ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, TERÇA  09    CAMPO GRANDE 12º

Cidades

"OAB não deve se posicionar de forma ideológica", diz presidente eleito em MS

Bitto afirmou que a entidade nacional tem um postura político-partidária, algo que foge do seu papel

Por Flávio Veras | 22/11/2021 12:00
Coletiva ocorreu na manhã desta segunda-feira (22). (Foto: Paulos Francis)
Coletiva ocorreu na manhã desta segunda-feira (22). (Foto: Paulos Francis)

O recém-eleito presidente da OAB-MS (Ordem dos Advogados do Brasil de Mato Grosso do Sul), Bitto Pereira, concedeu uma entrevista coletiva na manhã desta segunda-feira (22), em Campo Grande. De acordo com ele, seu mandato tem o objetivo de aproximar a entidade das figuras mais jovens da advocacia e defender a democracia brasileira de forma pragmática.

Ao ser questionado pela reportagem do Campo Grande News sobre a posição política ideológica da entidade nacional, na qual tem na presidência Felipe Santa Cruz, Bitto afirmou que ela hoje tem um viés ideológico, algo que não contribui para o dever dela na sociedade brasileira.

“O papel da entidade, nos seus 91 anos, é prezar pela democracia e obedecer a Constituição Federal. Ou seja, ela deve prezar pelo Estado Democrático de Direitos. Não podemos abrir mão desse objetivo por nenhum viés político, seja a esquerda, centro ou direita que esteja no poder. Na presidência da OAB do nosso Estado, tentarei me posicionar dessa forma pragmática e lutar para que a nossa entidade tenha essa visão conciliadora e não ideológica, como vem ocorrendo nos últimos anos”, criticou Pereira.

Essa visão é compartilhada pelo ex-presidente e aliado, Mansour Elias Karmouche, no qual sempre foi um crítico ferrenho da postura política adotada pela entidade nacionalmente durante o mandato de Santa Cruz. O atual presidente da OAB nacional, não esconde sua visão crítica ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e também seu alinhamento com o principal concorrente ao atual governo, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Nosso papel está previsto no estatuto da entidade, no qual é defender a Constituição. Todas as vezes que ela for provocada a se posicionar, tem o dever de partir dessa premissa. Entendemos que, aqueles assuntos, de interesse da sociedade brasileira, ela não pode se furtar. No entanto, não é do intuito da OAB ter posições ideológicas no exercício democrático. Portanto, eu garanto que esse tipo de visão errada da instituição, nós não teremos, pois nossa expectativa é uma gestão apartidária e independente”, analisou.

Jovem advocacia – De acordo com a entidade, hoje ela é composta por 60% de jovens advogados e foi essa parcela da entidade que acabou determinando a vitória de Britto à frente da entidade. Sobre a defesa da jovem advocacia, o atual presidente falou que sua diretoria não fica apenas no discurso, mas aplica essa visão jovial na prática.

“Pela primeira vez teremos na diretoria da OAB dois integrantes que são oriundos da presidência da Jovem Advocacia da entidade. Eu mesmo, iniciei minha carreira na entidade na presidência desse grupo. Por exemplo, hoje temos a secretária-geral adjunta, Janine Antunes Delgado, que é atual presidenta dessa parcela do nosso segmento. Além disso, todos nós, que hoje fazemos parte da diretoria, fizeram parte da Jovem Advocacia. Contudo, iremos trabalhar com aqueles recém-chegados à nossa instituição”, afirmou Pereira.

Além disso, ele falou que sua administração tem um projeto de mentoria para os jovens advogados. "Eles devem ter a experiência da vivência na área do Direito. Portanto, esperamos que essa iniciativa tende a contribuir muito com nossa sociedade, pois irá melhorar o potencial de nós advogados”, projetou Pereira.

Além de Bitto, a entidade tem na diretoria como vice-presidente, Camila Cavalcanti Bastos; secretário-geral, Luiz Renê Gonçalves do Amaral; secretária-geral Adjunta, Janine Antunes Delgado; e o diretor-tesoureiro, Fábio Nogueira Costa.

A chapa vencedora, ‘Mais OAB’ foi eleita com 51,3% dos 8,5 mil votos computados.

Nos siga no Google Notícias