensagens de leitores realmente desesperados. Muitos destes que conversam conosco se encontram em uma situação grave de endivid...
Gere mais renda revendendo importados
Uma das formas mais seguras de gerar renda extra ou de iniciar um negócio de sucesso é através de produtos para revender. Isso porque independente do...
Conselhos aos jovens que estão desempregados
Segundo o IBGE, o desemprego entre os jovens é de quase 29%. E não há perspectivas de uma rápida melhora. A nova geração encara desafios que a maiori...
Por que políticas de estímulo geram recessões
A falácia da vidraça quebrada, popularizada por Frédéric Bastiat, continua sendo a metáfora perfeita para mostrar as consequências daquilo que se vê ...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions