A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 15 de Outubro de 2019


28/09/2019 07:12

Operação da aérea chilena JetSmart em Campo Grande está sob análise

Diretor da empresa, Victor Mejía, disse que tem ofertas de várias capitais brasileiras, incluindo a capital sul-mato-grossense

Paulo Nonato de Souza
Victor Mejía, diretor-executivo da companhia aérea chilena disse que a empresa estuda a oferta para operar em Campo Grande (Foto: JetSmart/Divulgação)Victor Mejía, diretor-executivo da companhia aérea chilena disse que a empresa estuda a oferta para operar em Campo Grande (Foto: JetSmart/Divulgação)

Campo Grande vai ter que esperar um pouco mais para receber voos da companhia aérea chilena de baixo custo JetSmart. Esta semana, durante a 47ª Feira Internacional de Turismo, evento promovido pela Abav (Associação Brasileira de Agências de Viagens), em São Paulo, o diretor de Operações da empresa, o chileno Victor Mejía, disse ao canal de turismo Lugares Por Onde Ando, do Campo Grande News, que antes do final do ano espera decidir sobre as ofertas que vem recebendo de várias capitais brasileiras, incluindo a sul-mato-grossense.

“Recebemos ofertas de vários aeroportos do Brasil, incluindo Campo Grande, e estamos avaliando todas as possibilidades apresentadas. Passada a fase dos acordos que nos permitiram lançar nossas três primeiras rotas no país - São Paulo, Salvador e Foz do Iguaçu -, iremos nos reunir para discutir propostas e depois conhecer os aeroportos a nós oferecidos”, declarou Victor Mejía.

O executivo chileno disse que o foco do momento na empresa está em promover as novas rotas. Os voos da JetSmart de Santiago para o Brasil começam no dia 27 de dezembro com operações no Aeroporto Internacional de Guarulhos, em São Paulo. A companhia iniciou as vendas das novas operações nesta semana com preços a partir de R$ 269 por trecho para Foz do Iguaçu e R$ 299 para São Paulo e Salvador.

“Neste momento estamos focados nessas três rotas, mas é evidente que iremos avaliar todas as possibilidades, porque temos muito mais a oferecer, e não descartamos em absoluto poder chegar nas principais capitais do Brasil. Estamos falando com muitos aeroportos brasileiros, porém, não podemos anunciar nada porque ainda não tomamos nenhuma decisão”, ressaltou o executivo.

Aeronave da JetSmart com a figura de uma onça-pintada na cauda (Foto: JetSmart/Divulgação)Aeronave da JetSmart com a figura de uma onça-pintada na cauda (Foto: JetSmart/Divulgação)

O Brasil é o quarto destino internacional da companhia sul-americana, pertencente ao fundo de investimentos norte-americano Indigo Partners, do qual faz parte também a American Airlines. A JetSmart já voa no Chile, Argentina e Peru, não tem lojas físicas, funciona apenas online, e se orgulha de oferecer o que chama de “tarifas ultrabaixas. “Voando com a gente você só vai pagar por aquilo que irá usar”, garantiu o diretor de Vendas da companhia, Pedro Asenjo.

O canal de turismo do Campo Grande News divulgou em 13 de agosto deste ano a notícia de que estava havendo negociação para que a aérea chilena passasse a operar a partir de Campo Grande. Pouco mais de dois meses depois, as negociações ainda não se concretizaram, mas o COO (Chief Operating Officer) da empresa mostrou-se otimista com a ideia de incluir o estado do Pantanal nas rotas da JetSmart.

“Vamos ter um animal diferente para cada um dos nossos aviões, sem repetir nenhum”, brincou Victor Mejía, referindo-se a diversidade da fauna pantaneira para as pinturas especiais de animais na cauda dos aviões, uma estratégia de marketing adotada pela JetSmart desde a sua chegada ao Chile em 2017.

Victor Mejía deixou claro que o custo-benefício de serviços nos aeroportos é um dos fatores fundamentais para a decisão da JetSmart. “Não levamos em conta apenas se o aeroporto tem tráfego de passageiros, mas a sua eficiência. Somos uma aérea de baixo custo, e isso significa que, se o aeroporto tiver custo alto, será impossível a nossa operação”, declarou.

No Chile, pouco mais de dois anos depois de estrear, a JetSmart voa desde Santiago para Calama, La Serena, Iquique, Antofagasta, Copiapó, Arica, Concepción, Punta Arenas, Valdivia, Puerto Montt e Temuco, além de cobrir voos regionais Calama/Concepción, Antofagasta/La Serena, La Serena/ Iquique, La Serena/Calama e Arica/Antofagasta.

“Atualmente são 62 rotas e temos planos de expansão para os próximos cinco anos com a chegada de 104 aviões de cinco novos modelos e o início das operações entre Argentina e Brasil. Acabamos de receber seis Airbus 320”, anunciou Victor Mejía. Segundo o diretor de Vendas, Pedro Asenjo, a ideia é olhar para novas oportunidades no Brasil e continuar a expansão na América do Sul.

A Abav 2019 - A 47ª Feira Internacional de Turismo, realizada entre quarta-feira e sexta-feira desta semana, reuniu 29.416 participantes, ultrapassando a estimativa de crescimento de público que era de 10% em cima dos 23,3 mil visitantes da edição de 2018. De acordo com dados divulgados pela organização do evento, a maior feira de negócios do setor de viagens e turismo da América Latina recebeu 2 mil marcas expositoras e gerou 1.700 empregos diretos e indiretos.

Equipe de bordo da JetSmart mostra a cabine de uma das aeronaves da empresa que poderá operar a partir de Campo Grande (Foto: JetSmart/Divulgação) Equipe de bordo da JetSmart mostra a cabine de uma das aeronaves da empresa que poderá operar a partir de Campo Grande (Foto: JetSmart/Divulgação)
imagem transparente

Classificados


Copyright © 2019 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.