ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JUNHO, TERÇA  18    CAMPO GRANDE 21º

Esportes

Jogos Radicais Urbanos em novembro no Parque das Nações Indigenas

Paulo Nonato de Souza | 18/07/2017 17:14
Competição de stand up paddle entre papais noéis na lagoa do Parque das Nações Indígenas no Natal de 2014 (Foto: Alcides Neto/Arquivo)
Competição de stand up paddle entre papais noéis na lagoa do Parque das Nações Indígenas no Natal de 2014 (Foto: Alcides Neto/Arquivo)

O Parque das Nações Indígenas, em Campo Grande, será palco da primeira edição dos Jogos Radicais Urbanos de Mato Grosso do Sul entre 17 e 19 de novembro deste ano. A competição organizada pela Prefeitura de Campo Grande em parceria com o Governo do Estado será disputada em quatro modalidades de esportes de aventura: stand up paddle, corrida de trilha, mountain bike e maratona aquática.

“Vamos montar uma estrutura de competição na lagoa do Parque das Nações Indígenas com raia, como se fosse uma piscina, para servir de balizamento. Na lagoa teremos o stand up paddle e a maratona aquatica”, disse nesta terça-feira, 18, o diretor-presidente da Funesp (Fundação Municipal de Esporte e Lazer), Rodrigo Terra, em entrevista ao Campo Grande News.

Segundo ele, os Jogos Urbanos de Mato Grosso do Sul serão de âmbito nacional e terá 900 vagas abertas para a inscrição de atletas a partir do mês de outubro. “Vamos lançar um site específico na Internet para as inscrições”, ressaltou Rodrigo Terra.

Ainda de acordo com o diretor-presidente da Funesp, a última etapa do Campeonato Brasileiro de Stand up paddle vai acontecer dentro dos Jogos Urbanos em Campo Grande, o que garante a presença dos melhores atletas brasileiros da modalidade no evento sul-mato-grossense.

Sobre as condições da lagoa do parque para receber as provas de stand up paddle e maratona aquatica, Rodrigo Terra disse que o Imasul (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul) fará análise da qualidade água para detectar se há algum tipo de risco à saúde humana.

“Em princípio o que sabemos é que a água da lagoa está em condições. O Imasul dará seu parecer, mas é importante lembrar que aquela é uma água corrente, não é uma água parada, e isso contribui para a qualidade”, comentou.

Nos siga no Google Notícias