A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 14 de Dezembro de 2018

04/12/2016 16:35

Com aplausos a Sérgio Moro, protesto começa com 200 pessoas na Capital

Manifestantes seguirão até o MPF, onde erguerão a bandeira do Brasil

Mayara Bueno e Adriano Fernandes
Manifestantes começam a se concentrar na Praça do Rádio. (Foto: Fernando Antunes)Manifestantes começam a se concentrar na Praça do Rádio. (Foto: Fernando Antunes)

Defesa do juiz federal Sérgio Moro, da Operação Lava Jato e até a criminalização do aborto são as principais bandeiras de manifestantes, que começam, na tarde deste domingo (4), um protesto na Praça do Rádio, em Campo Grande. O ato, que ainda tem outras reivindicações, acontece em diversas cidades do País, levando milhares às ruas.

A ideia é que o grupo de manifestantes siga em caminhada até o acampamento montado em frente ao MPF-MS (Ministério Público Federal em Mato Grosso do Sul). Lá, eles hastearão a bandeira do Brasil.

Por enquanto, são quase 200 pessoas, de acordo com a Polícia Militar. Com bandeiras e camisetas do Brasil, os manifestantes gritam o nome do juiz federal e pedem a saída do deputado federal Rodrigo Maia (DEM/RJ), da Presidência.

A nutricionista Carolina Cabral, de 35 anos, está com a filha de seis anos. Para ela, o mais grave e o que principalmente deve ser cobrado é o pacote anti-corrupção, da forma como foi aprovado na Câmara dos Deputados. “É uma tentativa é se livrarem da punição”. Ela também se diz contra a legalização do aborto, assunto que também foi bastante repercutido semana passada.

Nivalter Moreno, 70 anos, protesta neste domingo, em Campo Grande. (Foto: Fernando Antunes)Nivalter Moreno, 70 anos, protesta neste domingo, em Campo Grande. (Foto: Fernando Antunes)
A nutricionista Carolina Cabral, de 35 anos, está com a filha de seis anos. (Foto: Fernando Antunes)A nutricionista Carolina Cabral, de 35 anos, está com a filha de seis anos. (Foto: Fernando Antunes)

“A população tem de estar ativa neste tipo de manifestação. Já erramos uma vez no voto, nos resta cobrar uma mudança”, disse o corretor de imóveis Nivalter Moreno, 70 anos. Ele conta que já participou de outras manifestações pró impeachment da ex-presidente da República, Dilma Rousseff (PT), e até mesmo na época de Fernando Collor de Melo, também afastado da Presidência, em 1992.

Auxiliar administrativo de 59 anos, Pedro Vicente também lembrou da defesa da criminalização do aborto. Mas, sem deixar a pauta principal, que é a Operação Lava Jato. “Todos deveria se unir para defender Sérgio Moro”.

Manifestantes começaram a chegar na praça no início da tarde e ainda continuar chegando. Fazem parte do ato grupos como Reaja Brasil e Instituto Iniciativa. Em frente a Praça do Rádio tem um trio elétrico que chama pessoas para aderirem ao movimento.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions