A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

20/05/2011 11:30

Operação em SP apreende R$ 30 mil em carro de ex-prefeito de Corumbá

Fabiano Arruda
Aurélio Cance Júnior, ex-diretor da Sanesul, é um dos presos na operação. (Foto: EPTV)Aurélio Cance Júnior, ex-diretor da Sanesul, é um dos presos na operação. (Foto: EPTV)

A força-tarefa desencadeada na madrugada desta sexta-feira, em Campinas, pela Polícia Civil e Ministério Público de São Paulo, apreendeu R$ 30 mil no porta-malas do carro do ex-prefeito de Corumbá, Ricardo Chimirri Cândia, que foi diretor de Planejamento da Prefeitura campinense.

As investigações são referentes ao caso de irregularidades no caso Sanasa (Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento S/A).

Ralph Tórtima Filho, advogado do ex-secretário municipal de Controle Urbano, Ricardo Candia, disse nesta sexta-feira, segundo informações divulgadas pela EPTV, que o ex-prefeito de Corumbá já havia se comprometido a depor. “Estamos entrando com um pedido de revogação desta prisão”, disse.

Além de Cândia, também foi preso o ex-diretor da Sanesul (Empresa de Saneamento de Mato Grosso do Sul), Aurélio Cance Júnior, que era diretor técnico da Sanasa. A imprensa nacional trata o grupo como "República de Corumbá".

Ele chegou num camburão hoje na Corregedoria da Polícia Civil, no Centro de Campinas. Perguntado o que tinha a dizer da prisão, afirmou: “Isso é um absurdo. Não sei de nada. Não sei nem qual é a acusação”.

Francisco de Lagos, que foi secretário de Cultura em Campo Grande, na prefeitura de Lúdio Coelho e também foi presidente da Fundesporte no governo Pedro Pedrossian, e exercia o cargo de secretário de Comunicação em Campinas, é tido como foragido.

Além dos R$ 30 mil encontrados no carro de Ricardo Cândia, a operação apreendeu R$ 60 mil na casa do atual vice-prefeito Demétrio Vilagra.

A Prefeitura de Campinas disse que não vai se pronunciar sobre o caso por enquanto.

Confira a lista de mandados de prisão e o cronograma da operação, em matéria veiculada pelo grupo de comunicação RAC (Rede Anhanguera de Comunicação):

Ex-prefeito de Corumbá, Ricardo Cândia, preso na força-tarefa. (Foto: Reprodução/EPTV)Ex-prefeito de Corumbá, Ricardo Cândia, preso na força-tarefa. (Foto: Reprodução/EPTV)

Até agora foram presos Aurélio Cance Jr. (Diretor da Sanasa), Ricardo Chimirri Cândia (Ex-diretor de Planejamento da Prefeitura), Gregório

Wanderley Cerveira (Empresário), João Thomaz Pereira Jr. (Empresário)João Carlos Gutierrez (Empresário), Alfredo Ferreira Antunes (Empresário)Augusto Ribeiro Antunes (Empresário), Marcelo Figueiredo (Empresário) Luiz Arnaldo Pereira Mayer (Empresário), Pedro Luiz Ibrahin Hallack (Empresário), Valdir Carlos Boscato (Empresário), Dalton dos Santos Avancini (Empresário).

São considerados foragidos Demétrio Vilagra (Vice-prefeito de Campinas), Carlos Henrique Pinto (Secretário de Segurança de Campinas), Francisco de Lagos (Secretário de Comunicação de Campinas), Ivan Goretti de Deus (Promotor de Eventos), Maurício de Paulo Manduca (Lobista), Emerson Geraldo de Oliveira (Lobista), José Carlos Cepera (Empresário), Gabriel Ibrahin Gutierrez (Empresário).

Cronograma do caso

17 de setembro de 2010 - O Gaeco e a Corregedoria da Polícia Civil desmontam um esquema de fraudes em licitação. Oito pessoas foram presas entre elas o empresário paulistano José Carlos Cepera e os lobistas campineiros, Maurício de Paulo Manduca e Emerson Geraldo de Oliveira. O esquema atingiu 11 prefeituras, incluindo a Sanasa em Campinas. As apurações apontaram um prejuízo de R$ 615,7 milhões.

23 de setembro de 2010 - Um computador do prédio do Ministério Público que continha informações sobre as investigações de fraudes nas licitações é furtado durante a madrugada.

30 de setembro de 2010 - A primeira análise feita pelas sindicâncias abertas pela Prefeitura para investigar o caso não apontam irregularidades.

18 de outubro de 2010 - A sindicância aberta pela Sanasa também não identificou irregularidades nos contratos com as empresas de Cepera.

19 de outubro de 2010 - A Sanasa contrata por R$ 360 mil o escritório de advocacia Oliveira Lima, Hungria Dall'Acqua & Furrier para defender a empresa. Oliveira Lima já atuou como advogado do ex-minitros da Casa Civil, José Dirceu e do médico Roger Abdelmassih.

28 de outubro de 2010 - O presidente da Sanasa Lauro Péricles Gonçalves presta depoimento na CPI. O diretor técnico da empresa, Aurélio Cance Júnior, esteve no depoimento e afirmou que a Sanasa não iria romper os contratos com as empresas denunciadas e abriria novos processo de licitação ao término das prestações de serviço. Cance afirma conhecer Cepera.

08 de dezembro de 2010 - Um policial federal envolvido nas investigações de fraudes em licitações é encontrado morto em Campinas. A Corregedoria da Polícia passa a investigar a morte do policial que era chefe do departamento de inteligencia da PF.

04 de janeiro de 2011 - A Sanasa prorroga o contrato com a Pluriserv, uma das empresas denunciadas. O aditamento no valor de R$ 500 mil para o serviço de segurança foi prolongado por um mês.

18 de janeiro de 2011 - O juiz da 3ª Vara Criminal de Campinas acata a ação de peculato proposta pelo MP pela contratação do advogado Oliveira Lima.

24 de janeiro de 2011 - A CPI da Sanasa na Câmara é encerrada e os vereadores não encontram irregularidades.

Ex-secretário de Cultura em Campo Grande, Francisco Lagos é tido como foragido. (Foto: Divulgação)Ex-secretário de Cultura em Campo Grande, Francisco Lagos é tido como foragido. (Foto: Divulgação)

12 de abril de 2011 – O MP faz 17 novas convocações para depoimentos. Na lista estão a primeira-dama, Rosely Nassim Jorge Santos, o secretário de Cooperação nos Assuntos de Segurança Pública, Carlos Henrique Pinto, o coordenador de Comunicação, Francisco de Lagos, o presidente da Sanasa, Lauro Péricles Gonçalves, além de empresários e outros dirigentes públicos.

19 de abril de 2011 – O MP passa a investigar as empresas da família do ex-diretor de Planejamento da Prefeitura, Ricardo Chimirri Cândia. O empresário possui 19 terrenos alugados para a instalação de telefonia celular.

20 de abril de 2011 – A oposição na Câmara Municipal de Campinas articula a criação de uma nova Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar as mais recentes denúncias de supostas fraudes nos contratos da Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento S.A. (Sanasa).

22 de abril de 2011 – O Ministério Público (MP) em Campinas ouve o lobista Maurício de Paulo Manduca no processo que investiga supostas fraudes em sete contratos da Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento (Sanasa). Manduca foi apontado como um intermediador num esquema de fraudes e direcionamento em contratos públicos e lavagem de dinheiro, operado por seis empresas do empresário paulistano, José Carlos Cepera. O lobista chegou a ser preso em setembro do ano passado, quando o caso veio à tona, mas conseguiu na Justiça o direito de responder o processo em liberdade.

25 de abril de 2011 – Numa tentativa de livrar o Executivo de mais desgastes na Câmara, os vereadores da base governista partiram para a coleta de assinaturas de uma nova Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI). Desta vez, a Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento (Sanasa), sai de foco para dar lugar as antenas de telefonia celular. A CPI das antenas segundo o líder de governo, Francisco Sellin, pode reforçar o trabalho de investigação que teve início dentro da Prefeitura.

06 de maio de 2011 – A Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento S.A (Sanasa) terá que submeter à análise e aprovação da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb), em 90 dias, um plano de recuperação ambiental da área de proteção permanente (APP) do Córrego Boa Vista, no distrito de Aparecidinha, sob pena de multa diária de R$ 2 mil. Naquele local, caminhões da empresa foram flagrados, no ano passado, fazendo o depósito irregular de resíduos.

06 de maio de 2011 - O proprietário da Miami Store José Carlos Said Diaz negou conhecer o ex-diretor de Planejamento de Campinas Ricardo Chimirri Cândia, após prestar depoimento no Ministério Público (MP). O empresário rebateu também que mantenha qualquer contato com o primeiro escalão do governo Hélio de Oliveira Santos (PDT). Diaz foi ouvido no processo que apura supostas fraudes em contratos da Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento (Sanasa) e também de envolvimento de dirigentes públicos em irregularidades. O promotor de eventos Ivan Goretti de Deus também prestou esclarecimentos ontem à promotoria.

06 de maio de 2011 - Como se já não bastassem as investigações do Caso Sanasa, que envolvem o primeiro escalão da Prefeitura de Campinas, agora o prefeito Hélio de Oliveira Santos (PDT) será notificado, a pedido da Promotoria de Justiça de Habitação e Urbanismo de Campinas, sobre ofício contendo “recomendações” a respeito de “parcelamentos de solo realizados irregularmente” envolvendo empreendimentos do Programa Minha Casa, Minha Vida, segundo informa a assessoria de imprensa do MP. O pedido de notificação já foi deferido pela 1ª Vara da Fazenda Pública de Campinas, ainda de acordo com o MP.

07 de maio de 2011 - O prefeito de Campinas, Hélio de Oliveira Santos (PDT), tenta obter no Tribunal de Justiça (TJ) do Estado de São Paulo um habeas corpus para evitar que as investigações do Ministério Público (MP) relacionadas à Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento S.A. (Sanasa) tenham qualquer consequência contra ele e a primeira-dama e secretária chefe de Gabinete, Rosely Nassim Jorge Santos.

20 de maio de 2011 - O vice-prefeito de Campinas, Demétrio Vilagra, e os secretários de Segurança, Carlos Henrique Pinto, e de Comunicação, Francisco de Lagos, estão sendo procurados pela Polícia Civil em Campinas. Eles fazem parte da lista de 20 mandados de prisão relacionados ao Caso Sanasa. A informação é do delegado da Corregedoria da Polícia Civil Roveraldo Bataglini, que integra a operação deflagrada pelo Ministério Público na madrugada desta sexta-feira (20). Na lista estão dirigentes públicos, secretários municipais, empresários e lobistas.

Ex-prefeito de Corumbá apresenta defesa e diz sofrer perseguição da imprensa
O ex-diretor de Urbanismo da Prefeitura de Campinas, Ricardo Chimirri Cândia, que é ex-prefeito de Corumbá, informou nesta quinta-feira ter antecipad...
MP paulista já intimou pecuarista de MS e ex-diretor da Sanesul sobre fraudes em Campinas
O pecuarista José Carlos Bumlai, que possui empreendimentos em Mato Grosso do Sul, foi intimado pelo Ministério Público de São Paulo para falar sobre...


Quem disse que nossas exportações não estão sendo notícia lá fora ? Nossos políticos estão saindo (pelo) ladrão !
 
Helio Barros em 21/05/2011 09:36:37
Agora sei como o CANCEr aumenta..........demorou.... más a casa caiu...
 
GILMAR CANDIDO em 21/05/2011 06:57:16
SE FOSSE EU POBRE PAGÃO JA TINHA CAIDO NA MALHA FINA
 
João Simões em 20/05/2011 10:35:14
E agora?
Tenho certeza que isto não vai dar em nada e daqui uns anos ELE (Ricardo Cândia) estará de volta e se candidatará novamente e o povo que é idiota voltará a reelegê-lo e tudo ficará como antes.
Pois o que mais ELE pregou em campanhas anteriores era sua condulta honesta e sem fraucatuas...pena que o ar de menino bonzinho que sempre teve não enganou a todos.
Cadeia prá este PILANTRA!!!
 
Felicio da Silva em 20/05/2011 09:50:27
e a nossa SANESUL arrecada rios de dinheiro , será que existe MP neste estado vamos averiguar tem coisa ia .........
 
carlos tres lagoas em 20/05/2011 08:46:05
Fico pensando...se tive operação aqui,muitas gentes vai...melhor não vai,façam, desviam e nada acontece .até quando ficaram impune.
Gostaria de ver muitas gente grande aqui, atrás da grades.
 
maria ferreira em 20/05/2011 07:30:56
vai ter que abrir licitação pra construção de cadeias rsrsr
 
Marcos Godoy em 20/05/2011 06:19:17
Tem que ser perguntado para Receita Federal,se esse pessoal não tem CPF.porque é brincadeira não cairem por movimentação de dinheiro não declarado e são os ricos do momento.Enquanto isso nossa Saúde sofre,sem recursos vamos colocar na rede temos que acabar com essa pouca VERGONHA....FALEI
 
Luiz Carlos Santos Messias em 20/05/2011 05:54:46
Atenção autoridades e politicos corumbaensses, ponham a barba de molho... Pois ainda ficou muita gente pra traz que ainda vai cair......
 
carlos lima em 20/05/2011 05:03:07
Primeiro foi a turma de Dourados MS, agora a turma de Corumba MS (em Campinas-SP). Quando será pega a turma de Campo Grande MS? Ou será que la não tem!
 
Ivo Alves em 20/05/2011 04:54:46
a casa caiu
 
paulo marques em 20/05/2011 03:05:38
Anos atrás, acho que uns seis, mais ou menos, a imprensa campineira se referiu ao pessoal que estava na equipe do prefeito Hélio dos Santos, como REPÚBLICA DE MATO GROSSO DO SUL, e não de CORUMBÁ, conforme consta na matéria. O Ricardo é de Corumbá, mas a grande maioria que foi pra Campinas é de origem campograndense, sairam daí.
Obrigado pela correção.
 
Antônio Carlos em 20/05/2011 02:58:44
Gostaria que vc anunciasse os desmandos qdo ocorrem aqui tambem, porque de fora vc teve uma velocidade incrivel
por que será ??
Creio que noticias sobre corrupção e abusos que ocorrem em nossa cidade ( netre aspas)
deveria ter a sua rapidez tambem na mesma moeda
quem sabe vc publica esta noticia , pq , o seu dpto de vetos esta suspeito demais !!!
Sejamos imparciais ou com o tempo perderá crédito
Abraços
 
paulo otavio em 20/05/2011 02:00:05
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions