ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, QUINTA  13    CAMPO GRANDE 24º

Jogo Aberto

Bem bãozinho

Por Jogo Aberto | 26/02/2011 07:00

A PM comemorou as mudanças nas resoluções que disciplinam o trabalho policial porque tudo voltou a ser como era antes, com a vantagem do Boletim de Ocorrência único, que para a corporação é como um avanço no sentido de, quem sabe, um dia, passar a registrar os próprios boletins e garantir maior divulgação do trabalho.

Para o governador André Puccinelli, a reclamação de falta de viaturas para a PM não tem cabimento. O que aconteceu foi uma má distribuição. Ele disse que quando assumiu o governo eram 280 viaturas rodando e 500 paradas. Agora, são mais de 1.000 rodando e apenas 160 arrumando.

Sobre a indisposição criada entre as polícias por conta do “engessamento” da PM, Puccinelli disse após reunião com o alto escalão da segurança que colocou as polícias em sintonia. “Eu fui o afinador”, afirmou.

“A sensação que o sul-mato-grossense tem quando o nome do seu estado é trocado é a mesma que nós, brasileiros, sentimos quando disseram que a capital do Brasil era Buenos Aires”. A declaração é do deputado federal Fábio Trad (PMDB) que usou a tribuna da Câmara para falar sobre a eterna confusão entre MT e MS.

Sobre a prorrogação de meio período de funcionamento da justiça estadual, o governador André Puccinelli foi curto e grosso na tarde de ontem: "o problema é deles". Mas lembrou que os repasses para o Judiciário só tem aumentado nos últimos anos.

Durante a inauguração da reforma de uma escola estadual, o governador foi cobrado que faltava a quadra coberta. Ele prometeu que a obra seria feita até o início do ano letivo de 2012, mas que no próximo ano mandará apenas a secretária Nilene Badeca para visitar a escola para o caso da quadra não ser coberta. Aí, ela apanharia sozinha.

Em uma conversa com repórteres na governadoria, o ministro da Justiça, José Eduardo Cardoso confundiu o nome do Estado com o vizinho Mato Grosso e foi prontamente corrigido com sonoro "do Sul".

O ministro confessou ao governador que experimentou o “Tererê” e logo foi corrigido pela assessora que o correto era “Tereré”. “Tererê é o que eu coloco no cabelo”, disse.

A conselheira do TCE e ex-deputada Celina Jallad foi vista no plenário da Assembleia na última sessão da semana, na quinta-feira (24). Ela se reuniu a portas fechadas com o presidente da Casa, Jerson Domingos (PMDB), e com o 1º secretário, Paulo Corrêa (PR).

O suplente de senador Pedro Chaves (ex-dono da Uniderp) convidou o empresário Antônio João Hugo Rodrigues, do Grupo Correio do Estado, para se filiar ao PSC. Descontente com o PTB, Antonio João já digitou no Twitter que o PDT parece um bom partido e PSC idem. “Este último, um nanico bem bãozinho", acrescentou.