A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 20 de Agosto de 2017

09/02/2017 14:09

Deputados de MS estão prontos para votar o livre comércio da carne, diz Mochi

Alberto Dias e Leonardo Rocha
Em Mato Grosso do Sul, presidente da Assembleia Legislativa aprova ideia sobre livre comércio entre estados do Codesul. (Foto: Arquivo/ALMSEm Mato Grosso do Sul, presidente da Assembleia Legislativa aprova ideia sobre livre comércio entre estados do Codesul. (Foto: Arquivo/ALMS

Já assinada pelos respectivos governadores, a livre circulação de produtos de origem animal entre Mato Grosso do Sul e os estados da região Sul do país, agora depende da aprovação de deputados estaduais. Além de MS, as secretarias de agricultura e pecuária do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul têm que apresentar projetos de lei sobre o tema, que será avaliado pelas respectivas Assembleias Legislativas.

Por aqui, o presidente da casa de leis, deputado Junior Mochi (PMDB), considera a iniciativa benéfica aos sul-mato-grossenses e garantiu celeridade na votação. "Para Mato Grosso do Sul será extremamente positivo, pois poderemos ampliar a produção dos nossos produtos para abastecer os outros estados, aumentando assim o nosso mercado consumidor", ponderou o parlamentar.

Conforme ele, a Casa aguarda o texto final para, na sequência, colocar em votação. "Os secretários de agricultura estão formatando, pois se trata de uma proposta comum entre quatro estados", disse, acreditando no fomento de um próspero comércio entre os estados do Codesul (Conselho de Desenvolvimento e Integração Sul).

Os projetos de lei a serem apresentados aos deputados de cada estado buscam padronizar, em caráter oficial, os serviços de inspeção de produtos animais, que passará, a partir de então, a ter livre circulação nestes territórios.

Para tanto, metade do caminho já foi percorrida nesta quarta-feira (8), quando os governados dos quatro estados assinaram resolução sobre o tema, durante encontro do Codesul realizado na cidade de Cascavel, no Paraná. Segundo eles, os serviços serão feitos tanto por servidores estaduais como por empresas credenciadas pelo Poder Público.

Representando Mato Grosso do Sul, o governador Reinaldo Azambuja (PSDB), que também é pecuarista, ressaltou o benefício da resolução em longo prazo, ponderando que a necessidade de produzir mais é eminente e deve crescer nos próximos anos.

"Temos um mercado aberto onde a demanda deve dobrar nos próximos 50 anos, e quem é que pode assumir isso? Nós podemos ocupar esse mercado se tivermos uma integração nas políticas públicas, normas estáveis que forneçam segurança jurídica para atrair empresários", avaliou o tucano.

Já o secretario de Produção e Agricultura Familiar, Fernando Mendes Lamas, lembra que as normas atingirão todos os produtos de origem animal - carnes bovinas e suínas, queijos, doce de leite, embutidos no geral, entre outros. "Tem uns três ou quatros anos que existe essa expectativa dentro do nicho produtivo. Isso vem sendo discutido, e temos aparado as arestas, porque cada estado tem suas peculiaridades que têm que ser consideradas".

União entre estados do sul - O Codesul tem a intenção de formular políticas públicas para o desenvolvimento da região, estimular os acordos e intercâmbios entre os estados, assim como possibilidades de acordos e financiamentos. Mato Grosso do Sul passou a integrar o bloco a partir de 1992.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions