ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, QUINTA  22    CAMPO GRANDE 29º

Meio Ambiente

Coronel Ângelo Rabelo integra lista dos 50 nomes que transformam o mundo

Apenas quatro brasileiros foram reconhecidos pelo The Explorers Club 50 na lista divulgada neste ano

Por Gabriela Couto | 09/02/2024 19:20
Coronel Ângelo Rabelo, durante pôr-do-sol na Serra do Amolar, em Corumbá (Foto: IHP)
Coronel Ângelo Rabelo, durante pôr-do-sol na Serra do Amolar, em Corumbá (Foto: IHP)

O presidente do IHP (Instituto Homem Pantaneiro), Ângelo Rabelo, recebeu o reconhecimento e a nomeação para integrar o The Explorers Club 50 por ações diretas que vêm sendo feitas para ajudar a mudar o mundo, em especial o Pantanal.

A nomeação de 2024 foi divulgada neste mês e inclui apenas quatro brasileiros. Além de Rabelo, ainda foram nomeados a geóloga Fernanda Avelar Santos, o ictiologista Luiz Rocha e o designer naturalista Lvcas Fiat.

O grupo já atua há 120 anos para reconhecer e incentivar ações transformadoras ao redor do planeta. Nele há pesquisadores e exploradores que atuam nos mais diferentes lugares inóspitos do mundo e a partir de 2021 passou a existir uma indicação anual de 50 novos membros para aumentar a voz da ciência e da comunicação sobre a necessidade de conservação.

Exploradores brasileiros que integram a comunidade ainda são poucos. O primeiro foi o general Cândido Mariano da Silva Rondon, em 1919. Ele recebeu o reconhecimento após levar os telégrafos para o interior do Brasil, no começo do século XX, e consolidar as fronteiras até o então recém-criado Acre.

Ângelo Rabelo foi policial militar ambiental e tem uma atuação direta na conservação do Pantanal há mais de 40 anos. Essa nomeação soma novos esforços para alertar, em âmbito mundial, a necessidade de medidas de conservação no bioma.

Na ativa, Rabelo ajudou a combater o tráfico de animais silvestres, principalmente o abate de jacarés (Foto: Arquivo pessoal)
Na ativa, Rabelo ajudou a combater o tráfico de animais silvestres, principalmente o abate de jacarés (Foto: Arquivo pessoal)

As áreas úmidas estão em risco, ao mesmo tempo que representam um território fundamental para geração de emprego para comunidades tradicionais e povos originários e habitat de uma diversidade animal.

“Esse reconhecimento contribui para mostrar a importância de trabalhos que buscam conservar o Pantanal. O bioma enfrenta um cenário que é desafiador, estamos vendo a redução das áreas úmidas e os impactos dessa mudança ainda não sabemos como será. No Pantanal, os alertas não estão apenas na planície, que sofre com o fogo. É preciso um outro olhar para o planalto, local em que ficam as nascentes”, detalha Rabelo, que começou suas ações no Pantanal na década de 1980, ao lutar contra a caça e o tráfico de animais selvagens, principalmente para impedir a matança de jacarés.

No recém-criado Mato Grosso do Sul (1977), Rabelo ajudou a fundar a Polícia Militar Ambiental no estado e formou as primeiras equipes para atuarem no combate a crimes ambientais no Pantanal. Enquanto atuava no combate direto ao tráfico de animais selvagens no bioma, Rabelo ficou entre a vida e a morte ao ser atingido em uma emboscada. Outro companheiro que estava no mesmo barco acabou atingido com tiro na cabeça e morreu no local. Ele precisou ser submetido a várias cirurgias para ser salvo e conseguiu reabilitar-se anos depois do ataque. Conseguiu voltar para as ações de campo na PMA e se aposentou como coronel.

Coronel Rabel pilotando lancha no Rio Paraguai; uma vida dedica pela conservação e coexistência no Pantanal (Foto: IHP)
Coronel Rabel pilotando lancha no Rio Paraguai; uma vida dedica pela conservação e coexistência no Pantanal (Foto: IHP)

Rabelo buscou meios de seguir no trabalho de conservação e, em 2002, fundou o Instituto Homem Pantaneiro (IHP). Mais de 20 depois da fundação da entidade, o IHP desenvolve programas permanentes no Pantanal voltados para prevenir incêndios, criar corredores de biodiversidade, promover o desenvolvimento em comunidades e fomentar a pesquisa científica.

“As pantaneiras e os pantaneiros sempre lutaram pela conservação e mantém até hoje um grande respeito pelo Pantanal. Entendem que é dali que a vida deles faz sentido. Me ensinaram muito, o que deu ainda mais ânimo para seguir lutando pela conservação. O tráfico e a caça diminuíram, mas não acabaram. Mas os desafios mudaram e as possibilidade de proteção também. Hoje temos os créditos de carbono, em breve haverá o crédito de biodiversidade. As ações são emergências para garantir a sobrevida do Pantanal”.

A indicação de Ângelo Rabelo para a seleção do The Explorers Club foi feita por Dereck and Beverly Joubert, o casal sul-africano que dedica a vida para a proteção da vida selvagem no continente africano e contribuíram na pesquisa e estudos para a criação do filme Rei Leão. Eles são membros da comunidade após receberem a medalha de Exploradores em 2021.

A sede do The Explorers Club fica em Nova Iorque (EUA) e as ações do grupo tem dado apoio para expedições científicas que envolvem diferentes conhecimentos. O legado construído ao longo de mais de um século busca reforçar a importância que essa comunidade dá para que medidas de superação sejam implantadas e transformações positivas ocorram.

Dereck and Beverly Joubert, o casal sul-africano que indicou o nome de Rabelo para lista internacional de ativistas (Foto: IHP)
Dereck and Beverly Joubert, o casal sul-africano que indicou o nome de Rabelo para lista internacional de ativistas (Foto: IHP)

Nessa lista de conquistas estão envolvidos integrantes desse grupo e os feitos obtidos são a chegada do homem à Lua (1969) com Neil Armstrong, Edwin “Buzz” Aldrian e Michael Collins; a primeira vez que se chegou ao Polo Sul (1911), com Roald Amundsen, Olav Bjaaland, Helmer Hanssen, Sverre Hassel e Oscar Wisting; e ao Polo Norte (1909), com Matthew Henson e Robert Peary.

O The Explorers Club ainda promove, ao longo do ano, diferentes ações, entre expedições, campanhas, palestras e encontros (https://www.explorers.org/calendar-of-events/) como forma de aumentar as iniciativas globais de conservação e fortalecimento de comunidades em situação de vulnerabilidade.

O atual presidente do clube é Richard Garriott de Cayeux, empresário do setor de jogos e filho do astronauta Owen Garriott. Jeff Bezos, fundador da Amazon, e Buzz Aldrin, engenheiro e um dos primeiros astronautas a pisar na Lua, fazem parte da direção honorária do The Explorers Club.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News e siga nossas redes sociais.

Nos siga no Google Notícias