ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, SEGUNDA  18    CAMPO GRANDE 21º

Política

Bernal desembolsa R$ 300 mil para advogado "salvá-lo" da cassação

Por Zemil Rocha | 25/11/2013 17:50
Bernal contratou pessoalmente o advogado Jesus Sobrinho (Foto: arquivo)
Bernal contratou pessoalmente o advogado Jesus Sobrinho (Foto: arquivo)

O prefeito Alcides Bernal (PP) pode estar desembolsando em torno de R$ 300 mil para defender seu mandato na Justiça e na Câmara de Campo Grande. “Tem dois processos sendo defendidos, o da Câmara e o da improbidade administrativa, então deve ser por aí, em torno de R$ 300 mil”, informou um advogado, que foi colega do desembargador aposentado Jesus de Oliveira Sobrinho, contratado pelo progressista.

Apesar do elevado valor, a informação da Prefeitura de Campo Grande é que a despesa não é paga pelos cofres públicos. “Quem contratou foi o cidadão Alcides Bernal”, informou o procurador-geral do Município, Denir Nantes.

Outro advogado consultado pelo Campo Grande News afirmou que o critério de cobrança de honorários é bem variável, dependendo do caso concreto e do currículo do profissional. No caso de um desembargador aposentado, considera que o valor acaba sendo mais elevado. “Tem quem cobra antecipadamente e outros pedem pelo resultado; por exemplo, se eu manter você no cargo quero R$ 500 mil”, apontou.

Jesus de Oliveira Sobrinho  formou-se há mais de 50 anos, em 1963, em Uberaba (MG).

Ele ingressou na Magistratura do Mato Grosso por meio de concurso público em 1967 e começou a carreira em Dom Aquino (MT). Depois, Sobrinho passou por Dourados (1968) e Campo Grande (1970). Foi promovido a desembargador do Tribunal de Justiça do Mato Grosso em 1972.

Ele foi o primeiro presidente do Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul (1979-80) e presidente do Tribunal de Justiça de MS de 1981-82.

Aposentou-se em 12 de março de 1987.

Procurador da Câmara – Quem enfrenta nos processos as argumentações do advogado Jesus e Oliveira Sobrinho e as decisões judiciais é o procurador jurídico André Luiz Pereira da Silva, que tem 10 anos de experiência profissional. André foi contratado para o cargo comissionado em 1º de janeiro deste ano pelo presidente da Câmara, Mario Cesar (PMDB).

A remuneração de procurador jurídico comissionado na Câmara é de R$ 4.614,86, conforme dados publicados no Portal de Transparência da Câmara de Campo Grande, mas pode receber até 200% de gratificação de representação, de acordo com o que preceitua a Resolução n. 937, de 27 de abril de 1995. Questionado sobre sua remuneração, André Luiz preferiu não informar. Caso recebe os 200% de gratificação, totaliza R$ 13,8 mil.

 “Fui nomeado em janeiro como procurador da Câmara, mas acompanho o Mario (Cesar) desde a primeira Legislatura dele”, informou André Luiz, autor dos recursos para que a Comissão Processante da Câmara continue seus trabalhos. André disse que também conta com a ajuda do procurador Fernando Pineis. “Dr. Fernando tem me ajudado de forma muito ímpar. Ele tem visão muito boa”, elogiou.

 (editada para correções às 10h23)

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário