A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 23 de Agosto de 2017

30/03/2014 13:38

Murilo Zauith não trocará prefeitura por suplência ou vaga de vice-governador

Kleber Clajus
Reunião ocorreu na casa de Zauith e contou com a presença de lideranças do PSDB, DEM e PT (Foto: Divulgação)Reunião ocorreu na casa de Zauith e contou com a presença de lideranças do PSDB, DEM e PT (Foto: Divulgação)

O prefeito de Dourados, Murilo Zauith (PSB), reafirmou neste domingo (30) que não tem interesse de ocupar suplência ao Senado ou vaga de candidato a vice-governador nas eleições deste ano. Ele recebeu, durante a manhã, comitiva liderada pelo senador Delcídio do Amaral (PT) com o objetivo de agregar o PSB à chapa majoritária petista no Estado.

De acordo com o secretário municipal de governo de Dourados, José Jorge Filho, a possibilidade de Zauith disputar uma das vagas foi “descartada”. “Vice e suplente não se discute”, confirmou.

A reunião com Delcídio, que é pré-candidato ao governo do Estado, ocorreu na casa do prefeito. O petista aproveitou o momento para convidar Zauith à vaga de vice-governador, mas também pediu que indique um nome representativo de Dourados.

“Minha preferência é pelo Murilo, mas como líder do PSB ele vai discutir isso dentro do partido. Dourados não só indicaria um vice, mas abriríamos espaços no Executivo, caso eleitos, para que seja protagonista na administração”, pontuou Delcídio.

O encontro foi acompanhado pelos deputados federais Reinaldo Azambuja (PSDB), Vander Loubet (PT) e do estadual Zé Teixeira (DEM).

Só ao governo – Murilo, que já foi vice-governador no primeiro mandado de André Puccinelli (PMDB), pretende renunciar a prefeitura somente se concorrer ao cargo de governador.
Ele chegou a ser cotado como suplente ao Senado de Puccinelli, mas descartou essa possibilidade na sexta-feira (28).

O objetivo do líder regional do PSB, no entanto, se concentra em garantir um palanque para o governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), que deve disputar a sucessão de Dilma Rousseff (PT).
Caso opte pela renúncia, Murilo deve confirmá-la até 5 de abril.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions