A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 25 de Junho de 2017

19/06/2017 14:12

Ambientalista faz campanha pelo dourado e defende proibição

Renata Volpe Haddad
Para ambientalista, é notório a falta de dourado nos rios do Estado. (Foto: Divulgação)Para ambientalista, é notório a falta de dourado nos rios do Estado. (Foto: Divulgação)

A decisão da Assembleia Legislativa de arquivar o projeto de lei que proíbe a pesca do peixe dourado nos rios de Mato Grosso do Sul ainda está dando o que falar. Apesar da derrota no plenário, ambientalistas estão fazendo campanhas para conscientizar a população e tentarão, se preciso for, que o projeto seja aprovado em cada município.

Os deputados arquivaram o projeto citando um estudo da Embrapa Pantanal, entre os anos de 1994 e 1999. Só que esse período do estudo, foi escolhido para análise porque não existiram mudanças significativas nas normas de pesca (de 1999 a 2006, por exemplo, houve diversas alterações nessas normas).

Para o ambientalista e membro da Associação dos Pescadores Esportivos, André Zaman, os deputados se basearam em uma pesquisa da Embrapa Pantanal entre 1994 e 1999, onde não havia problema da falta de dourado nos rios de Mato Grosso do Sul. "Essa pesquisa não tem nem chancela da Embrapa Pantanal, não é oficial. Outro ponto é que naquela época, não tinha problema de falta de peixe, mas hoje essa situação não é mais controlada e não temos como saber se tá sobrando ou faltando dourado", comenta.

Zaman diz ainda que é notório a diminuição de peixe nos rios. "Estamos tentando fazer algo que conscientize a população. Em Corumbá e Aquidauana já está proibido por 10 anos a pesca do dourado. Em Campo Grande não tem necessidade porque não tem esse tipo de peixe aqui. Em Bonito, a pesca no rio Formoso é proibida, mas não no rio Miranda. Vamos fazer trabalho de 'forminguinha', de município em município, caso não seja resolvido na Assembleia", explica.

Por meio de nota, a Embrapa Pantanal se posicionou dizendo que qualquer veiculação referente a estudos da instituição que não sejam baseados nos dados de 1994 a 1999 não são reconhecidos como de autoria da Embrapa.

Informou também que, atualmente, a unidade de pesquisa analisa informações reunidas a partir de 2007 pelo Sistema (já que esses estudos requerem um número considerável de anos para melhor precisão dos resultados), permitindo à Embrapa Pantanal e parceiros realizarem uma nova avaliação dos estoques do dourado juntamente com a publicação de dados atualizados.

Projeto - O projeto de lei do deputado Beto Pereira (PSDB), ficou seis meses na Casa, até que foi arquivado no último dia 7 de junho, causando reação de vários setores durante sua discussão. Em Corumbá, o projeto foi sancionado no dia 14 deste mês pelo prefeito Ruiter Cunha (PSDB).




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions