ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
MAIO, QUARTA  22    CAMPO GRANDE 24º

Política

STF começa a julgar mais 3 de MS por invasões em Brasília

Segunda leva de julgamentos termina hoje e, amanhã, mais 250 podem virar réus por invasões aos Três Poderes

Silvia Frias | 02/05/2023 14:34
Grupo invadiu e vandalizou Congresso Nacional, Palácio do Planalto e sede do STF. (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)
Grupo invadiu e vandalizou Congresso Nacional, Palácio do Planalto e sede do STF. (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Mais três sul-mato-grossenses devem ser julgados pelo STF (Supremo Tribunal Federal) por participação na invasão aos Três Poderes, em Brasília, no dia 8 de janeiro. Esta vai ser a terceira leva de denunciados por incitação ou execução nos atos, chegando a 550 pessoas até agora.

Na segunda fase de votação, ainda em andamento, o STF já tem maioria para tornar réus os 200 denunciados pelos ataques, seguindo o voto do relator dos inquéritos, Alexandre de Moraes. Conforme a denúncia oferecida pela PGR (Procuradoria Geral da República), dois dos denunciados são de Mato Grosso do Sul: o empresário de Maracaju, Ivair Tiago de Almeida, 47 anos, e o morador de Sidrolândia, Ilson César Almeida de Oliveira.

Nesta terceira leva, o julgamento ocorrerá a partir da 0h do dia 3 de maio até 23h59 do dia 8 de maio. Se as denúncias forem recebidas, eles viram réus, e o processo terá seguimento com a fase de coleta de provas, na qual se inserem os depoimentos das testemunhas de defesa e acusação. Depois, o STF ainda terá de julgar se condena ou absolve os acusados, o que não tem prazo específico para ocorrer.

No levantamento feito pelo Campo Grande News, há pelo menos três residentes de MS na lista da terceira leva de julgamentos: Antônio Plantes da Silveira, 53 anos, Cassius Alex Schons de Oliveira, 48 anos, e Eliel Alves, 44 anos. A lista ainda pode ser atualizada até amanhã.

Plantes é morador do assentamento Nova Itamarati, de Ponta Porã; Cassius Schons mora em Campo Grande e trabalha com prestação de serviços, reformas residenciais e marcenaria; Eliel Alves aparece com RG de Mato Grosso do Sul, mas sem referências de residência no Estado.

Os três fazem parte do inquérito 4921, que, segundo o STF, investiga os autores intelectuais e pessoas que instigaram os atos. A acusação é de incitação ao crime (artigo 286, parágrafo único) e associação criminosa (artigo 288), ambos do Código Penal.

A reportagem conseguiu contato com a defesa de Antônio Plantes. A advogada Polyana Cristina Muraro Correia, que também representa outros dois de MS (Rodrigo Ferro Pakuszewski, 28 anos, e José Paulo Alfonso Barros, 46 anos) diz que irá fazer sustentação oral, alegando, em linhas gerais, que não há provas dos crimes imputados.

Parcial – Com a terceira fase, já são 10 residentes e/ou nascidos em Mato Grosso do Sul na lista de julgados.

Na primeira fase do julgamento, cinco pessoas de Mato Grosso do Sul integram a lista e já são réus: Diego Eduardo de Assis Medina, 55 anos; Djalma Salvino dos Reis, 45 anos; Eric Prates Kobayashi, 40 anos; Fábio Jatchuk Bulmann, 41 anos; e Fabrício de Moura Gomes, 45 anos. Os outros dois fazem parte da segunda leva.

Invasão - No dia 8 de janeiro, manifestantes vestidos de verde e amarelo estavam acampados diante do quartel-general do Exército, em Brasília, e foram para a Esplanada dos Ministérios. Invadiram e vandalizaram o Palácio do Planalto, o Congresso Nacional e o STF. Ao todo, a PGR ofereceu 1.290 denúncias contra investigados pelas invasões.

Nos siga no Google Notícias