A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 24 de Setembro de 2018

17/01/2018 19:45

Estadual começa sem o Morenão e com times de olho em título e objetivos

Corumbaense e Operário de Dourados fazem o único jogo desta quarta-feira; suspensão de uso de estádio na Capital adia estreias do Operário, União, Comercial e Novo

Humberto Marques
Morenão será desfalque no início do Estadual; falta de documentação impede uso do estádio. (Foto: Marcos Ermínio/Arquivo)Morenão será "desfalque" no início do Estadual; falta de documentação impede uso do estádio. (Foto: Marcos Ermínio/Arquivo)

Às 20h45 desta quarta-feira (17), terá início a edição de 2018 do Campeonato Sul-Mato-Grossense de Futebol. Independentemente dos problemas que marcaram essa primeira rodada –inclusive com o adiamento de jogos diante da proibição de uso do Morenão, em Campo Grande–, clubes chegam ao torneio com aspirações de conquistar o título e, por tabela, vagas em competições nacionais. Caminho nem sempre fácil, tanto pela falta de dinheiro como de condições técnicas para preparação de seus plantéis. Mas que, ainda assim, atrai clubes para a disputa.

Com a meta de chegar às semifinais do Estadual, o União/ABC levará para os gramados um elenco com média de idade de 21 anos. “Noventa por cento de nossos atletas são jovens das categorias de base. A eles estão mesclados nomes mais experientes, com passagens pelo futebol do Estado e do interior de São Paulo e do Paraná”, explica o auxiliar técnico Renan Fernando Torres de Oliveira, que vai assessorar o técnico Robson Matos –que até 2017 foi preparador do clube e, agora, assume o comando do União.

Em 2017, o União foi o quinto colocado do Estado –até aqui o ponto alto de uma parceria com o ABC iniciada há três anos, ainda na Série B. “Vamos entrar para fazer o nosso melhor. Tentar ficar entre os quatro e lutar pelo título”, explica Renan. A preparação do clube começou em 11 de dezembro, e envolveu amistosos com o Corumbaense e o Sub-19 do Comercial (que disputou a Copa São Paulo de Futebol Junior deste ano).

O União estrearia no Estadual às 20h10 desta quarta perante o Operário. A partida, porém, foi adiada diante da negativa do MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul) para liberação do Morenão –devido a falta de laudos de segurança e prevenção e combate a incêndio e pânico, bem como vistoria de Engenharia.

Elenco do Operário, apresentado no dia 10; clube sonha com o título. (Foto: Divulgação)Elenco do Operário, apresentado no dia 10; clube sonha com o título. (Foto: Divulgação)

Comerário – O Galo apresentou seu elenco no dia 10, em evento no Grand Park Hotel. O técnico Celso Rodrigues foi mantido, assim como o treinador de goleiros Ricardo Grahl. O presidente Estevão Petrallas afirmou, na ocasião, que o clube trabalha pelo título do estadual e também da Copa Verde –a qual entra na disputa em fevereiro contra o Cuiabá-MT– e ainda para garantir o calendário do Operário em 2019.

“Nosso único objetivo é ser campeão e iremos buscar os títulos das competições que iremos disputar”, sintetizou Celso Rodrigues, garantindo que o Operário buscou jogadores “com DNA vencedor” para este ano. O clube também aposta em novidades também fora das quatro linhas, com a intensificação de seu programa de Sócio Torcedor, a ser gerido pela empresa Dijex.

Terceiro representante da Capital na competição, o Comercial iniciou a preparação para o torneio há duas semanas. “O técnico do ano passado, Mário Tilico, está mantido”, afirmou o presidente do Colorado, Valter Mangini. O treinador tem no currículo passagem pelo São Paulo, enquanto jogador, e títulos em Alagoas e no Pará.

O elenco do Comercial foi praticamente todo renovado: foram quatro renovações e 16 novas contratações, “todas de nível do nosso Estadual e das quais dez são das categorias de base que disputaram a Copa São Paulo”, destacou o dirigente. Vangini garante que o Lobo Guará “montou um time para disputar o título, primeiro classificando na fase de grupos e, depois, no mata-mata”.

Renovado, Comercial teve 16 contratações para o estadual. (Foto: Nelson Corrales/Arquivo)Renovado, Comercial teve 16 contratações para o estadual. (Foto: Nelson Corrales/Arquivo)

Também da Capital, o Novo, treinado por Robert Almeida, estrearia no dia 20 contra o União/ABC. No entanto, sem o Morenão, o clube está ameaçado de entrar em campo apenas em 4 de fevereiro, quando encararia o Costa Rica no Laertão, na casa do adversário. O clube veio de amistoso com uma seleção de amadores de Sidrolândia, onde teve vitória por 2 a 0.

Carijó – Atual campeão estadual, Corumbaense enfrenta o Operário de Dourados logo mais no Arthur Marinho, já de olho nos dias 21 e 24, quando terá compromissos contra o Ceilândia-DF pela Copa Verde. “Nós trouxemos um time bastante competitivo, com bastante competência. São jogadores acostumados com competições de alto desempenho”, afirma o supervisor do Carijó da Avenida, Júnior Teixeira.

Para 2018 (quando também disputa a Série D do Brasileiro), o Corumbaense manteve cinco jogadores do elenco do ano passado, contratando outros 20. “Entre eles o Adriano da Mata, que deu o passe para o Wendell Lira [ex-Vila Nova-GO] marcar o gol mais bonito de 2015, e o Eduardo Arroz, que estava no Operário e já rodou o país inteiro também”, destacou Teixeira. O Corumbaense treina desde 1º de dezembro.

Cobra – O Crec (Costa Rica Esporte Clube), a ser treinado por Chiquinho Lima, também acabou prejudicado em sua estreia com o impedimento de uso do Morenão. A Cobra do Norte começou os preparativos para o Estadual em novembro e, em 27 de dezembro, iniciou os treinamentos no gramado. “O elenco não está totalmente fechado. Estamos preparados para a estreia e nos organizar durante a competição”, declarou César Mignoli, diretor do Costa Rica.

Lamentando o atraso na estreia na competição, o dirigente reforça que o clube enfrentou algumas dificuldades geográficas para a preparação do time. Entre elas, o fato de Costa Rica estar a 305 quilômetros da Capital e também distante de outros centos com o futebol melhor desenvolvido, o que prejudicou a preparação.

Com isso, o time disputou apenas um amistoso, contra um combinado de Chapadão do Céu (GO). Do elenco de 2017, foram mantidos poucos atletas. “É difícil manter um time de um ano para o outro, a não ser que a equipe participe de outras competições”, pontuou Mignoli. Até o momento, o Costa Rica tem apenas o Estadual como compromisso oficial para 2018.

Campeão em 2017, Corumbaense ainda disputará a Copa Verde e a Série D. (Foto: Arquivo)Campeão em 2017, Corumbaense ainda disputará a Copa Verde e a Série D. (Foto: Arquivo)

Fórmula – Urso de Mundo Novo, Sete de Dourados, Águia Negra de Rio Brilhante e Operário de Dourados também estão inscritos na competição –que no fim de 2017 viu o Naviraiense desistir do torneio. Com o rearranjo da tabela, nenhum time deve ser rebaixado em 2018.

O Estadual será disputado em quatro fases. Na primeira, os times estão divididos nos grupos A (Comercial, União/ABC, Novo, Operário e Costa Rica) e B (Sete, Operário de Dourados, Águia, Urso e Corumbaense) e jogarão turno e returno.

Os quatro melhores de cada chave vão para a segunda fase, também em dois turnos, onde enfrentarão um adversário. Os vencedores avançam para as semifinais que, por sua vez, apontarão os finalistas –o campeão será definido, também, em duas partidas.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions