ACOMPANHE-NOS    
JANEIRO, QUARTA  19    CAMPO GRANDE 24º

Economia

Governo anuncia plano de R$ 763 milhões para recuperação da economia

Setores de bares, restaurantes, turismo e cultura serão beneficiados com as medidas

Por Jhefferson Gamarra e Gabriela Couto | 28/06/2021 10:26
Governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja, durante anuncio dos investimentos (Foto: Paulo Francis)
Governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja, durante anuncio dos investimentos (Foto: Paulo Francis)

Um plano de recuperação econômica para setores impactados pela pandemia da covid-19 foi anunciado nesta segunda-feira (28) pelo governador de Mato Grosso do Sul Reinaldo Azambuja (PSDB). No total, R$ 763 milhões serão aplicados para contratação de crédito, pagamentos de auxilio emergencial e isenção de impostos.

De acordo com o governador Reinaldo Azambuja, os novos benefícios fora anunciados após ouvir demandas dos setores e seguiram três eixos principais: auxílio financeiro, medidas fiscais e microcrédito orientado.

"Temos bilhões em obras do governo presente e lançamos agora esse pacote para retomada da economia, estendendo as mãos aos setores mais atingidos pela pandemia. Com isso, Mato Grosso do Sul se prepara para um novo tempo, de pós-pandemia, com uma economia pujante e com oportunidades para todos”, destacou.

Microempreendedores com renda ou faturamento de até R$ 360 mil por ano poderão adquirir um crédito de até R$ 30 mil com juro zero. O parcelamento poderá ser feito em até 24 vezes com carência de 6 meses.

Cerca de 6 mil bares e restaurantes de Mato Grosso do Sul, optantes pelo simples nacional terão isenção total de ICMS até dezembro de 2022. Outras empresas do setor terão a redução da alíquota, que é de 7%, para 2%.

O pacote prevê também a isenção de IPVA 2022 para veículos utilizados nos segmentos de turismo, bares e restaurantes. A renúncia fiscal prevista para esses setores com os impostos estaduais soma R$ 14,8 milhões.

Trabalhadores  bares, restaurantes e do turismo, como guias, agentes de viagens, organizadores de eventos, microempreendedores individuais e ambulantes do setor de alimentação vão receber um auxílio de R$ 1.000 por mês, durante 6 meses. Apenas no auxílio emergencial serão investidos R$ 6 milhões para atender cerca de mil pessoas.

O setor cultural também terá uma espécie de auxilio emergencial, onde serão investidos R$ 24 milhões, além disso, R$ 15 milhões serão aplicados em festivais e R$ 18,65 milhões em obras de reformas do patrimônios culturais,

Artistas cadastrados na Fundação de Cultura do Estado, que atuaram no segmento  por pelo menos12 meses antes do início da situação da pandemia receberão um auxilio de R$ 600 durante 3 meses.

Outras 100 mil famílias que fazem parte do programa Mais Social receberão um cartão alimentação de R$ 200 mensais. Nesse caso serão investidos R$ 380 milhões até o fim de 2022.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário