ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
ABRIL, DOMINGO  14    CAMPO GRANDE 23º

Economia

Outras duas operadoras são denunciadas por embolsar desconto de clientes

“TIM e Claro cometeram o mesmo crime que a Vivo. Todo mundo roubando o consumidor”, diz Duarte

Aline dos Santos | 01/09/2022 10:34
Apesar de redução de imposto, o valor da fatura de celular permaneceu inalterado. (Foto: Kísie Ainoã)
Apesar de redução de imposto, o valor da fatura de celular permaneceu inalterado. (Foto: Kísie Ainoã)

Mais duas operadoras serão denunciadas por embolsar o desconto dos clientes em Mato Grosso do Sul. Nesta quinta-feira (dia primeiro), o deputado estadual Paulo Duarte (PSB) deve entrar com representação no MPF (Ministério Público Federal) contra a Vivo, já citada em reportagem ontem, Claro e TIM. O parlamentar pede a devolução em dobro dos valores devido aos consumidores. Ainda não há mensuração do montante e nem o quantitativo de clientes prejudicados.

“Mas com certeza estamos falando em milhões e milhões de reais que as empresas surrupiaram. Verifiquei que a TIM e a Claro cometeram o mesmo crime que a Vivo. Todo mundo roubando o consumidor. Vou entrar com a representação para que o Ministério Público Federal exija a devolução em dobro como diz o Código de Defesa do Consumidor”, afirma Duarte.

Ontem, o parlamentar informou que levaria o caso à Justiça. Contudo, nesta quinta-feira, ele optou por acionar o MPF. “É o caminho mais rápido e adequado pela lesão ao consumidor e pelo crime de apropriação indébita cometido pelas operadoras”.

A lei federal limitando a alíquota de ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) a 17% foi publicada em 23 de junho e a decisão do governo do Estado, oficializando a redução de 27% para 17%, teve validade a partir de julho.

 O decreto do governador Reinaldo Azambuja (PSDB) padronizando a alíquota de 17% para as operações com os combustíveis, gás natural, energia elétrica, comunicações e transporte coletivo foi publicado em 6 de julho, com efeito retroativo ao dia primeiro daquele mês.

Contudo, enquanto o preço da gasolina logo caiu, o valor da conta de celular permaneceu inalterado.

Deputado mostra cálculo para mostrar que conta não caiu apesar da redução de alíquota do ICMS. (Foto; Marcos Maluf)
Deputado mostra cálculo para mostrar que conta não caiu apesar da redução de alíquota do ICMS. (Foto; Marcos Maluf)

Economista, ex-secretário estadual de Fazenda e com carreira na área tributária, Paulo Duarte apresentou o comparativo entre contas datadas de 25 de maio e 25 de agosto deste ano. Em maio, antes da lei federal, o plano contratado de internet, telefone e serviços digitais totalizava R$ 154,99. No mês de agosto, a conta posterior à legislação trouxe os mesmos R$ 154,99.

Porém, segundo o deputado, a conta de agosto pelo serviço deveria ser de R$ 135,85, com redução de R$ 19,14. O cálculo leva em consideração a alíquota de 17%.

Questionada pelo Campo Grande News, a Vivo citou que ainda vai repassar a redução da carga tributária do ICMS ao consumidor.

“Dentro deste cenário, até setembro aproximadamente 80% dos clientes já deverão ser impactados com a redução dos valores em sistema, mantendo-se o processamento do ajuste na fatura até o limite do mês de novembro. Desde o início de agosto, os clientes já podem adquirir ou migrar para os planos com redução de carga tributária, se desejarem”, informa a operadora.

A demora foi duramente criticada pelo deputado estadual que se lançou aos cálculos para alertar os consumidores. “Isso é feito de má-fé, essas empresas lidam com tecnologia, não existe essa desculpa. Eles tentaram aplicar um golpe, ‘se colar, colou’. É óbvio que eles têm todos os controles, fazem isso do dia para a noite. Tem que lembra que o serviço deles é de alta tecnologia, são empresas multinacionais”, afirma Duarte.

“Estamos falando em milhões e milhões de reais que as empresas surrupiaram", diz Paulo Duarte. (Foto: Marcos Maluf)
“Estamos falando em milhões e milhões de reais que as empresas surrupiaram", diz Paulo Duarte. (Foto: Marcos Maluf)

Procon vai esperar - O Procon aguarda o repasse de informações das operadoras de celulares à Sefaz (Secretaria Estadual de Fazenda) até 20 de setembro e, caso confirmado que as empresas embolsaram o desconto que o cliente teria direito com a redução da alíquota do ICMS, vai abrir procedimentos para pedir devolução à vista e em dobro.

Superintendente do Procon, Rodrigo Vaz afirma que é preciso aguardar até o dia 20 para a análise porque nesta data se completa o ciclo de emissão das notas fiscais das operadoras, faturamento e recolhimento.

Caso se confirme que as contas das operadoras de celular não caíram de preço, o órgão vai pedir a devolução em dobro. Rodrigo lembra que a empresa pode parcelar, mas só com aval do consumidor, considerando que o cliente paga a fatura à vista.

O Procon não tem dados de quantos são os clientes de operadoras de celular em Mato Grosso do Sul. Os consumidores também podem procurar o órgão estadual diretamente para pedir a devolução de valores.

Quadro mostra comparativo de como deveria ficar fatura com redução de ICMS apos a lei. 
Quadro mostra comparativo de como deveria ficar fatura com redução de ICMS apos a lei.

Operadoras – O Campo Grande News solicitou posicionamento da TIM e da Claro, mas não obteve resposta até a publicação da matéria.

Por meio da assessoria de imprensa, a TIM informou que "a execução da redução da carga tributária dos serviços de telecomunicações impõe adaptações sistêmicas e operacionais em que a TIM vem trabalhando desde que a redução de ICMS foi adotada por parte dos Estados".

Informou ainda que "seus efeitos serão necessariamente aplicados em fases" até novembro. "Desde o mês de agosto, já são ofertados, nas lojas e no site da empresa, novos planos comerciais com o desconto, além de benefícios adicionais. A redução na fatura dos clientes de planos pós-pagos está sendo aplicada por ciclos de faturamento e será finalizada até o mês de novembro. Os clientes de planos pré-pagos já se beneficiam nas recargas feitas desde agosto com o incremento de franquia".

A TIM também garantiu que vai compensar os clientes "para os quais não foi possível aplicar nas faturas a redução de forma imediata".

(*) Matéria alterada às 13h58 para acréscimo do posicionamento da TIM.

Nos siga no Google Notícias