ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, SEXTA  18    CAMPO GRANDE 18º

Direto das Ruas

Lixo e até sangue nas paredes tomam conta do que restou da Cidade do Natal

Vídeo enviado por leitor mostra situação precária do espaço que reunia famílias nos finais de ano

Por Alana Portela | 12/05/2021 10:07


Sem decoração natalina há muito tempo, a Cidade do Natal virou problema sanitário nos Altos da Avenida Afonso Pena. Vídeo enviado por leitor mostra lixo tomando conta do lugar em Campo Grande. O espaço que reunia famílias nas festas de finais de ano agora está depredado, suja e com até com manchas de sangue nas paredes.

“Pelo jeito que está pobre parece que tem um ano que não passa por reparos. Tem que andar com cuidado. Tem muitas fezes, roupas e até uma frigideira, dando a entender que alguém passa a noite lá”, diz o fotógrafo Vinícius Santana, 40 anos.

Na manhã desta quarta-feira (12), ele esteve no local para fazer fotos de araras, contudo ao ver a situação precária do espaço cultural ficou indignado e resolveu gravar um vídeo expondo tudo.

As imagens foram enviadas por ele através do Direto das Ruas. Na gravação é possível ver as casas abertas, cheia de lixo, sacolas plásticas e tem até uma mala com roupas, além de um cobertor.

Sangue pelas paredes no interior de uma dos imóveis da Cidade de Natal.
Sangue pelas paredes no interior de uma dos imóveis da Cidade de Natal.

Além da revolta com a sujeira e depredação do espaço, Vinícius ficou assustado ao ver manchas de sangue espalhados pelas paredes de uma das casas do local. “Alguém deve ter brigado por ali”.

A cena gerou a revolta do leitor que agora alerta para o perigo no local. “É um perigo porque alguém pode estar se escondendo ali. Muita gente vai caminhar no local, às vezes uma pessoa pode estar distraída e ser surpreendida por um estuprador ou assalto”.

O medo também é pelo espaço ficar ao lado do Parque das Nações Indígenas, espaço que costuma ter bastante fluxo de pessoas.

O Campo Grande News entrou em contato com a prefeitura de Campo Grande para obter uma resposta a respeito da situação do espaço, porém até o fechamento desta matéria não obteve retorno.


Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário