ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, QUARTA  29    CAMPO GRANDE 17º

Cidades

Saúde confirma 6ª morte por H3N2 em Mato Grosso do Sul; vítima morava em Corumbá

Idosa de 74 anos era moradora de Corumbá, tinha hipertensão e foi internada no primeiro dia de 2022

Por Jhefferson Gamarra | 05/01/2022 10:45
Ampolas com imunizante contra a influenza. (Foto: Arquivo)
Ampolas com imunizante contra a influenza. (Foto: Arquivo)

A SES (Secretaria de Estado de Saúde) confirmou nesta quarta-feira (5), o sexto óbito por H3N2 em Mato Grosso do Sul. Trata-se de uma idosa de 74 anos, moradora de Corumbá, a 422 quilômetros de Campo Grande.

A idosa apresentou os sintomas no dia 29 de dezembro do ano passado e foi internada no primeiro dia de 2022. A vítima que tinha hipertensão morreu no dia 2 de janeiro no Hospital de Corumbá. Todos os 6 óbitos foram analisados pelo Lacen MS e confirmados para influenza.

A primeira morte em decorrência da doença ocorreu no dia 21 de dezembro em Campo Grande, uma jovem de 21 anos que deu entrada no CRS Nova Bahia no dia 20 de dezembro, foi transferida para o HRMS, mas não resistiu.

Já o segundo óbito foi registrado na terça-feira (28), também em Corumbá. Trata-se de uma idosa de 76 anos, que estava internada na Santa Casa de Corumbá. A terceira morte aconteceu no dia 30/12 e trata-se de uma mulher de 55 anos de idade, moradora da cidade de Dourados, com início dos sintomas no dia 23 de dezembro, dando entrada na UPA no dia 27 de dezembro, vindo a falecer na área vermelha da unidade no dia 28 de dezembro.

O quarto óbito por H3N2 em Mato Grosso do Sul trata-se de uma mulher de 35 anos, residente de Campo Grande. Os primeiros sintomas começaram no dia 29 de dezembro. A quinta morte foi confirmada pela SES (Secretaria Estadual de Saúde) ontem (4). Uma mulher, de 71 anos, que morava em Dourados, a 251 quilômetros de Campo Grande, que morreu no último dia do ano.

A SES orienta a população que, quem não tomou sua vacina, procure uma unidade de saúde para se vacinar e siga as recomendações de biossegurança como o uso de máscara, higienização das mãos e evite aglomerações.

Nos siga no Google Notícias