A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

12/02/2009 11:10

PT nacional vai tentar reconciliar Zeca e Delcídio

Redação

O PT nacional vai entrar em campo para tentar unir as duas maiores lideranças do partido em Mato Grosso do Sul: o ex-governador Zeca do PT e o senador Delcídio Amaral. Depois de muitas disputas, os protagonistas do "racha" petista têm demonstrado surpreendente boa-vontade em prol das eleições do próximo ano.

O objetivo é que Zeca dispute o governo do Estado, Delcídio tente a reeleição e a ministra Dilma Roussef tenha palanque assegurado na disputa pela presidência.

Uma palestra sobre a crise econômica, a convite do deputado estadual Pedro Teruel (PT), deve trazer o ministro do Planejamento, Paulo Bernado, a Mato Grosso do Sul.

Na ocasião, Bernardo, que foi secretário no governo de Zeca do PT, também vai tratar da crise interna do partido. A palestra ainda não tem data.

Já o presidente nacional do Partido dos Trabalhadores, Ricardo Berzoini, virá ao Estado no mês que vem. Acompanhado por membros da executiva nacional, ele quer preparar o palanque para a candidatura de Dilma Roussef.

Entre os petistas, há o temor de que a eleição, em novembro, para escolha do novo presidente regional seja a pedra no caminho da reconciliação entre Zeca e Delcídio.

Contudo, os dois candidatos ao comando do partido evitam polêmica. Atual presidente, o deputado estadual Amarildo Cruz (PT) afirma que sua candidatura é natural, mas não irreversível. "Em nome do entendimento, posso abrir mão da presidência", salienta.

Já Zeca do PT, que quer o comando do partido para viabilizar seu projeto político, pode abrir mão da candidatura se não houver unanimidade. Partidário do ex-governador, o deputado estadual Pedro Kemp (PT) enfatiza que Zeca não pode ser intransigente.

De acordo com Kemp, Zeca quer a união do partido e pretende ter uma conversa com Delcídio. "Uma conversa longe da imprensa, para fazer um acordo", descreve.

Descartado

Reforma da Previdência deve ser votada na semana que vem, diz Meirelles
A reforma da Previdência deve ser votada na semana que vem, de acordo com o ministro da Fazenda Henrique Meirelles. A declaração foi dada na noite de...
Quanto mais reforma demorar, mais dura será correção, diz ministro
Caso o governo não consiga aprovar a reforma da Previdência ainda este ano, conseguirá em 2018, disse hoje (11) o ministro do Planejamento, Dyogo Oli...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions