ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, TERÇA  26    CAMPO GRANDE 22º

Educação e Tecnologia

Aplicativo que avalia homens vira febre e já tem campo-grandense bem preocupado

Por Anny Malagolini | 27/11/2013 06:12
Todas as avaliações dos perfis são anônimas (Foto: Cleber Gellio)
Todas as avaliações dos perfis são anônimas (Foto: Cleber Gellio)

A nova sensação na internet tem nome de mulher e, realmente, é exclusividade delas. Foi criada para as meninas desabafarem sobre os homens. Disponível para Android e iOS, o aplicativo “Lulu” virou clube virtual e coloca o "desempenho" deles na mira dos dedinhos afiados de quem digita.

O aplicativo agora reúne informações de ex e do pretendente, com a “ajuda” de quem já conhece o dito cujo. É uma legião de ex-namoradas, "ficantes" e admiradoras, que avaliam o perfil dos amigos do Facebook, dando notas de 0 a 10 e usando hashtags.

Todas as avaliações são anônimas e notam, desde o beijo, ao desempenho sexual. Algumas são detalhistas e entregam até como é a relação de carinho com a mãe. Não escapada nada. Também é o recurso que faltava para a vingança, com avaliações maldosas.

Com o Lulu, as mulheres classificam os homens em categorias de relação que tem ou tiveram e respondem a um questionário de múltipla escolha. As hashtags são usadas para calcular uma nota, que vai de zero a dez.

Avaliações como “Não liga no dia seguinte” e “Dá sono”, são as reclamações mais comuns apontadas pelas mulheres.

Em Campo Grande, Felipe Lira caiu na cilada das avaliações e já acumula 30 avaliações. A nota média é mediana, 7,4. Entre as frases dirigidas a quem está interessada nele, há considerações do tipo “olhos de ressaca” e “não quer nada com nada”. Mas para ele, o app não é algo para ser levado muito a sério. “Não sabia que existia, estou surpreso, mas achei engraçado”, comenta.

Já tem gente por aí falando de “machismo invertido”, mas quem tem o aplicativo parece não se importar com a polêmica. O mecanismo foi criado em 2012 para ser usado só por mulheres, por isso o login é feito via Facebook. Os homens podem até acessar o app, mas não tem acesso as notas.

O publicitário Everton, de 26 anos, é outro a cair na rede da mulherada aqui da Capital. A nota é maior, 7,7 e a hashtags colaboram, com “Safado na medida certa” e “Bom partido”. O que vem pela frente é o maior temor do rapaz. “Gostei, pela minha avaliação ter sido positiva, mas tenho medo de comentários maldosos. Passar uma expressão pessoal pode acabar com a pessoa”.

Tiago Pithan, de 34 anos, também é publicitário e foi surpreendido com as avaliações, mas diz aprovar “Acho engraçado, divertido. Vejo com bom humor. Os homens vivem fazendo isso, porque as mulheres não podem?”. A nota do perfil de Tiago é até alta, 8,4. Mas entre as avaliações, a mulherada também critica. “Quase um fã de comédia romântica”, foi uma das hastags criadas. “Ao menos a nota não foi ruim, né?”, brinca.

Mas tem também aqueles que recebem nota vermelha. Um universitário da UFMS ganhou 4.0. Os motivos, segundo o julgamento das participantes, foram argumentados nas hashtags com “Sem comentários”, “Sem estilo” e até “Não sabe fazer”.

A coisa ficou tão séria e comprometedora, que o próprio aplicativo criou uma saída contra o crivo das mulheres. Aos homens que não gostaram da brincadeira das “Luluzinhas”, a solução é encontrar o caminho no http://company.onlulu.com/deactivate. Ali é possível retirar o perfil do aplicativo.

Aplicativo disponível em celulares.
Aplicativo disponível em celulares.
Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário