A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 18 de Agosto de 2017

13/09/2016 10:12

Candidatos propõem valorização de professor e eleição direta nas escolas

Postulantes ao cargo de prefeito são questionados em debate da ACP

Mayara Bueno e Richelieu de Carlo
Rose Modesto, do PSDB, foi a primeira a falar no debate. (Foto: Fernando Antunes).Rose Modesto, do PSDB, foi a primeira a falar no debate. (Foto: Fernando Antunes).
Do PROS, Lauro Davi foi o segundo a falar sobre educação. (Foto: Fernando Antunes).Do PROS, Lauro Davi foi o segundo a falar sobre educação. (Foto: Fernando Antunes).

Candidatos a prefeito de Campo Grande elegeram, em sua maioria, a valorização do professor, com o cumprimento do piso nacional, e a eleição direta para diretor na rede municipal como prioridades. Treze postulantes ao cargo participam do primeiro debate das eleições 2016, realizado pela ACP (Sindicato Campo-Grandense dos Profissionais da Educação Pública), nesta terça-feira (13).

No primeiro bloco, os candidatos tiveram dois minutos para se apresentarem e a ordem foi definida por sorteio. A eles, foi entregue um caderno de compromissos a serem cumpridos por quem for eleito.

Rose Modesto (PSDB) falou que já esteve por diversas vezes no sindicato, já que é professora, e sempre atuou em defesa do profissional, como docente, vereadora e vice-governadora do Estado. Quer manter a valorização do professor em sala de aula, em um eventual mandato.

Atuando na criação da Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul), Lauro Davi (PROS) destacou que sua trajetória aconteceu na Educação. Se comprometeu a utilizar o documento da ACP, cumprindo os compromissos e integrando-os em seu projeto. Promete foco na atenção da saúde dos servidores públicos.

Do PCO, Flávio Arce foi o terceiro a se manifestar. Destacou que trabalhará pelo piso salarial e para devolver o respeito ao professor, “para que voltem a ser autoridades em sala de aula”.

Antes de iniciar sua fala, Rosana Santos (PSOL) gritou “Fora Temer!”. Disse que manterá o diálogo com professores em uma eventual vitória. Também quer valorizar o profissional da Educação, tanto na questão salarial, quanto a saúde deles.

Fazendo coro com a candidata anterior, Suél Ferranti (PSTU), começou sua fala com “Fora Temer!” também. Disse que governará com conselhos populares, que, em sua ideia, será formado por sindicatos e diversos setores da sociedade. Quer suspender o pagamento da dívida pública de Campo Grande, e, com parte deste dinheiro, investir em Educação.

Do PV, Marcelo Bluma, comentou sobre as manifestações contrárias a políticos no Brasil, mas disse que o voto ainda é a causa que pode provocar real mudança. Também falou sobre cumprir o piso salarial dos professores e investir na gestão democrática nas escolas e ceinfs (Centro de Educação Infantil), além da qualidade de vida dos profissionais.

Prefeito Alcides Bernal (PP)(Foto: Fernando Antunes)., que tenta a reeleição, foi interrompido por parte da plateia contrária a sua gestão. (Foto: Fernando Antunes).Prefeito Alcides Bernal (PP)(Foto: Fernando Antunes)., que tenta a reeleição, foi interrompido por parte da plateia contrária a sua gestão. (Foto: Fernando Antunes).
Marcos Trad (PSD) também falou sobre suas prioridades. (Foto: Fernando Antunes).Marcos Trad (PSD) também falou sobre suas prioridades. (Foto: Fernando Antunes).

Em meio a sua fala, o prefeito Alcides Bernal (PP) foi brevemente vaiado por uma parte da plateia. Interrompido, ele ganhou mais 10 segundos para concluir sua fala. Em uma eventual reeleição, Bernal quer manter o piso salarial e adotar eleições diretas para diretores.

Aroldo Figueiró (PTN), professor, disse que terá como principal compromisso a garantia da eleição nas escolas e ceinfs, manutenção do piso salarial e preocupação com qualidade de ensino e respeito ao professor.

Terceiro a endossar o discurso contra o presidente, Alex do PT, também se anunciou dizendo “Fora Temer!”. Disse que lutará pelo fim da lei da mordaça e que seu primeiro ato, em uma eventual vitória, é instituir a eleição direta. Terá um governo de prática, não retórico, garantiu.

Marcos Trad (PSD) afirmou que ouviu os pedidos da população e que o compromisso será com a formação do professor, continuidade da educação e democratização do ensino.

Candidato do PPS, Athayde Nery ressaltou que a educação é um forma de liberdade do ser humano. Quer ter diálogo permanente e gestão democrática.

Do PSDC, Elizeu Amarilha foi o único começar sua fala criticando “candidatos que só prometem e não cumprem”. E falou que os professores não tem o devido reconhecimento e que a Educação será prioridade em seu governo.

Último a falar no primeiro bloco, Coronel David (PSC) quer valorizar os professores e manter atenção especial na merenda escolar, tanto na qualidade, quanto na licitação para garantir que as escolas sejam abastecidas de alimentos desde o começo do ano.

O segundo bloco foi de perguntas e respostas dos candidatos.

Abaixo, uma galeria de imagens do debate.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions