A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

23/10/2014 22:27

No 2° bloco candidatos apresentam propostas e voltam aos ataques

Leonardo Rocha
Candidatos falam sobre temas sorteados e voltam aos ataques pessoais (Foto: Alcides Neto)Candidatos falam sobre temas sorteados e voltam aos ataques pessoais (Foto: Alcides Neto)

Sob o comando do jornalista Carlos Monforte, o segundo bloco do debate da TV Morena, começou com perguntas sobre o temas diferentes, entres eles educação, saúde, sistema penitenciário e incentivos fiscais. Os candidatos apresentaram as propostas, mas não deixaram de fazer ataques, lembrando de parcerias políticas e investimentos do governo federal.

Delcídio do Amaral (PT) começou perguntando sobre a lotação do sistema penitenciário do Estado, Azambuja afirmou que 60% dos presos são federais, mas que a União não investiu o bastante, deixando para o governo estadual. Ele citou as boas gestões públicas privadas em Minas Gerais, São Paulo e Santa Catarina.

Delcídio retornou a questão anterior, do primeiro bloco, e lembrou que o assessor de Azambuja respondia processo no TJ-MS (Tribunal de Justiça de MS), Azambuja respondeu que o próprio candidato petista também tem um processo na justiça federal.

Delcidio lembrou que foram investidos RS 160 milhões, pela União, em 8 anos no Estado, enquanto que o PSDB não investiu nada, Reinaldo lembrou que metade da cúpula do PT está no presídio da Papuda, em Brasília. Sobre os incentivos, o candidato tucano lembrou da guerra fiscal entre os estados, e o petista falou que ele conhecia pouco do assunto, citando que São Paulo está contra o Estado nesta questão, assim como no gás natural.

Reinaldo prometeu diversificar a economia e levar riquezas para regiões mais pobres, enquanto que Delcídio lembrou que está a frente da comissão que discute o projeto de incentivo fiscal em Brasília. Para saúde, o petista lembrou que Reinaldo está do lado de pessoas que foram envolvidas na Máfia do Câncer e no endividamento da Santa Casa.

Azambuja respondeu que o PT deixou de investir R$ 32 milhões em saúde, o que prejudicou os hospitais de todo país, ele ainda citou que seu pai teve câncer e por esta razão ele conhece bem a realidade da doença e tratamento.

“Estou construindo o hospital do câncer de Barretos, em Nova Andradina, o senhor obstruiu o projeto que perdoava as Santas Casas, sobre sua família, tenho maior respeito, ele que envolve os familiares em ilegalidades”, disse Delcídio.

Azambuja rebateu dizendo que o petista que tinha vários processos. O tucano continuou dizendo que vai cuidar para regionalizar a saúde e levar um atendimento melhor. Para educação, Reinaldo disse que na gestão de Zeca do PT os servidores tinham que fazer empréstimo para receber o 13° salário. Delcídio lembrou que o PT recebeu seis folhas atrasadas de pagamento quando assumiu o governo, deixado pelo PMDB, que tinha irmãos siameses com Reinaldo.

Reinaldo citou então a viagem de Delcídio com o governador André Puccinelli (PMDB) para Brasília, dizendo que ele também estava com o PMDB, mesmo criticando esta aliança, já o petista explicou que o governador sempre pronunciou seu apoio a presidente Dilma Rousseff (PT).

Neste bloco os candidatos puderam expor seus projetos e propostas sobre temas importantes para sociedade, mas em muitos momentos preferiram o confronto com acusações e ataques sobre parcerias políticas e gestões do PT a nível federal e estadual, assim como críticas a governos do PMDB e PSDB.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions