A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

07/02/2013 14:16

Janeiro teve inflação de 1,38%; índice é o dobro do mês passado

Nícholas Vasconcelos
Material foi um dos itens que pesou no bolso do consumidor no mês de janeiro. (Foto: Rodrigo Pazinato)Material foi um dos itens que pesou no bolso do consumidor no mês de janeiro. (Foto: Rodrigo Pazinato)

A alimentação, educação e as despesas pessoais fizeram o IPC (Índice de Preços ao Consumidor) chegar a 1,38% no mês de janeiro em Campo Grande. Na comparação com o mês de dezembro, quando o IPC chegou a 0,64%, o índice dobrou.

Segundo o estudo do Nepes (Núcleo de Pesquisas Econômicas) da universidade Anhanguera/Uniderp divulgado hoje, a inflação acumulada nos últimos 12 meses já chega a 6,17% na Capital, ainda abaixo dos 6,5% estabelecidos pelo CMN (Conselho Monetário Nacional).

“Os grupos Alimentação e Despesas Pessoais têm contribuído muito para o aumento da inflação, com altas variações em janeiro, assim como nos meses anteriores. Desse modo, a inflação acumulada em 12 meses na cidade de Campo Grande”, explicou o coordenador do Nepes, Celso Correia de Souza.

O grupo Alimentação apresentou inflação de 2,18%, provocado pelas altas de alguns cortes de carne bovina, frutas e legumes. O chuchu, por exemplo, teve aumento de 39%, enquanto a beterraba sofreu reajuste de 37%.

Entre as carnes, o patinho teve alta de 8,29%, seguido da picanha com 3,30%. Por outro lado, alguns cortes como a ponta de peito teve diminuição de 5,74%, seguido pelo fígado com menos 5,20% e o músculo com deflação de 4,62%.

Os serviços sofreram alta de 0,58%, provocada pelo reajuste do diesel com 2,54%, carro novo 1,90% e ônibus intermunicipal com 0,40%.

A Educação apresentou alta de 3,42%, índice puxado pelo aumento das mensalidades e artigos de papelaria.

Também acompanhou a alta o grupo Despesas Pessoais, com inflação de 3,94%. Os principais aumentos de preços foram nos cigarros 12,19%, mensalidade de clube 9,68%, manicure e pedicure 6,59%. Já as quedas de preços ocorreram com protetor solar -6,59% e creme dental com menos 1,96%.

De acordo com o Nepes, o vestuário apresentou forte queda de 2,16% no mês de janeiro na comparação com o mês anterior. O produto que mais caiu foi a sandália feminina com diminuição de preços de 3,09%, calça comprida feminina com 2,61% e tênis com -2,10%.

Confaz aprova incentivos fiscais concedidos pelo Governo de MS
O Confaz (Conselho Nacional de Política Fazendária) aprovou a convalidação de todos os incentivos fiscais concedidos pelo Governo do Estado em Mato G...
Consumidor terá 30 dias para contratar serviço de esgoto antes de ser multado
Será apresentado às 9h de segunda-feira (18) um termo de parceria entre o Procon-MS (Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor de Mato ...


É PESSOAL É O PROMEIRO MES DE ADMONISTRAÇÃO DO BERNAL E JÁ NESTE PÉ... QUERO VER NO FINAL DO MANDATO DESTE CARA ... KKKKKK
 
ELY MONTEIRO em 08/02/2013 07:51:03
Sei não....Tô achando que a coisa tá desgringolando.Tô ficando preocupado o sô.
 
José Alberto em 07/02/2013 19:29:29
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions