A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

04/09/2013 13:52

PMDB e PT se querem mutuamente em MS e oferecem “dotes” ousados

Zemil Rocha
Delcídio (à esquerda) e Nelsinho (à direita) se dizem dispostos à aliança entre PMDB e PTDelcídio (à esquerda) e Nelsinho (à direita) se dizem dispostos à aliança entre PMDB e PT

Por mais insólito que possa parecer, os dois maiores adversários políticos na história de Mato Grosso do Sul, PMDB e PT, estão se oferecendo mutuamente vagas para aliança eleitoral. Nenhum deles abre mão da cabeça de chapa, mas estão dispostos a ceder vagas de senador, vice-governador e até mesmo de suplente de senador para fechar um acordo e permitir uma forte aliança e, com isso, fazer uma campanha eleitoral mais barata e evitar os riscos de segundo turno. As ofertas de “dote” para o casamento político estão cada vez mais ousadas.

Tanto o recém-lançado pré-candidato a governador do PMDB, Nelsinho Trad, quando o senador Delcídio do Amaral, que há vários anos já é apontado como a opção do PT para a sucessão de André Puccinelli, revelam disposição para um entendimento. Ambos têm declarado que podem compor uma chapa com participação de peemedebistas e petistas.

Nesta quarta-feira (4), ao ser indagado se PMDB e PT realmente querem um acordo, já que demonstram estar se querendo mutuamente como aliados, o secretário estadual de Articulação com os Municípios, Nelsinho Trad, respondeu: “Você sabe a dificuldade de um entendimento entre PMDB e PT. É uma hipótese muito pouco provável”.

Segundo Nelsinho, a história de confrontos eleitorais entre os dois partidos dificilmente seria entendida pela população, já que há mais de 20 anos estão em lados opostos nas eleições. Tudo começou aliás, em 1996, quando o peemedebista André Puccinelli venceu Zeca do PT por uma diferença de 411 votos na disputa pela Prefeitura de Campo Grande. Em meio à acusação de compra de votos, a rivalidade entre os dois partidos cresceu, mantendo-se nos dois mandatos de Zeca do PT como governador, de 1999 a 2005, e nestes seis anos e oito meses do governo de Puccinelli.

Nelsinho, contudo, demonstra ousadia ao tirar a vaga de senador de Simone Tebet e oferecê-la para composição com outros partidos, inclusive o PMDB. Se por um lado, reforça a possibilidade de conquistar aliados externamente, pode ter dificuldade interna com a insatisfação de Simone.

O senador Delcídio do Amaral chegou a oferecer, nesta semana, espaço total ao PMDB na chapa majoritária, ficando apenas com a vaga de candidato a governador. “Minha chapa tem espaço de destaque para o PMDB”, afirmou Delcídio, oferecendo aos peemedebistas as vagas de senador, vice-governador e até de suplente de senador.

Contudo, apesar de dizer que o PMDB tem grande chance de construir um “excelente acordo” para as eleições do ano que vem, com chances assim de manter-se no poder em 2014, Delcídio sabe que a possibilidade de acordo é hoje mais difícil.

Há dois fatores que impulsionam a candidatura de Nelsinho Trad: a grande aprovação popular da administração do governador André Puccinelli, que deve ser ainda mais favorecida com o lançamento do pacote de obras do MS Forte-2, com investimentos de R$ 3,6 bilhões; e as dificuldades administrativas do sucessor de Nelsinho em Campo Grande, prefeito Alcides Bernal (PP), que tem o PT como partido aliado. São dois pontos relevantes no discurso do PMDB na campanha eleitoral do ano que vem, além da inevitável confrontação de números entre as administrações de Zeca do PT e de André Puccinelli.



A isto eu chamo de "fome de poder".
 
Fernando Silva. em 04/09/2013 23:56:27
ACORDA NELSINHO, É MELHOR SER VICE E FUTURAMENTE SER ALGUMA COISA A MAIS DO QUE GASTAR MUITO E LEVAR TINTA. CONSELHO DE QUEM TEM VIAJADO O ESTADO DE NORTE A SUL DE LESTE A OESTE. E QUE DEUS ABENÇOE TODOS NÓS.
 
jorge ferreira em 04/09/2013 20:04:50
"Sou 45 VOTO 11"
EU NUNCA VOU ESQUECER
 
Antonio Harper em 04/09/2013 18:42:39
Eu votaria em DELCIDIO , mas setiver uma aliança entre PT E PMDB , voto em qualquer outro.
 
RUBENS GOMES em 04/09/2013 18:05:38
Isso não vai dar certo, não existe. Lembro-me em 2010 que o repórter perguntou ao Governador André sobre a possibilidade de aliança com o PT e ele respondeu que "Vá de Retro Satanás " e não apoiou o Michel Temer como vice da Dilma. Apesar que fizeram uma faz de conta liberando algumas lideranças do PMDB em apoio a Dilma no segundo turno.
O povo de MS não aceita essa aliança e nem tampouco as lideranças de PT e PMDB. Como diz o nosso temperamental governador " Vão de Retro Satanás", a língua solta não suporta as decisões políticas.
 
Edilson dos Santos em 04/09/2013 17:54:12
Sou Delcidio com força, mas se ele coligar com o PMDB, serei anti Delcidio com toda as Forças. E me sentirei traído.
 
Fabio Borges em 04/09/2013 17:09:26
É um equívoco afirmar rivalidade entre PT e PMDB, o que existe de fato é uma rivalidade entre André e Zeca.
 
Manoel Belo Viração Filho em 04/09/2013 16:47:56
Entenderam agora o porque de tanta oposição ao novo prefeito?
Confiando na amnésia do povo, criar um ambiente ruim, visando comparar a administração de 20 anos de PMDB em Campo Grande contra os meses do Bernal e com isso alavancar a candidatura do Nelsinho, a fim de abafar o fiasco eleitoral do PMDB nas eleições municipais de 2012.
Vocês conhecem a história de que uma mentira contada repetidas vezes vira verdade?? Então, as eleições de 2012 ainda não acabaram, e as de 2014 começaram há muito tempo ...
Meu respeito a todos!
 
Paulo Porto em 04/09/2013 16:43:28
se o Delcidio quiser perder meu voto e da maioria dos campo grandenses, é só fazer essa aliança.
 
joao de deus em 04/09/2013 16:39:16
senador nem pense em fazer isso, pois estará jogando a história do PT no lixo,uma conquista que começou com um operário trabalhador,e passando por uma mulher a ser a primeira eleita presidente do brasil,sem contar que o senhor veio de santa catarina pra ser o primeiro senador eleito do PT em mato grosso do sul,caso isso aconteça voto em uma terceira opção !
 
osvaldo willian da silva em 04/09/2013 14:36:10
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions