ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JULHO, QUINTA  18    CAMPO GRANDE 20º

Cidades

Paciente de MS é prioridade para novo coração no Einstein

Decisão judicial que o beneficiou com transporte até o Albert Einstein não citava coração à espera dele em SP

Por Lucia Morel | 27/03/2024 15:27
Mário tocou o sino da vitória após descobrir que tinha conseguido o transporte até São Paulo. (Foto: Acervo pessoal)
Mário tocou o sino da vitória após descobrir que tinha conseguido o transporte até São Paulo. (Foto: Acervo pessoal)

O paciente de Mato Grosso do Sul, Mário Sirino, que aguarda transplante de coração no Hospital Albert Einstein, em São Paulo (SP), entrou na fila de espera pelo órgão e está pronto para o procedimento, que pode ocorrer a qualquer momento. Esposa dele, Girlene Sirino afirmou que ele já passou por exames na unidade hospitalar.

Ontem, ele entrou na fila, terminou de fazer todos os exames e entrou em prioridade. A qualquer momento que sair um doador ele pode ser transplantado”, disse ela. Mário tem insuficiência cardíaca severa provocada pela doença de Chagas e estava na fila de transplante há cinco anos. Ele e a família são de Nova Alvorada do Sul, a 116 km de Campo Grande.

Diferente do que foi veiculado anteriormente, inclusive pela Defensoria Pública de Mato Grosso do Sul, a decisão judicial que o beneficiou para ser transportado até o Albert Einstein não citava qualquer coração à espera de Mário na capital paulista. Até porque a Central Nacional de Transplantes não libera o procedimento antes que o paciente esteja totalmente apto e alocado em unidade de saúde.

Informações da assessoria de imprensa do Hospital Albert Einstein são de que em todos os casos o andamento é o mesmo: primeiro interna-se o paciente e então ele é preparado, com exames e medicações específicas. Somente após isso, ele dá entrada na fila de espera pelo órgão que necessita.

O Campo Grande News chegou a informar que já havia um coração à espera de Mário em São Paulo, entretanto, há liberação de órgãos somente após haver a efetiva preparação do paciente. Ou seja, ainda em Campo Grande, sem estar pronto para o transplante, a Central não liberaria o procedimento.

Em 15 de março deste ano, a decisão judicial dava 72 horas (a partir da notificação sobre a ordem) para que o Governo de Mato Grosso do Sul e a Prefeitura de Nova Alvorada do Sul pagassem pelo transporte do paciente até o Hospital Albert Einstein. Mário foi levado até lá na última quinta-feira, dia 21 de março, onde continua internado.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News e siga nossas redes sociais.

Nos siga no Google Notícias