A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

08/11/2010 10:17

Sem acordo, governador promete mais ações contra a Cesp

Redação

Sem uma sinalização de acordo por parte da Cesp (Companhia Energética de São Paulo), o governador André Puccinelli (PMDB) promete ingressar com novas ações na Justiça, em parceria com os municípios impactados, para receber as indenizações pelo estrago provocado pelas barragens da hidrelétrica Porto de Primavera.

Segundo o governador, cerca de R$ 170 milhões já foram bloqueados por meio de ações movidas pelas prefeituras de Anaurilândia e Bataguassu, dois dos municípios afetados pelo lago formado pelas barragens.

Com a inundação de terras em sua maioria agricultáveis, também tiveram prejuízos as prefeituras de Batayporã, Santa Rita do Pardo, Brasilândia, Três Lagoas e Selvíria.

"Já propusemos um acordo global, porque é melhor um mau acordo do que uma boa demanda. Dissemos para eles que vamos entrar com uma ação atrás da outra e que eles correm o risco de perder mais dinheiro do que o acordo proposto", afirmou.

O acordo proposto pelo governador totaliza R$ 700 milhões. São R$ 150 milhões em obras mitigatórias (que eliminam os efeitos nocivos causados pela barragem da hidrelétrica) e o restante do valor em obras compensatórias, que incluem a pavimentação da rodovia 040, que começa nas Três Barras, passa por Ribas do Rio Pardo, Água Clara, Santa Rita do Pardo, Brasilândia e "desemboca" na ponte de Paulicéia (SP).

O governo de São Paulo aceita pagar apenas R$ 300 milhões, proposta não aceita por Mato Grosso do Sul.

Puccinelli disse que já falou por mais de cinco vezes com vários envolvidos na questão, como o ex-governador José Serra, o atual, Alberto Goldman, com o presidente da Cesp, Vilson Daniel Christofari, e com a secretária de Energia de São Paulo, Dilma Pena.

Se não conseguir fechar acordo com Goldman, Puccinelli acredita em um entendimento com o governador eleito de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), que esteve recentemente no Estado e também demonstrou disposição de entendimento sobre o ICMS do gás boliviano.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions