ACOMPANHE-NOS    
MARÇO, TERÇA  31    CAMPO GRANDE 27º

Cidades

Acadêmicos prestam assessoria em protesto na Praça Ary Coelho

Pelo menos 400 acadêmicos participaram de manifestação, que faz parte de ação contra corte de verbas

Por Silvia Frias e Clayton Neves | 15/05/2019 17:38
Pelo menos 400 acadêmicos participaram de manifestação no centro da Capital (Foto: Clayton Neves)
Pelo menos 400 acadêmicos participaram de manifestação no centro da Capital (Foto: Clayton Neves)

Pelo menos 400 acadêmicos participaram de manifestação na Praça Ary Coelho, esta tarde, em Campo Grande. Os alunos montaram estandes e prestaram serviço à população e fizeram exposição dos projetos desenvolvido nas universidades.

A concentração faz parte de protesto contra o corte de verbas promovido pelo governo federal. Em Mato Grosso do Sul, a UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) e o IFMS (Instituto Federal de Mato Grosso do Sul).

No chamado “contingenciamento” de 30% promovido pelo governo federal, a instituição perderá R$ 29,7 milhões em verba, o que irá afetar projetos de pesquisa, de extensão, empreendedorismo e inovação.

Em nota, o IFMS (Instituto Federal de Mato Grosso do Sul) divulgou que o percentual significa corte de R$ 16,948 milhões dos R$ 40,356 milhões previstos na LOA (Lei Orçamentária Anual) de 2019.

Ação – na praça, Acadêmicos de Direito da UFMS prestaram assessoria jurídica a quem passasse pelo local. Alice Viana, 38 anos, viu a movimentação na praça e não sabia o que estava acontecendo. “A primeira banca que vi foi de Direito, estava precisando”. Ela aproveitou e tirou dúvidas sobre ação de disputa de terreno.

Alunos do curso de Física da UFMS fizeram exposição do projeto “Astronomia Visual”, em que foram impressos foguetes e crateras lunares, em 3D, usados para mostrar a deficientes visuais dimensões e equipamentos.

Acadêmicos da Medicina mostraram os números dos atendimentos: trabalham em 30 especialidades médicas, 76 consultórios em 34 municípios. Por mês, são 40 cirurgias, 2,5 mil consultas e 850 internações no HU (Hospital Universitário).

Patrícia Cristina Vicente, 22 anos, do 5º ano de Medicina, disse que a manifestação é importante para mostrar à população a produção da universidade. “A UFMS não é balbúrdia, não é o que retratam, nosso papel é importante”, disse.

A diretora-geral do IFMS, Rosane Fernandes, disse que a manifestação teve participação de três cursos técnicos (eletrotécnica, mecânica e informática).

A ação ainda contou com participação de 120 estudantes da UEMS (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul) de Jardim e Amambai que, embora não tenham sofrido com corte, estavam solidários ao protesto.

Acadêmicos mostravam produção das universidades (Foto: Clayton Neves)
Acadêmicos mostravam produção das universidades (Foto: Clayton Neves)