ACOMPANHE-NOS    
DEZEMBRO, QUINTA  02    CAMPO GRANDE 25º

Arquitetura

Fuscas pelas paredes dão estilo a bar que já foi mercearia do “Seu Cirço”

Proprietário quis um toque no estabelecimento de um jeito que desse “identidade” ao local

Por Bárbara Cavalcanti | 15/10/2021 06:31
Lataria de Fusca foi reformada e inserida na decoração do bar, no Jardim Seminário. (Foto: Marcos Maluf)
Lataria de Fusca foi reformada e inserida na decoração do bar, no Jardim Seminário. (Foto: Marcos Maluf)

Quem passa pela Rua São Basílio, no Jardim Seminário, não tem como não perceber a decoração da Duffest Conveniência Mercearia e Bar. Metade de um Fusca branco e outro ainda que será reformado saem das paredes e dão um charme retrô ao local. “O pessoal é muito fã do Fusca, gostam de tirar foto e até trazem os filhos para ver”, comenta o proprietário, Ronaldo Costa Rodrigues, de 42 anos.

Toda a decoração foi feita à base de simplicidade e nostalgia. Ronaldo comprou a lataria do fusca em um site de vendas online e depois cortou a peça em dois pedaços. Um fica na parede da conveniência e outro na área externa, do outro lado da rua, com bancos debaixo das árvores para as pessoas sentarem.

Nas paredes, há prateleiras de madeira e vários vinis, a maioria da Xuxa, porque foi o que deu para coletar. “Esses discos são da casa da minha namorada, lá no interior de São Paulo”, detalha. Tudo é feito pelas mãos de Ronaldo. Ele mesmo quem restaura, pinta e decora todo espaço, entre os afazeres da conveniência.

“Por isso, demora. Esse Fusca mesmo, eu demorei bastante pra fazer, porque eu sempre paro para atender as pessoas. Tem cliente que chega aqui e é praticamente parte da família. Então, eu paro para conversar e recepcionar a pessoa. Inclusive, ainda nem tive tempo de começar a mexer no outro Fusca”, comenta.

Área externa, com lugar para sentar debaixo das árvores, também tem lataria de fusca decorativo. (Foto: Marcos Maluf)
Área externa, com lugar para sentar debaixo das árvores, também tem lataria de fusca decorativo. (Foto: Marcos Maluf)

A ideia de colocar o Fusca nas paredes veio de outros lugares, que também utilizam carros na decoração. “Eu quis dar uma identidade para o lugar e deu certo. Hoje, muita gente conhece aqui como 'bar do Fusca'”, ressalta.

O bar, do jeito que está hoje, funciona há 6 anos. Mas o comércio já é bem mais antigo, de quase duas décadas atrás. “Eu tinha um bar lá na Rua Amazonas, o Duffest era de lá. Aqui, funcionava a mercearia do meu pai, Cirço. Ele ficou doente, teve um câncer, então, eu ficava mais aqui pra cuidar dele. Por fim, então, juntei os dois”, explica.

Cirço Gomes Rodrigues, de 63 anos, era uma figura conhecida na região. Ainda de acordo com Ronaldo, muitos dos clientes antigos continuam frequentando o bar até hoje. E a clientela ficou bem diversificada, pois muitos clientes lá do estabelecimento da Rua Amazonas fazem o trajeto maior pela fidelidade.

Foto antiga do falecido pai de Ronaldo, o seu Cirço, de 63 anos, em frente ao bar. (Foto: Marcos Maluf)
Foto antiga do falecido pai de Ronaldo, o seu Cirço, de 63 anos, em frente ao bar. (Foto: Marcos Maluf)

“Aqui tem de tudo quanto é gente diferente. Tem os estudantes aqui da região, mas também tem quem vem do Centro, até do Aero Rancho tem cliente que vem aqui. Tem também policiais que param aqui e pegam uma água, é gente muito diferente”, reforça.

O apelido de Ronaldo é “paizão”. Ao ser questionado por qual motivo, ele apenas dá risada. “Não sei, é porque dizem que eu tenho um jeito de paizão”, diz. Passar o negócio de pai para filho, inclusive, virou tradição, pois um dos dois filhos, Ronaldo Costa Rodrigues Júnior, de 19 anos, é quem ajuda no local.

E Ronaldo se preocupa em manter o ambiente familiar. Há placas que indicam que é proibido carro de som e transitar pelo local sem camisa. No lugar, há até churrasqueira, mas que Ronaldo faz questão que seja utilizada apenas no horário de funcionamento do local.

“Tem que pensar nos vizinhos também. Se a gente faz bagunça demais, então, vai acabar incomodando. E pra mim, a simplicidade é tudo. Minha mãe sempre me ensinava, não é feio ser pobre, feio é ser sujo. Isso é o que importa”, acrescenta.

O bar funciona de terça a sexta, das 10h às 23h. Aos sábados, o local funciona até 00h. E aos domingos, o horário de funcionamento é das 08 às 18h.

Curta o Lado B no Facebook. Tem uma pauta bacana para sugerir? Mande pelas redes sociais, e-mail: ladob@news.com.br ou no Direto das Ruas através do WhatsApp do Campo Grande News (67) 99669-9563.

Confira a galeria de imagens:

  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário