ACOMPANHE-NOS    
ABRIL, TERÇA  07    CAMPO GRANDE 24º

Lugares por Onde Ando

Listamos 11 dicas importantes para você fazer turismo sustentável

O turismo sustentável tem foco em lugares onde os atrativos estão ligados às suas belezas naturais, como Mato Grosso do Sul

Por Paulo Nonato de Souza | 07/03/2020 06:18
Com rios de águas cristalinas, grutas, cavernas e cachoeiras, o município de Bonito, em Mato Grosso do Sul, é um exemplo de turismo sustentável (Foto: Reprodução)
Com rios de águas cristalinas, grutas, cavernas e cachoeiras, o município de Bonito, em Mato Grosso do Sul, é um exemplo de turismo sustentável (Foto: Reprodução)

Na era da compra de passagens e hospedagens com milhas, parcelamentos e buscas em aplicativos, viajar ficou mais fácil, e o mundo está mais acessível, mas o grande movimento de pessoas circulando por seus destinos turísticos preferidos tem causado impactos negativos ao meio ambiente e às culturas locais cada vez maior a cada ano.

Os esforços de cidades e lugares que vivem do turismo para atrair receitas no mercado de viagens deu lugar à preocupação com os efeitos da atividade.

Lugares como Mato Grosso do Sul, por exemplo, que tem os grandes atrativos turísticos ligados às suas belezas naturais, exigem que o turista tenha respeito natural, ou seja, independente de leis ou regras, ao meio ambiente e às culturas das comunidades locais. O município de Bonito, no sudoeste sul-mato-grossense, é um exemplo de turismo sustentável. É um dos principais destinos do Brasil com turismo de aventura e preservação ambiental.

Conforme o Conselho Global pelo Turismo Sustentável (GSTC, na sigla em inglês) são quatro pilares para o turismo consciente: redução de impactos socioeconômicos, culturais, ambientais e investimento em administração responsável para que o turismo seja um fator de desenvolvimento.

Listamos 11 dicas da GetMalas, uma plataforma de aluguel de malas de viagem para o turismo sustentável. Veja abaixo:

1. Cuidado na escolha de empresas de hospedagem e prestadoras de serviço. O cuidado deve começar antes mesmo da viagem, na hora de pesquisar a hospedagem e a agência de turismo.

Além do preço e da qualidade do serviço, observe também fatores como os esforços da empresa para manutenção e preservação daquele local; existência de certificados de sustentabilidade (hotéis e empresas que priorizam a economia de recursos naturais costumam contar com eles); uso de produtos regionais e emprego da comunidade local; idoneidade e respeito à fauna e flora locais, se a agência ou hotel oferecer passeios guiados para turistas.

2 - Priorize opções de hospedagem próximas às atrações turísticas, permitindo fazer deslocamento a pé ou via transporte público.

3. Considere viajar para destinos menos populares. Viajar para cidades com infraestrutura que de fato consiga absorver o fluxo de turismo, sem formar multidões, é um bom caminho, assim como priorizar as baixas temporadas.

4 - Caso opte por um destino popular, busque explorar também os arredores do local e se hospedar em regiões menos turísticas, com menor procura e menos lotação. Vale lembrar que destinos menos badalados não são menos interessantes.

5. Informe-se sobre seu local de destino. Além de ser culturalmente enriquecedor, informar-se sobre seu local de destino é uma ação valiosa para planejar de que forma você vai reduzir seus impactos turísticos.

6. Conheça (e respeite) a cultura local. O respeito à cultura local e aos costumes da comunidade também fazem parte do turismo sustentável. Nesse sentido, alguns cuidados básicos são fundamentais: se quiser tirar fotos com moradores locais (especialmente se houver crianças), sempre peça seu consentimento; tenha cuidado para não entrar (e não fotografar) locais privados sem permissão; vista-se de acordo com os costumes locais, principalmente na visita a templos, igrejas e outros centros sagrados/religiosos.

7. Priorize produtos e serviços locais. Para realmente estimular a economia local, prefira consumir de lojas e restaurantes que são gerenciados por residentes e que utilizem insumos da região.
Se for necessário frequentar comércios de redes internacionais, busque saber se há emprego da mão de obra regional em diferentes cargos.

8. Cuidado com seu lixo. Não se esqueça do cuidado com seu lixo! O turismo irresponsável acumula toneladas de detritos em cidades, áreas naturais e reservas, contribuindo para o grave quadro de desequilíbrio atual. Em acampamentos, trilhas ou áreas de lazer, certifique-se de coletar seu lixo e, de preferência, encaminhe-o para reciclagem.

9. Economize recursos naturais e cuidado com atrações turísticas de exploração animal. É importante que água, energia e outros recursos sejam poupados. Não solicitar toalhas limpas e troca de roupa de cama todos os dias, por exemplo, é um cuidado ecológico, assim como não deixar o ar condicionado ligado ao sair do hotel e evitar banhos demorados.

10 - O cuidado com atrações de exploração animal também é fundamental. Em busca da foto perfeita, nadar com os golfinhos ou andar de elefante podem ser uma boa ideia, mas raramente as empresas que oferecem esses serviços conseguem assegurar boas condições de vida para esses animais.

11 - Em destinos que promovam o contato com a vida selvagem, prefira passeios promovidos por projetos ecológicos e de preservação da natureza local, além de não alimentar os animais e não comprar produtos que explorem o ecossistema, como os feitos de conchas, coral e ossos.