ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, QUINTA  01    CAMPO GRANDE 27º

Política

Reinaldo usa PR como exemplo para criticar excesso de partidos

Governador afirmou que missão do próximo presidente da República é fazer "uma reforma política decente"

Por Mayara Bueno | 10/04/2018 13:11
Governador do Estado, Reinaldo Azambuja, durante entrevista à imprensa. (Foto: Marina Pacheco).
Governador do Estado, Reinaldo Azambuja, durante entrevista à imprensa. (Foto: Marina Pacheco).

O governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB), citou o PR como exemplo para criticar a quantidade de partidos políticos e defender a necessidade de uma reforma política no Brasil.

Em Mato Grosso do Sul, o PR trocou a presidência, até então comandada pelo ex-deputado Londres Machado. Para o chefe do Executivo estadual, o que ocorreu neste partido foi uma "intervenção branca".

"Isso é a dinâmica da política brasileira. Enquanto o Brasil tiver essa enormidade de partidos vamos conviver com isso. Precisamos de uma reforma política decente. Essa é a missão do novo presidente".

O governador complementou dizendo que, no País, são 32 siglas diferentes. "Absurdo", que, segundo Azambuja, faz com que cada um tome um determinado caminho nem sempre em prol do coletivo.

"Às vezes individual de algum dirigente, como foi o caso específico do PR, que foi imposta uma intervenção branca pelo ex-deputado Giroto, que praticamente construiu com a executiva nacional uma intervenção, que levou a saída de lideranças".

Janela partidária - Reinaldo também considerou que o PSDB teve um "ganho real" após o término da janela partidária. Os tucanos perderam um deputado federal [Elizeu Dionósio saiu do PSDB rumo ao PSB], mas ganharam mais um parlamentar estadual, com a entrada de Paulo Corrêa, que deixou o PR.

"Pelo conjunto da manutenção da nossa base política, tivemos um ganho real. No momento oportuno vamos debater. O que importa é se aliar com que faz a boa política".

Regras de comentário