A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 22 de Maio de 2018


  • Jogo Aberto
  • Jogo Aberto

    jogoaberto@campograndenews.com.br


29/11/2017 06:00

A votação da reforma e seus desdobramentos

Marta Ferreira

Mudei - Em relação à primeira votação da reforma da previdência, dois deputados mudaram o voto, de favorável para contrário: Paulo Siufi (PMDB) e Coronel David (PSC). Ambos haviam votado a favor do projeto na primeira sessão que apreciou o projeto e ontem decidiram mudar de lado.

E a Secretaria?– Ao ir contra o projeto do Executivo, considerando essencial para equilibrar as finanças, David coloca em risco a nomeação para a Secretaria de Justiça e Segurança Pública, antes dada como certa. Ele já vinha participando de reuniões com o governador Reinaldo Azambuja de preparação para assumir o cargo, pelo qual teria aberto mão da disputa por uma vaga na Assembleia.

Sucinto- Indagado pela coluna a respeito, David foi de poucas palavras. “Sou servidor público”, disse apenas. O secretário de Governo e Gestão Estratégica, Eduardo Riedel, também foi procurado e não quis comentar o assunto.

Temor - Na entrada para a tumultuada sessão de ontem, teve deputado que hesitou quando viu a situação do auditório, tomado de policiais e manifestantes. Um dos incentivadores para que o grupo entrasse de uma vez foi o deputado Eduardo Rocha (PMDB).

Sem frescura – O petista João Grandão também deu uma chamada em colegas, que queriam fazer a votação com todo mundo sentado, como é o normal. “Vai em pé mesmo”, exclamou.

Poucas falas – Foi um dia de poucas falas. Os únicos a discursar foram os contrários ao projeto, entre eles Lidio Lopes (PEN), Pedro Kemp, João Grandão e Amarildo Cruz, todos do PT. O restante preferiu dar o voto da sua cadeira, dizendo no máximo sim ou não.

“Surpresa” – Único deputado do PDT na casa, George Takimoto votou com o governo. A posição surpreendeu os que esperavam postura alinhada à oposição, considerando que o partido quer lançar candidato ao governo do Estado em 2018.

À francesa – Outros preferiram a ausência a um posicionamento. Grazielle Machado (PR) não votou e reclamou de não ter sido avisado do horário. Maurício Picarelli (PSDB) até foi na Assembleia, mas deixou o lugar antes da hora decisiva. O outro ausente foi Felipe Orro (PSDB), até pouco tempo filiado do PDT.

Pós-votação - A bancada do PT garante que já tem o apoio de outros colegas para criar uma CPI do rombo da previdência. Os parlamentares adiantaram que vão estudar qual será o objeto determinado para investigação, para não sofrer depois questionamentos jurídicos.

Poucas falas - Na rápida sessão de ontem, os únicos a discursar foram os contrários ao projeto, entre eles Lidio Lopes (PEN), Pedro Kemp, João Grandão e Amarildo Cruz, todos do PT. O restante preferiu dar o voto da sua cadeira, dizendo no máximo sim ou não.

(Com Humberto Marques e Leonardo Rocha)

Maioria prefere Lava Jato à Copa do Mundo
Copa? – Pesquisa do Instituto Paraná mostra que, a menos de um mês do Mundial da Rússia, o brasileiro não está muito motivado com o assunto. A consul...
Ex-ministro não errou o “do Sul”, mas...
Gafe - O ex-ministro Henrique Meireles (MDB) em um dos diversos discursos no evento em Campo Grande neste sábado (19) confundiu Mato Grosso do Sul co...
PMs presos têm “festival de ações”
Conhecidos da justiça - Entre as duas dezenas de policiais militares de Mato Grosso do Sul presos esta semana por suspeita de facilitar a vida dos co...
O entrave no cadastro de pedófilos
Entrave burocrático – Autor do projeto de lei que criou o cadastro de pedófilos em Mato Grosso do Sul, o ex-deputado estadual Carlos Alberto David, d...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions