A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

07/01/2014 17:00

Capital está na contramão de grandes centros, diz Conselho de Serviço Social

Josemil Arruda

A presidente do Conselho Regional de Serviço Social- 21ª Região-MS, Ivone Alves Rios, lamentou esta tarde que o prefeito Alcides Bernal (PP) tenha vetado o projeto de lei nº 7.425 que dispõe sobre redução da jornada de trabalho para assistentes sociais da Prefeitura de Campo Grande, de 40 para 30 horas semanais. O veto de Bernal foi publicado hoje no Diário Oficial de Campo Grande (Diogrande).

Para ela, a Prefeitura de Campo Grande dá um mau exemplo, já que vai na contra-mão dos grandes centros urbanos do País, como São Paulo (SP) e Belo Horizonte (MG), que já teriam implantado a jornada de 30 horas semanais. “No caso do Rio Janeiro, a prefeitura foi além e adotou jornada de 20 horas semanais”, destacou Ivone Rios.

Recusando-se a implantar a jornada reduzida na Capital, Bernal também estaria influenciando negativamente o mercado de trabalho. “Em Campo Grande a Santa Casa já adota essa jornada, assim como várias empresas privadas”, observou a presidente do Conselho, lembrando que dos 1.119 assistentes sociais da Capital a grande maioria trabalha na Prefeitura de Campo Grande. “Só na Secretaria de Assistência Social são mais de 200, na Sesau mais 170. Tem também na Planurb, na Emha, enfim em quase todas as secretarias municipais”, citou.

Ao decidir vetar o projeto de lei, Bernal alegou inconstitucionalidade, apontando que o Tribunal de Justiça deferiu liminar a pedido da Prefeitura de Campo Grande com o objetivo de suspender a vigência da Lei Complementar n. 213, de 31 de dezembro de 2012 que também excepcionava a carga horária semanal de quarenta horas dos servidores públicos para o cargo de assistente social, com base na Lei Federal n. 12.317, de 26 de agosto de 2010.

“A gente só lamenta, porque ele tem liminar e precisamos derrubá-la urgentemente”, afirmou Ivone Rios. “Como pode ser inconstitucional a lei que regulamenta a nossa profissão?”, questionou em seguida, ressaltando que a Lei Federal n. 12.317 foi incorporada ao estatuto profissional, ao inserir o art. 5º-A, que prevê jornada de 30 horas semanais para os contratos de trabalho.”Foi uma luta muito grande. Tramitou na Câmara e Senado e o presidente Lula sancionou. Não tem que questionar, tem de cumprir”, defendeu.

Segundo ela, o Conselho Regional de Serviço Social já enviou cinco ofícios ao prefeito Alcides Bernal no ano passado, mas não houve resposta para nenhum. “Só tivemos apoio dos vereadores”, afirmou.

A carga horária de 30 horas semanais para assistentes sociais, segundo Ivone Rios, é necessária em razão do desgaste a que é submetido o profissional que trabalha nessa área. “Pesquisa do Ibope, de 2008 ou 2009, mostra que a nossa é uma das profissões mais estressantes do mundo. A gente trabalha com desigualdade, violência contra criança, mulher, abusos. É muito estresse”, disse a dirigente.

 

 

Governo do Estado investe R$ 9,2 milhões em infraestrutura em Caracol
Caracol vai receber mais de R$ 2,8 milhões em obras a serem executadas pelo Governo do Estado em parceria com a prefeitura e deputados federais e est...
Assembleia vota Orçamento de R$ 14,4 bilhões de 2018 na terça-feira
O Orçamento de R$ 14,4 bilhões do Governo de Mato Grosso do Sul para 2018 passará pela votação em segunda discussão na terça-feira (19) na Assembleia...


Nossa, Percebe-se o quanto tem pessoas sem conhecimentos, como podem falar de uma Profissão sem ao menos conhecer a sua metodologia de ação, o cidadão por nome Cristhian Guedes, fez aos Profissionais de Serviço Social e aos Garis comentários muito desagradáveis, percebe que ele não conhece nenhuma dessas profissões, pois todos esses profissionais tem a sua capacitação especifica, e são profissionais de grande valia para a sociedade. (Deixo aqui meu repudio pelas palavras descrita por esse cidadão)
 
Ize Rodrigues em 22/01/2014 15:02:17
Realmente é algo decepcionante, mas tenho a plena certeza que o nosso prefeito Alcides Bernal, irá rever esta situação e oferecer às 30 horas aos profissionais de Serviço Social, pois conhecimento não lhe falta para entender que Lei Federal entre outras devem ser cumpridas, e o mesmo como é um representante da sociedade com o voto popular do povo inclusive recebeu uma grande massa de voto dessa categoria de Profissionais. Senhor Prefeito eu espero que VSª. Reveja essa situação com carinho que o senhor sempre demonstrou ter pelos assistentes Sociais.
 
Ize Rodrigues em 22/01/2014 14:15:03
Alexandre, EUROPA? AMÉRICA DO NORTE? Filho, vc está no BRASIIIIIIIL! País onde NENHUM sistema público funciona decentemente! O Brasil é o país do pouco caso, de gente esperta, gente que critica hipocritamente a corrupção, mas também corrompe o sistema! Pensa no seu próprio umbigo e que se dane o dos demais! Não se esqueça que também é do seu bolso que o pagamento do funcionalismo público sai! Mais pessoas trabalhando, mais salários para serem pagos. Logo, MAIS IMPOSTOS E TAXAS. O livre arbitrio inclui trocar de emprego caso não esteja satisfeito! O problema é que no Brasil se tem a "cultura" (se é que podemos denominar assim!) de que emprego público é vida boa e salário na conta! Faça-me o favor! Bora trabalhaaaar minha gente!
 
Ricardo Boretti em 08/01/2014 19:17:26
Meus caros colegas, para se tornar uma Assistente Social precisa cursar uma faculdade, dedicar-se aos estudos. E inaceitáveis que pessoas que desconhece a realidade social e que não trabalham com as questões sociais que são gritantes em Campo Grande, assim como em todo o país, queiram dizer que os profissionais não são merecedores, convido vcs a estudarem, se informarem antes de criticar.
 
Laura Benites em 08/01/2014 17:07:26
Daqui uns dias vai ser "absurdo" ter que trabalhar! Querida Ivone, funcionalismo público não é mamata não! E só para lembrá-la, não estamos "nos grandes centros"! São Paulo, Belo Horizonte e Rio de Janeiro já trabalharam, e muito, para se darem o "luxo" de redução de carga horária! Nos "grandes centros" o serviço prestado é, pelo menos satisfatório! Não pense no seu bolso e no seu descanso! Pense que vcs estão trabalhando para um futuro melhor para todos! Afinal, a coletividade é o ponto principal do serviço PÚBLICO!
 
Ricardo Boretti em 08/01/2014 00:47:52
CAMPO GRANDE ESTÁ NA 'CONTRA MÃO" DE TUDO, NÃO TEM MAIS PLANEJAMENTO PARA CRESCER EM OBRAS OU EM NOVOS INVESTIMENTOS!...É VERGONHOSO, NUNCA VI NOSSA CAPITAL TÃO ABANDONADA E PARADA!!
 
Paulenir de Barros em 07/01/2014 18:29:47
A merreca de salário oferecido no "brasil" por uma alta carga horário é uma vergonha! Na Europa e América do Norte a grande maioria tem jornada de 5 horas diárias ou seja 25 horas semanais, com isso o funcionário rende mais(menos: stress e fadiga de repetição / mais: disposição, alegria no ambiente de trabalho e interesse do mesmo). Além do setor ganhar, o funcionário teria tempo para se especializar, estudar, faculdade, tempo de descanso, oportunidade de 2º trabalho para melhorar a renda e mais tempo com a família! Nos países de 1º mundo é normal ter 2 empregos(a carga horária ajuda) e lá os impostos são menores, arrecadação pública é menor, salário de políticos é menor, justiça executada como pede o povo e a qualidade socioeconômica é melhor! NOSSSO PAIS TA EM COMA!
 
Alexandre de Souza em 07/01/2014 18:28:32
Tadinha das assistentes sociais... Elas estão sob estresse da profissão...
Prefeito Bernal, eu tenho a solução: dê qualificação para os GARIS, e coloquem eles para fazer o papel das assistentes sociais que estão estressadas, e coloquem elas para fazer o serviço dos GARIS, como limpar ruas, catar lixo, etc...
Enquanto tem muita gente se lamentando porque não tem emprego, essas dondocas querem trabalhar menos e ganhar o mesmo tanto, há, me poupem...
Não está contente, procure outra profissão e dê lugar pra quem quer trabalhar... Se o prefeito diminuir a carga horária QUE É IGUAL PRA TODOS OS TRABALHADORES NORMAIS DO PAÍS, ou ele terá que contratar mais para suprir essas 10 horas a menos, ou a população que vai ficar com o atendimento menor do que o atual...
Bem feito Prefeito, APOIADO!
 
Cristhian Guedes em 07/01/2014 17:39:18
Parabéns Prefeito! Tem que moralizar mesmo. Esse negócio de trabalhar somente 30 horas semanais não condiz com a realidade do Brasil. O trabalhador assalariado cumpre 44 horas semanais e muitas vezes não reclama. Esse pessoal ainda tá no lucro trabalhando somente 40 horas semanais.
 
Roni Borges em 07/01/2014 17:35:55
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions