A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

31/12/2008 10:45

Vitórias do esporte para MS vieram de longe

Redação

Atletas do Estado foram para o outro lado do mundo em 2008 disputar as Olimpíadas. No Brasil, um campo-grandense e um douradense estiveram entre os destaques do Campeonato Brasileiro. Além de tudo disso, Campo Grande sediou pela primeira vez o Campeonato Brasileiro de Ginástica Artística e acabou com a medalha de ouro.

No futebol regional, o Ivinhema foi campeão sul-mato-grossense, em mais um ano de poucas novidades boas para os times do Estado e denúncias contra a Federação de Futebol. Segundo o presidente do Vila Nova, time das Moreninhas, Jorge Dauri de Oliveira, Francisco Cezário ofereceu a ele R$ 25 mil para que o clube disputasse o torneio paulista com a camisa e metade dos jogadores do Misto, time de Três Lagoas.

Para os mais tradicionais times do Estado, foi mais um ano ruim. O operário ainda enfrentou o vexame do cancelamento de amistoso com Operário, marcado para 19 de agosto. Faltando 4 dias para a partida, oficiais de Justiça passaram pelos pontos de venda recolhendo parte do que foi recolhido já com a venda de 2 mil ingressos, para pagamento das dívidas trabalhistas do Galo.

Já o Comercial, comemorou 65 anos, com troca de diretoria e lançamento da organização Atac (Associação de Torcedores Amigos do Comercial) na tentativa de reerguer o time.

A redenção no futebol veio mesmo de tabela, pelos pés do douradense Keirrison que venceu a disputa com o são-paulino pelo título de revelação do campeonato. Keirrison, de 20 anos, também foi um dos artilheiros do Brasileirão e acabou sondado por grandes clubes como Real Madrid e Valência, ambos da Espanha, e CSKA, da Rússia. Tudo indica, no entanto, que o craque douradense deixará o Coritiba em abril rumo ao Palmeiras. Outro bom motivo para comemorar veio do campo-grandense Jean, campeão brasileiro pelo São Paulo.

Alegria e tristeza em Pequim - Mato Grosso do Sul ganhou a primeira medalha olímpica da história, com o douradense Lucas, bronze como meio-campo da seleção brasileira de Futebol. Dois meses depois, ladrões levaram a medalha da casa onde mora atualmente, na Inglaterra.

Em apenas 53 segundos, a judoca sul-mato-grossense Michelle Ferreira conquistou bronze na categoria até 52kg, em setembro, nas Paraolimpíadas de Pequim. O problema de visão não foi um empecilho para ela encaixar um ippon na espanhola Sheila Hernandez e conquistar a medalha.

Michelle dividiu o terceiro lugar da categoria até 52kg com a russa Alesya Stepanyuk. O ouro ficou com a chinesa Na Cui e a França conquistou a prata com Sandrine Aurieres-Martinet. E como o mundo do esporte não é feito só de vitórias, em agosto aconteceu um dos momentos mais tristes da história do esporte sul-mato-grossense.

Decisão da comissão veterinária e do júri de campo dos Jogos Olímpicos de Pequim vetou o cavalo Nilo V.O de participar da competição, deixando de fora, por tabela, o sul-mato-grossense Rogério Clementino.

Os juízes alegaram que Nilo V.O apresentava um trote irregular. Nascido em Ivinhema e criado em Tacuru, Rogério era uma das grandes esperanças de medalha de Mato Grosso do Sul. Ele foi o primeiro cavaleiro negro classificado para competir em uma prova Olímpica de hipismo pelo Brasil. A decisão dos juízes de excluir Nilo V.O foi duramente criticada pela delegação brasileira de hipismo.

Outra esperança de ouro em Pequim, era a dupla da aquidauanense Talita, que deixou escapar a chance de medalha ao perder a partida, em agosto, contra as chinesas Chen Xue e Xi Zhang nos Jogos Olímpicos.

A derrota de Talita e Renata foi por 2 sets a 0 (21/19 e 21/17). Foi a primeira vez que o Brasil ficou de fora do pódio no vôlei de praia.

Coisa nossa -  Em novembro, a equipe da Funesp (Fundação Municipal de Esporte), de Campo Grande, fez bonito no Campeonato Brasileiro de Ginástica Artística e ficou com o ouro na categoria feminina pré-infantil B. A equipe obteve 222.966 pontos. Pela primeira vez, o palco da disputa foi o SESC Camillo Boni, em Campo Grande.

Outro bom resultado foi o terceiro lugar naquele campeonato para Larissa Dittmar, também da Funesp. No pré-infantil B, ela ficou atrás apenas de Anna Lúcia, do CAP (Clube Atlético do Pará), e Fernanda Maiato, do Grêmio Náutico União, do Paraná.

Na lista de revelações, vale a comemoração por títulos conquistados pelo nadador Lucas Kaniesky, com vitórias no Campeonato Brasileiro Júnior de natação e medalha de ouro nos 1.500 da Copa Latina. O nadador é considerado umas das principais promessas da natação brasileira.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions