ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, SÁBADO  24    CAMPO GRANDE 28º

Meio Ambiente

Multas milionárias por desmatamento em MS atingem de pecuarista ao Incra

Dez maiores punições no Estado somam R$ 147,3 milhões

Jones Mário | 03/02/2020 18:35
Ibama aplicou 34 multas com valor superior a R$ 1 milhão em 25 anos no Estado (Foto: Divulgação/Ibama)
Ibama aplicou 34 multas com valor superior a R$ 1 milhão em 25 anos no Estado (Foto: Divulgação/Ibama)

Os ranking das dez maiores multas aplicadas pelo Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) por desmatamento em Mato Grosso do Sul, de 1995 até o ano passado, traz lista variada de infratores. Além de mineradora e produtores rurais, a relação tem também a superintendência regional do Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária). As punições somam R$ 147,3 milhões.

A maior multa por desmatamento no Estado foi aplicada em julho de 2014, ao produtor rural Alessandro Oliveira Leal, em Paranaíba - R$ 26,3 milhões.

Na segunda colocação está a Vetorial Siderurgia, autuada em junho de 2008, na cidade de Ribas do Rio Pardo, em R$ 22,1 milhões.

A “medalha de bronze” no ranking de maiores multados é da Agropecuária Jubran S/A, que recebeu punição fixada em R$ 20,1 milhões por desmatamento em Batayporã, em novembro de 2006.

A MMX, mineradora fundada por Eike Batista, responde por multa de R$ 15,2 milhões apresentada pelo Ibama em junho de 2008, em Corumbá.

A Lobo Agropecuária e Empreendimentos fecha o top-5 de maiores multadas por danos à flora, com R$ 13,9 milhões aplicados em abril de 2009, em Água Clara.

O sexto colocado da lista é também de Água Clara: Francisco Luiz da Silva-ME, punido em R$ 11,4 milhões em junho de 2008.

Campo Grande - Única da Capital entre os dez maiores multados, a Energia Renovada Comércio de Carvão Vegetal também foi autuada em junho de 2008, mas em R$ 11,3 milhões.

De Coxim, o pecuarista Roberto Pedro Tonial foi multado em R$ 10 milhões por desmatamento flagrado pela fiscalização do Ibama em agosto de 2010.

A superintendência do Incra em Mato Grosso do Sul também caiu no pente-fino, condenada à cobrança de R$ 10 milhões por crime ambiental em setembro de 2007, na cidade de Ponta Porã.

Quem fecha o top-10 é a Black Indústria, Importação, Exportação e Comércio de Carvão Vegetal, de Miranda, com multa de R$ 7,3 milhões aplicada em fevereiro de 2013.

Os números são todos do próprio Ibama e foram compilados pelo site De Olho nos Ruralistas.

O portal, que promove observatório do agronegócio no Brasil, enumerou 34 multas por desmatamento acima de R$ 1 milhão em Mato Grosso do Sul, de 1995 até 2019.

Nos siga no Google Notícias