ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
ABRIL, QUINTA  18    CAMPO GRANDE 16º

Meio Ambiente

Com Estrada do 21 asfaltada, Águas do Miranda torna Bonito novo destino de pesca

Por Silvio Andrade, especial para o Campo Grande News | 23/02/2024 08:14
Com a chegada do asfalto Distrito de Águas do Miranda desperta interesse pelo turismo e a pesca esportiva. (Divulgação)
Com a chegada do asfalto Distrito de Águas do Miranda desperta interesse pelo turismo e a pesca esportiva. (Divulgação)

A abertura da pesca esportiva em Mato Grosso do Sul, em 1º de março, abre um novo ciclo de expansão da modalidade com a presença forte de Bonito no segmento - até então um destino consagrado de ecoturismo -, como polo de uma prática que atrai milhares de turistas ao Estado.

A pavimentação da MS-345, a Estrada do 21, obra com mais de 95% concluída, potencializará o distrito bonitense de Águas do Miranda, distante 80 km da sede e 170 km de Campo Grande. A beleza cênica da estrada deverá despertar também o interesse ecoturístico pelo lugar.

Banhado pelo piscoso Rio Miranda, que limita Bonito com Anastácio, o distrito passa por um processo de transformação econômica com o asfalto. Era uma região sem perspectivas de crescimento e um turismo fragmentado e pouco divulgado até a chegada dos investimentos do Governo do Estado.

A pesca é uma das principais atividades que movimenta o comércio e gera emprego e renda na comunidade. E a facilidade de acesso, criando uma nova rota entre a Capital e Bonito pela antiga estrada, reduzindo em 50 km a distância, fomenta e cria um novo perfil de turismo local.

“Estamos trabalhando na reestruturação do distrito, não apenas do turismo, melhorando os serviços públicos, e qualificando a mão-de-obra em hospedaria, gastronomia e atendimento”, informa Juliane Salvadori, secretária de Turismo, Indústria e Comércio de Bonito.

Mais natureza

A reorganização do turismo local é um dos primeiros passos, segundo ela, visando oferecer serviços e produtos de qualidade a um público mais exigente, que é aquela que visita a Capital do Ecoturismo em busca de experiências em suas águas cristalinas, e não apenas ao pescador.

“Com o fácil acesso, quem visita Bonito terá mais uma opção de lazer, que é conhecer os atrativos do distrito e prolongar sua permanência em mais dois dias, o que vai agregar em muito à economia do município e movimentar toda a cadeia produtiva do turismo”, cita.

Para a secretária, o asfalto vai atrair um novo perfil de turista à Águas do Miranda – em busca de suas belezas naturais, como os vales, morraria, pontos de banho nos rios, cavalgadas, trilhas e o próprio sossego característico da comunidade. “Um turismo mais família”, observa.

Se preparando para as demandas, a prefeitura de Bonito está organizando um calendário de cursos nas diversas áreas do segmento, e um dos primeiros, Delícias do Anzol, em parceria com o Sebrae, será realizado em abril. Outro será destinado aos piloteiros, com apoio da Marinha.

“Vamos inserir o distrito em nossa prateleira de produtos, incluindo a pesca como novo atrativo, mas, ao mesmo tempo, incentivando e qualificando a exploração das belezas naturais justamente para atender a esse novo turista que visitará o lugar”, explica Juliane Salvadori.

Festival de Pesca 

A inclusão de Águas do Miranda no calendário de eventos é outra iniciativa da prefeitura, que já anunciou para 26 a 28 de abril a realização da segunda edição do Festival de Pesca Esportiva, que terá extensa programação gastronômica e de shows, além das provas embarcada e infantil.

O asfalto e o apoio do município animam o trade turístico, que conta com boa estrutura de serviços em vários níveis: são hotéis, pousadas, pesqueiros e ranchos, com áreas de camping, chalés, piscinas. Apostando nesse boom, os empresários estão investindo na melhoria do atendimento, reformulando seus espaços para oferecer mais conforto e comodidade.

A pesca, como do Dourado (foto), é uma das principais atividades que movimenta o comércio na comunidade. (Divulgação)
A pesca, como do Dourado (foto), é uma das principais atividades que movimenta o comércio na comunidade. (Divulgação)

O Cabana do Pescador, situado na beira do Miranda, por exemplo, investe R$ 1,5 milhão desde o ano passado na ampliação do hotel, novo deck, climatização e projeta a construção de suítes com hidromassagem.

Operando há 50 anos, é um dos empreendimentos pioneiros, com 50 leitos. “O asfalto já mudou muito, hoje praticamente estamos lotados para a pesca e esperando esse novo turista que virá de Bonito”, diz o gerente Renato Falcão.

O Hotel-Fazenda Dona Terezinha, entre Bonito e o distrito, com 52 leitos, registra aumento de 30% nas reservas para este ano. Os empreendimentos distantes da área urbana têm um diferencial: maior abundância de fauna e flora e as corredeiras do Rio Miranda, onde se pesca grandes exemplares de dourado, jau e pintado. “A água é mais cristalina”, relata John Lennon Oliveira, do Toca do Jacaré, 33 leitos.

Nos siga no Google Notícias