A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 18 de Janeiro de 2018

07/04/2017 11:36

Prefeitura prepara sistema com regras para melhorar investimento em esporte

Paulo Nonato de Souza
O presidente da Funesp, Rodrigo Terra, defende a criação do Sistema Municipal de Esporte e Lazer em Campo Grande (Foto: André Bittar)O presidente da Funesp, Rodrigo Terra, defende a criação do Sistema Municipal de Esporte e Lazer em Campo Grande (Foto: André Bittar)

O diretor-presidente da Funesp (Fundação Municipal de Esporte e Lazer), Rodrigo Terra, anunciou nesta sexta-feira, 07, a criação do Sistema Municipal de Esporte e Lazer com a proposta de estabelecer conceitos e definir as regras da atividade desportiva e de lazer em Campo Grande, como direcionamento de ações e destinação de recursos públicos para o setor.

“Faz parte do sistema a criação do Conselho Municipal de Esporte e Lazer, o Plano Municipal de Esporte e Lazer e o Forum Municipal de Esporte e Lazer, e isso tudo, na prática, significa a participação da sociedade em uma política de esporte e lazer do município. Isso é inédito em nosso Estado, não tem precedentes em Mato Grosso do Sul”, disse Rodrigo Terra, em entrevista ao Campo Grande News.

Segundo ele, a proposta será apresentada na Câmara Municipal pelo prefeito Marquinhos Trad, dia 8 de maio, durante um seminário sobre o assunto com a participação da diretora do Departamento e Planejamento e Gestão Estratégica do Ministério do Esporte, Cássia Damiani.

“Será o dia todo de debates. Ao fim do dia formaremos uma Comissão para estudar com profundidade o tema e elaborar o projeto que será apresentado na Câmara Municipal para ser transformado em lei”, disse.

Rodrigo Terra avalia que a falta de um Sistema Municipal de Esporte e Lazer, como definidor de regras de funcionamento com competências e finalidades, a exemplo do que já acontece na área privada, é um problema sério na área pública que precisa ser resolvido.

“A criação de um Sistema de Esporte e Lazer é uma necessidade hoje não apenas em Campo Grande, mas em nível de Brasil também. Não se tem definição do papel dos entes federativos, diferente da política esportiva privada. Por exemplo, no futebol você sabe claramente qual o papel do clube, da federação, da confederação e da Fifa, mas não é o que acontece no setor público. É comum vir atletas e dirigentes ao meu gabinete pedir apoio para representar o Estado em competições nacionais, mas acontece que minha competência é em nível de município”, comentou.

Rodrigo Terra ressalta que as entidades que farão parte do Sistema terão o papel de fiscalizar, ordenar e sugerir ações para o desenvolvimento da atividade de esporte e lazer em Campo Grande.

“Por exemplo, o Plano Municipal terá o papel de definir a política de esporte e lazer a ser seguida no município. Hoje quem define essa política é o presidente da Funesp, ou seja, a tendência é que seja adotada a modalidade da sua preferência pessoal, se esporte de rendimento ou esporte educacional, e não pode ser assim. Outra entidade fundamental do Sistema é o Conselho Municipal, que terá o papel de fiscalizar as ações, e o Forum vai promover conferências para definir o direcionamento que a sociedade quer para a política de esporte e lazer”, destacou.

Rediscutir o FAE - Além da criação do Sistema Municipal de Esporte e Lazer, Rodrigo Terra afirmou que rediscutir o FAE (Fundo de Apoio ao Esporte), criado pela Lei Municipal 3.366 de 1997 para dar apoio financeiro aos atletas e entidades esportivas, é uma de suas prioridades à frente da Funesp.

“O FAE que queremos é esse que aí está? Não é esse FAE? Então vamos rediscutir seu funcionamento e buscar o FAE que queremos. A ideia é que o FAE faça parte do Sistema”, declarou.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions