A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 18 de Setembro de 2018

19/07/2018 08:44

Força de quem aos 11 anos virou adulta é exemplo e se chama Maria Carmelinda

Com 80 anos, Maria é mãe de 5 filhos, 11 netos e 9 bisnetos, criou 5 irmãos quase que sozinha e hoje se diz realizada

Thaís Pimenta
Na comemoração dos 80 anos todos vieram comemorar essa data importante. Mas nas fotos, grupos separados para caberem todos nas imagens (Foto:Acervo Pessoal) Na comemoração dos 80 anos todos vieram comemorar essa data importante. Mas nas fotos, grupos separados para caberem todos nas imagens (Foto:Acervo Pessoal)

No dia 13 de de julho, sexta-feira passada, a mãe, avó e bisavó Maria Carmelinda completou 8 décadas de vida rodeada da família que criou sozinha e com uma lição sempre inspiradora, de respeito. Com um passado de muita luta, a dona de casa e gaúcha de Treze de Maio, viu sua mãe morrer quando tinha 11 anos e ali teve de aprender a se virar. Aos 25, perdeu o esposo, e novamente mostrou que mulher tem habilidade indiscutível quando a necessidade é de união.

"Quando minha mãe morreu, João, meu irmão tinha 1 ano. E mesmo eu não sendo a filha mais velha minha irmã não era boa com criança e mamãe antes de falecer me pedia que se algo acontecesse que eu ajudasse na casa e foi o que fiz", diz ela, que completa afirmando que naqueles tempos todo mundo dava um jeito, sem precisar de babá ou ajudante.

Junto do pai, ela desviava dos familiares que queriam "adotar" seus irmãos, os filhos de seo Tranquilo Peretti, o que era muito comum acontecer. Assim, seguiu por mais sete anos, ajudando o paizão na roça e na lavoura, cuidando dos irmãos e vivendo na simplicidade do interior do Rio Grande do Sul. 

Nos bailes do município, conheceu seu primeiro e único esposo, Augusto, irmão da namorada de um dos irmãos de Carmelinda. "As duas famílias se uniram", lembra ela. Jovens, se casaram aos 18 anos de Maria Carmelinda. "Nunca levantamos a voz um pro outro", comenta ela.

Os passarinhos que estavam na mesa de aniversário são os filhos e a mãe. (Foto: Thaís Pimenta)Os passarinhos que estavam na mesa de aniversário são os filhos e a mãe. (Foto: Thaís Pimenta)
O casamento de Maria e Augusto. (Foto: Thaís Pimenta)O casamento de Maria e Augusto. (Foto: Thaís Pimenta)

Cinco filhos nasceram da união: Ademir, Marleni, Renato, Roque e Vanderlei - em ordem crescente de idade. Mas mais uma vez o destino pregou uma peça de mau gosto na vida da mãezona. Prestes a completar 10 anos de  casamento, ele morreu vítima de derrame.

Aos 25 anos, Maria se viu sozinha, com seus cinco filhos, e precisou mais uma vez dar um jeito de se virar. "Ele se negava a ir ao médico. Lembro dele dizer que não estava se sentindo bem, se sentia zonzo. Quando passou mal de verdade, o derrame já não tinha mais solução", comenta a filha Marleni.

Os cinco filhos de Maria, assim como ela, tiveram de se revesar. Para eles os dilemas eram se organizar na escola, trabalhar para manter a renda da família, e ajudar na criação dos outros irmãos menores.

Dona Maria é mãe de cinco filhos, em 11 netos e 9 bisnetos. (Foto: Thaís Pimenta)Dona Maria é mãe de cinco filhos, em 11 netos e 9 bisnetos. (Foto: Thaís Pimenta)

E mesmo com tantos perrengues eles conseguiram enfrentar tudo sempre juntos, na união que poucas famílias conseguem ter.  Sobre ter escolhido ficar sozinha, Maria justifica. "Eu tinha cinco crianças pra cuidar. Depois de crescidos, é como diz o ditado, filho criado trabalho dobrado. Então pra não ter problemas eu escolhi ficar sozinha, acompanhada sempre da minha família, já tá de bom tamanho".

Em família enfretaram poucas e boas. Mais de quatro mudanças, do Rio Grande para Mato Grosso do Sul, e já no Estado, foram de Aquidauana para Guia Lopes, Bonito e, finalmente, Campo Grande.

Atualmente todos os filhos estão criados, e deram à guerreira da casa netos e bisnetos. A mais novinha deles tem 7 meses e mora em Chapadão do Sul, a pequena Isis Cavalheiro.

Na mesa principal dos 80 anos, um detalhe chama atenção: os passarinhos dispostos como decoração ao lado do bolo. Eles significam cada um dos filhos da ave dourada, que é dona Maria Carmelinda.

Maria e a bisneta Isis. (Foto: Acervo Pessoal)Maria e a bisneta Isis. (Foto: Acervo Pessoal)

A criação da prole de Maria é repetida aos netos. "Essa coisa de estarmos sempre juntos permeou na família, virou costume, mesmo que alguns estejam espalhados por Mato Grosso do Sul a gente faz questão. Buscamos nos reunir todo mês, ao menos uma vez, para conversar, saber o que está acontecendo com os outros", diz Marleni, a filha do meio.

E no auge de seus 80 anos, Maria Carmelinda Guerreiro continua a ser um exemplo. O ofício de dona de casa segue o mesmo e é ela quem limpa toda a casa no bairro Jardim Morenão. Duas de suas netas moram com ela até hoje e a vó faz questão de fazer comida para as netinhas.

Com as mãos enrugadas e uma postura de quem já viveu muito nessa vida, a única coisa que a incomoda é uma artrite no joelho, todo o resto ela tira de letra. "Eu fiz até uma cuca pra mim e pros filhos no aniversário agora", lembra ela.

O sonho que fica é a vontade de envelhecer no mato, de volta de onde sente saudades de estar. "Morei e mexi sempre com a terra. Plantava mandioca, café, de tudo, para comer da terra. Sinto falta do mato", finaliza a mãezona. Se for com saúde, ela espera viver mais um bocado de anos, "se Deus quiser!".

Curta o Lado B no Facebook  e no Instagram.

Na câmera não couberam todos, então a família foi fotografando grupos separados. (Foto: Acervo Pessoal)Na câmera não couberam todos, então a família foi fotografando grupos separados. (Foto: Acervo Pessoal)
Nesta foto, quatro gerações. Maria, a direita, Marleni, seu fiho e seu neto. (Foto: Acervo Pessoal)Nesta foto, quatro gerações. Maria, a direita, Marleni, seu fiho e seu neto. (Foto: Acervo Pessoal)
A cada ano, uma nova comemoração e nesta, em especial, a irmã de Maria estava presente, nos seus 78 anos. (Foto: Acervo Pessoal)A cada ano, uma nova comemoração e nesta, em especial, a irmã de Maria estava presente, nos seus 78 anos. (Foto: Acervo Pessoal)
As fotos são as lembranças do amor e da gratidão a cada novo ano da mãezona. Nesta imagem, comemoração dos 77 anos. (foto: Acervo pessoal)As fotos são as lembranças do amor e da gratidão a cada novo ano da mãezona. Nesta imagem, comemoração dos 77 anos. (foto: Acervo pessoal)


imagem transparente

Classificados


Copyright © 2018 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.