ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
MAIO, QUARTA  22    CAMPO GRANDE 24º

Política

STF forma maioria para tornar mais 250 réus por invasões, 3 são de MS

Este é a 3ª leva de julgamentos realizados pelo STF para tornar réus invasores dos Três Poderes

Silvia Frias | 07/05/2023 17:10
Invasão e depredação dos Três Poderes aconteceu no dia 8 de janeiro. (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)
Invasão e depredação dos Três Poderes aconteceu no dia 8 de janeiro. (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Com o voto eletrônico do ministro Gilmar Mendes, neste domingo (7), o STF (Supremo Tribunal Federal) formou maioria a favor do recebimento das denúncias contra 250 pessoas envolvidas nas invasões e depredações dos Três Poderes, em Brasília, no dia 8 de janeiro. O total de réus sobe para 550.

Na lista desta 3ª leva estão três residentes em Mato Grosso do Sul:  Antônio Plantes da Silveira, 53 anos, Cassius Alex Schons de Oliveira, 48 anos, e Eliel Alves, 44 anos.

Os três fazem parte do inquérito 4921, que, segundo o STF, investiga os autores intelectuais e pessoas que instigaram os atos. A acusação é de incitação ao crime (artigo 286, parágrafo único) e associação criminosa (artigo 288), ambos do Código Penal.

Gilmar Mendes acompanhou o voto do relator dos processos, ministro Alexandre de Moraes, assim como Dias Toffoli, Cármen Lúcia, Edson Fachin e Rosa Weber.

O único voto contrário foi o de André Mendonça, que rejeitou a denúncia contra 200 pessoas, mas votou pela aceitação contra outras 50. Mendonça não incluiu os acusados que foram presos um dia após o ocorrido, quando estavam acampados no Quartel-General do Exército.

Ainda faltam votar Luís Roberto Barroso, Nunes Marques e Luiz Fux. Devido à aposentadoria de Ricardo Lewandowski, a Corte não conta com o voto do 11° ministro.

O julgamento começou na última quarta-feira (3) e segue até segunda-feira (8), no plenário virtual do STF, modalidade em que os ministros depositam seus votos eletronicamente, sem deliberação presencial.

3ª leva – Até agora, 550 das 1.390 denúncias foram apresentadas pela PGR (Procuradoria-Geral da República). Todas focadas nos executores e nas pessoas acusadas de incitar a depredação de prédios públicos no centro da capital.

Em dois julgamentos anteriores, iniciados a partir do fim de abril, por maioria, o Supremo decidiu pela abertura de ações penais contra 300 pessoas acusadas de participação nos atos antidemocráticos.

O julgamento do quarto grupo, com 250 denunciados, foi marcado para a semana que vem. Se a maioria dos ministros aceitar as denúncias, os acusados passarão a responder a uma ação penal e se tornarão réus no processo. Nesta 4ª leva, 5 de Mato Grosso do Sul: Elaine Ferreira Gonçalves, de 43 anos, Joci Conegones Pereira, 52, José Paulo Alfonso Barros, 46, Maria Aparecida Barbosa Feitosa, 47, e Ricardo Moura Chicrala, 33 anos.

Eles vão responder pelos crimes de associação criminosa armada, abolição violenta do Estado Democrático de Direito, golpe de estado, dano qualificado e incitação ao crime. Haverá coleta de provas e depoimentos de testemunhas de defesa e acusação. Depois, o STF julgará se condena ou absolve os acusados, o que não tem prazo para ocorrer.

No dia 5, o ministro Alexandre de Moraes mandou soltar 40 pessoas. Com isso, dos 1,4 mil detidos inicialmente, permanecem presas 253 pessoas (67 mulheres e 186 homens). Com informações da Agência Brasil.

Nos siga no Google Notícias