A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

28/10/2012 19:21

História: cidade elegeu neste domingo 17ª prefeito pelo voto

Danúbia Burema

O deputado estadual progressista Alcides Bernal (PP) é o 17º prefeito a ser eleito nas urnas pelos campo-grandenses por meio do voto direto. Nos 113 anos de existência da cidade, 16 administradores municipais haviam sido escolhidos pelo povo nas urnas. Os outros mais de 40 foram intendentes ou prefeitos nomeados por autoridades políticas da época ou pelo Legislativo municipal.

No caso de Bernal, a disputa pela prefeitura foi contra o candidato governista Edson Giroto (PMDB) - apoiado pelo grupo político do governador André Puccinelli (PMDB) e do prefeito Nelsinho Trad (PMDB). Os peemedebistas estão no comando da cidade há duas décadas.

Na história do município, a prefeitura foi administrada por intendentes desde 1899. Em 1930 a cidade teve seu primeiro prefeito, o militar Deusdedit de Carvalho, nomeado para o cargo e que permaneceu como prefeito por apenas um mês. Assim como Deusdedit, nos dez anos seguintes todos os prefeitos foram nomeados.

Somente em 27 de março de 1937 a população teve a chance de escolher seu prefeito pelo voto direto. O primeiro eleito dessa forma foi o advogado e ex-juiz baiano Eduardo Olímpio Machado, que priorizou a infraestrutura em sua administração.

Seu sucessor foi Ary Coelho de Oliveira (PTB), assassinado em Cuiabá durante o mandato. Em seu lugar, assumiu o presidente da Câmara Municipal, Mário Carrato. Em janeiro de 1953, eleição suplementar colocou Wilson Fadul (PTB) no cargo.

Seu sucessor foi o médico Marcílio de Oliveira Lima (UDN), eleito pelo povo dois anos depois, também pelo voto direto. Ele antecedeu Wilson Barbosa Martins (UDN), que teve de deixar o cargo meses antes do final do mandato devido a uma doença.

Na eleição seguinte, foi escolhido pelo povo o advogado e empresário Antônio Mendes Canale (Arena), fundador da UCE (União Campo-Grandense de Estudantes). Após seu mandato foi eleito o advogado Plínio Barbosa Martins (MDB), mas Canale voltou à administração municipal ao ser eleito quatro anos depois.

O próximo prefeito escolhido nas urnas foi Marcelo Miranda Soares (Arena), que dois anos após comandar a cidade foi eleito senador e em, 1987, governador de Mato Grosso do Sul.

PMDB – Em maio de 1983, os campo-grandenses escolheram o agropecuarista Lúdio Martins Coelho (PMDB) prefeito. Sua administração foi seguida pela do advogado Juvêncio César da Fonseca, do mesmo partido. Em janeiro de 1989 Lúdio retornou à prefeitura eleito novamente pelo voto direto, mas desta vez pelo PTB.

Quatro anos depois retornou à administração municipal o ex-prefeito Juvêncio, também eleito pelo voto popular, dando início a uma fase de 20 anos do PMDB à frente da prefeitura da Capital.

Seu sucessor foi o atual governador André Puccinelli (PMDB), que tomou posse em 1997 consolidando-se como uma das mais importantes lideranças políticas de todo o Estado. André foi reeleito no pleito seguinte e conseguiu entregar a prefeitura quatro anos depois a um companheiro do mesmo partido, o prefeito Nelsinho Trad (PMDB), que também administrou a cidade durante dois mandatos.

Apesar do esforço de ambos para a legenda permanecer à frente do município, o candidato progressista conseguiu a preferência dos eleitores. A princípio, sua candidatura não teve apoio de nenhum arco de aliança. No segundo turno, entretanto, partidos antes ligados à base aliada do prefeito Nelsinho Trad, como o PSDB, decidiram apoiar Bernal devido à sua grande aceitação pelo eleitorado.

Veja a lista de todos os prefeitos de Campo Grande eleitos pelo voto direto:

 

 

1Eduardo Olímpio Machado (militar)27 março de 1937 a 12 de agosto de 1941
2Fernando Corrêa da Costa (UDN)1º de dezembro de 1947 a 31 de janeiro de 1957
3Ary Coelho de Oliveira (PTB) 31 de janeiro de 1951 a 21 de janeiro de 1952
4Wilson Fadul (PTB)26 de janeiro de 1953 a 31 de janeiro de 1955
5Marcílio de Oliveira Lima (UDN)31 de janeiro de 1955 a 31 de janeiro de 1959
6Wilson Barbosa Martins (UDN)31 de janeiro de 1959 a 24 de janeiro de 1963
7Antônio Mendes Canale (Arena)31 de janeiro de 1963 a 31 de janeiro de 1967
8Plínio Barbosa Martins (MDB)31 jan 1967 / 31 jan 1970
9Antônio Mendes Canale (Arena)31 de janeiro de 1970 a 31 de janeiro de 1973
10Marcelo Miranda Soares (Arena)31 de janeiro de 1977 a 29 de junho de 1979
11Lúdio Martins Coelho (PMDB)20 de maio de 1983 a 31 de dezembro de 1985
12Juvêncio César da Fonseca (PMDB)1º de janeiro de 1986 a 31 de dezembro de 1988
13Lúdio Martins Coelho (PMDB)1º de janeiro de 1989 a 31 de dezembro de 1992
14Juvêncio César da Fonseca (PMDB)1º de janeiro de 1993 a 31 de dezembro de 1996
15André Puccinelli (PMDB)1º de janeiro de 1997 a 31 de dezembro de 2004
16Nelsinho Trad (PMDB)1º de janeiro de 2005
17Alcides Bernal (PP)assumirá a prefeitura em 1º de janeiro de 2013


Gostei da reportagem mas tem um erro, o saudoso Ludio Coelho em seu primeiro mandato como prefeito em 1983 foi nomeado pelo governador Wilsom Martins, sendo eleito pelo voto direto em 1989.
 
Victor Antunes em 29/10/2012 10:30:39
em 1983, os campo-grandenses NÃO escolheram Lúdio Coelho prefeito. O mesmo foi nomeado pelo então governador Wilson Martins, visto que na época não havia eleições diretas para prefeitos de capitais. O sucessor de Lúdio, Juvêncio, foi eleito já pelo voto direto, então instituído para as capitais. Lúdio voltou à prefeitura em 1989, dessa vez eleito.
grato
mario.
 
Mario Rabelo Dias em 29/10/2012 09:13:45
após o golpe de 64,, as posses aconteciam em março. A eleição do Plínio se deu em 64 (Campo Grande não era capital), ficando 65, 66, 67, 68,, Plínio Barbosa Martins. Canale eleito em 68 fica 69, 70,71 e 72, qdo então elege-se prefeito de C. Gde. Levi Dias, ficando a frente da prefeitura 73,74,75 e 76. em 1976, disputa a prefeitura Marcelo Miranda e Sérgio Cruz, Marcelo Miranda vence a eleição, mas não termina seu mandato,, pois é nomeado Governador em 79.
 
Valter Favaro em 29/10/2012 09:07:36
Graças à uma multa milionária aplicada em cima da MMX em 2008, temos que aturar isso por quatro anos. Agora é o o Eike Batista quem vai nomear Diretoria de Ibama e outros orgãos.
 
Juraci Furtado em 29/10/2012 08:53:35
Vai ser conhecido também como o maior fiasco da história. retrocesso é a melhor palavra.
 
Andrey Fontenello em 28/10/2012 22:49:44
Guardar para posteridade
 
Valdemir Gomes em 28/10/2012 22:16:43
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions